A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quarta-feira, setembro 22, 2004

Pecuaristas de Mato Grosso prontos para começar estação de monta

Estado leva à pecuária a preocupação com produtividade e rentabilidade, comuns na agricultura

A importância da produtividade e da rentabilidade não é mais exclusividade da agricultura. No Mato Grosso, é comum ver colheitadeiras gigantes e inúmeros tratores nos 7,2 milhões de hectares produtivos, em que são cultivados algodão, soja, milho, arroz, feijão, cana-de-açúcar e mandioca. Na pecuária, essas preocupações já são realidade.
A visão da pecuária tradicional, em que o melhor pecuarista era aquele que possuía os maiores animais e não necessariamente os mais produtivos, mudou. Atualmente, assim como na agricultura, a lucratividade é a palavra de ordem. Com isso, saem de cena os animais gigantes e entram os que apresentam altos índices de produtividade. A mudança já pode ser percebida nesta estação de monta, que acaba de começar no Centro-Oeste.
Segundo Cássio Gaudêncio Martins, zootecnista e representante da Agropecuária Jacarezinho em Sinop (MT), a procura por touros realmente melhoradores é fundamental. “Não adianta ter monta com período definido, bem planejada se a qualidade dos touros não for adequada. Sem animais de qualidade reconhecida, corre-se o risco de jogar dinheiro fora”, diz Martins.
A escolha dos animais não é tarefa simples, porém é possível contar com a assessoria de empresas sérias. Os melhores animais são aqueles que possuem CEIP (Certificado Especial de Identificação e Origem) – documento emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) aos 20% melhores animais dos projetos pecuários reconhecidos como melhoradores – e DEPs (Diferenças Esperadas de Progênie) confiáveis. O critério de avaliação dos animais também é de suma importância.
A prova de que a pecuária no Mato Grosso está mudando foi a inauguração, há pouco mais de dois meses, da Agência de Touros da Agropecuária Jacarezinho, em Sinop (MT). Na Chácara Jacarezinho, a 7 km do centro da cidade, estão 25 a 30 touros Nelore em exposição permanente, recebendo visitas diárias de clientes e criadores interessados em conhecer de perto o trabalho da Agropecuária Jacarezinho. Os animais, com idade entre 24 e 36 meses, possuem CEIP e DEPs comprovadas. Os critérios de avaliação dos animais são realizados pela Unesp (Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”) de Jaboticabal (SP) e pela Gensys, consultoria especializada em avaliação genética há mais de 14 anos.
“Antes mesmo da estação de monta começar vendemos 25 animais, uma prova de que a marca Jacarezinho é sinônimo de qualidade. A nossa expectativa é que, até o final do ano, 50 touros serão comercializados. O estoque de animais é constantemente reposto, trazendo diversas oportunidades aos criadores locais, inclusive de preços”, comenta Cássio Gaudêncio Martins, da Jacarezinho.
De acordo com o diretor geral da empresa, Ian Hill, a escolha da cidade foi estratégica, pois é um ponto de referência para o norte do Mato Grosso. “O objetivo das lojas de touros é facilitar a logística, levando os animais da Jacarezinho, provados e reconhecidos pelo mercado, a locais-chaves da pecuária brasileira, como é o caso de Tocantins, onde temos a agência em Araguaína, e no Mato Grosso, em Comodoro, e agora em Sinop”, afirma.


Mais informações sobre a inauguração da agência de touros em Sinop (MT) podem ser obtidas pelo telefone (18) 3401-9300 ou no site www.agrojacarezinho.com.br.


Texto Assessoria de Comunicações – Tel.: (11) 3675-1818
Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb. 17.291)

Nenhum comentário:

Arquivo do blog