A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online

Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

sexta-feira, abril 30, 2021

EMBRAPA: II Congresso Mundial de ILPF recebe inscrições até o dia 1º de maio

A organização do II Congresso Mundial sobre Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF) (World Congress on Integrated Crop-Livestock-Forestry Systems) - WCCLF que acontece nos dias 4 e 5 de maio a partir das 9 horas, em formato 100% digital, informa que antecipou o término de recebimento de inscrições para o 1º dia de maio, próximo sábado. O motivo da alteração da data é por questão de logística do evento. O valor da inscrição é de 150 reais para profissionais e 75 reais para estudantes. No site os interessados encontram os detalhes de como se inscrever, como ter acesso a uma cortesia e, se for o caso, de cancelar uma inscrição. Dias antes do evento os inscritos receberão por e-mail um login e uma senha de acesso à plataforma digital. Essa plataforma é restrita para aqueles que se cadastraram no site e realizaram o pagamento da inscrição.

 

Até este momento o número de inscritos ultrapassou a marca de mil, superando as expectativas dos organizadores. Foram registradas inscrições de 28 estados brasileiros, com destaque para São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Goiás e Mato Grosso. Além de brasileiros, se inscreveram para o evento profissionais do Reino Unido, americanos, portugueses, italianos, franceses, peruanos, equatorianos, austríacos, alemães, colombianos e australianos.

 

O número de trabalhos científicos enviados somou 207, 166 foram aceitos e 156 serão expostos na sessão pôster digital. Os trabalhos recebidos estão relacionados às áreas climáticas, emissões de gases de efeito estufa e sequestro de carbono, sistemas integrados e avaliações de sustentabilidade, impacto dos sistemas integrados na eficiência do uso de nutrientes e água, transferência de tecnologia para sistemas integrados, microclima, paisagem e biodiversidade, técnicas agrícolas, agricultura de precisão, IoT e inovação, aspectos econômicos e sociais e agricultura familiar, rastreabilidade, certificação e conceitos emergentes, políticas públicas, interações nas cadeiras de suprimentos e comércio. "Certamente o Congresso será uma oportunidade para a troca de conhecimentos e experiências entre especialistas, acadêmicos, produtores e demais participantes interessados no assunto", ressalta a pesquisadora Lucimara Chiari, membro da comissão organizadora que destaca também o ILPF Conecta que acontece paralelamente ao II Congresso - uma iniciativa que visa aproximar as Agtechs de investidores e de aceleradoras.

 
No total foram recebidas 92 inscrições de startups (também chamada de Agtechs) de 18 estados do Brasil e de mais dois países, França e Etiópia. São Paulo registrou o maior número, 20 inscrições. Validadas foram 76, todas, voltadas à produção agropecuária sustentável em sistemas de ILPF. As dez melhores soluções tecnológicas disputarão três vagas de finalistas que serão apresentadas na parte da tarde do dia 5 de maio. As startups selecionadas estarão em um espaço virtual, ao vivo, exclusivo para interagir com investidores e especialistas, demonstrando suas soluções tecnológicas.  

 

Presidente da Embrapa abre o ciclo de palestras nacionais e internacionais


Durante os dias 4 e 5 de maio serão apresentadas 30 palestras por especialistas brasileiros, estrangeiros e produtores rurais. A primeira será ministrada pelo presidente da Embrapa, Celso Moretti, intitulada "Desafios para o futuro da ILPF no Brasil", no primeiro painel da programação, que trata dos desafios e oportunidades para os sistemas de ILPF no mundo. "O Congresso será uma excelente oportunidade para troca de experiência e conhecimentos em sistemas de ILPF no Brasil e no mundo e vai propiciar um fórum de discussão baseado em referencial teórico e aplicações práticas que combinam a produção integrada da lavoura, da pecuária e da floresta na mesma área com uso eficiente de insumos, fundamentais para a segurança alimentar do futuro", salienta o presidente da Embrapa.

 

Os participantes do Congresso serão atualizados sobre os mais recentes resultados de pesquisa, desenvolvimento e inovação em sistemas ILPF praticados não só no Brasil como em diversos outros países. Dentre tantas experiências a serem expostas por especialistas renomados, temos a do professor australiano, Richard Eckard, da Universidade de Melbourne. O cientista vai falar dos incentivos do governo australiano aos agricultores no estabelecimento ou manejo de árvores em terras agrícolas e de pastagem, da adoção de métodos de compensação de carbono desenvolvidos para reflorestamento - que é um desafio na Austrália dado aos custos iniciais para o desenvolvimento, administração e estabelecimento de projetos. Falará também das experiências relacionadas aos benefícios das árvores em terras agrícolas que incluem a melhoria do bem-estar animal, da qualidade da água, da matéria orgânica do solo, da biodiversidade e valor de capital, além de contribuir para uma produção neutra em carbono e promover uma maior integração da silvicultura e da pecuária em futuros cenários climáticos na Austrália.

 

Tão importante quanto às demais apresentações será a do professor Luis Alfonso Giraldo, da Universidade Nacional da Colômbia.  O especialista abordará os desafios dos sistemas agroalimentares para sistemas sustentáveis de baixo carbono, das tendências da ILPF na América Latina e Caribe e como a tecnologia, técnicas e práticas aplicadas podem contribuir para os desafios que essa transição determina. Destacará os efeitos ambientais, sociais e econômicos positivos destes, com dados técnicos de referência gerados por iniciativas silvipastoris na Colômbia.

 

O evento além de promover a troca de experiências servirá para uma grande reflexão sobre os resultados de pesquisa, desenvolvimento e inovação em sistemas de ILPF, bem como, seus benefícios, desafios e oportunidades de produção no Brasil e nos demais países.

 

Ao todo serão sete painéis quando se discutirá temas como: ILPF e agricultura sustentável no mundo, serviços ecossistêmicos em sistemas de ILPF, evolução desse sistema no Brasil, plataforma pecuária de baixa emissão de carbono, importância do cooperativismo na adoção da ILPF, cenários e tendências da ILPF na Europa, América Latina, América do Norte, Ásia e África, Austrália e Nova Zelândia. Consta, ainda, discussão sobre ambiência e bem-estar animal,  empreendedorismo, indicadores socioeconômicos, certificações em ILPF dentre outras que podem ser conhecidas clicando aqui.

 

A palestra de encerramento marcada para quarta-feira, dia 5, a partir das 17h10 está a cargo do pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Roberto Giolo – coordenador técnico do evento - líder de projetos nos temas ILPF e gases de efeito estufa na pecuária. O especialista vai destacar os fatos mais relevantes de cada painel e fará comentários a respeito dos benefícios e oportunidades que envolvem o uso da ILPF. Um balanço dos números do Congresso e resultados alcançados também está na pauta do palestrante.

 

O evento é uma realização da Embrapa,  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Rede ILPFSemagro MSFamasul MS e Fbeventos.

 

Serviços

 

WCCLF 2021 – De 4 a 5 maio de 2021, realizado de forma 100% digital.
Inscrições vão até o dia 1º de maio, sábado, link de acesso: www.wcclf2021.com.br

 

Conheça os sete temas dos painéis e das 30 palestras

Link de acesso: www.wcclf2021.com.br/programacao

 

Jornalistas interessados em cobrir o congresso pela plataforma on-line entrar em contato com agrossilvipastoril.imprensa@embrapa.br, até o dia 30/04 solicitando a liberação do acesso.

 

 

Eliana Cezar Silveira (DRT 15.410/SSP/SP)
jornalista
Núcleo de Comunicação Organizacional
Embrapa Gado de Corte


Contatos para a imprensa
eliana.cezar@embrapa.br
Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/


terça-feira, abril 20, 2021

Café: Brasil propõe modernização na emissão de certificados de origem da OIC


Café: Brasil propõe modernização na emissão de certificados de origem da OIC
 
Propostas estruturadas pelo Cecafé foram aprovadas pelo Conselho Internacional e visam a modernizar, agilizar, reduzir burocracia e dar mais transparência ao processo

 
O Conselho Internacional do Café aprovou, na sexta-feira, 16 de abril, proposta da delegação brasileira, estruturada pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), que pretende modernizar o regulamento referente à emissão dos certificados de origem da Organização Internacional do Café (OIC), requeridos nas exportações do produto.
 
Embasada na existência de diversos modelos avançados de gestão tecnológica de documentos, envolvendo assinaturas eletrônicas, certificações digitais, armazenamento virtual dos dados e harmonização de datas de exportação, a sugestão do Brasil objetiva dar celeridade ao processo, reduzir a burocracia, ampliar a transparência e estar alinhada às propostas do Acordo de Facilitação de Comércio da Organização Mundial do Comércio (OMC) e da Organização Mundial das Aduanas (OMA).
 
Na explanação ao principal colegiado da cafeicultura mundial, o Cecafé recordou que o conceito e as instruções contidas no atual "Regulamento de Estatística – Certificados de Origem" da OIC se baseiam, majoritariamente, em modelos e processos antigos aplicados ao período das cotas de exportação, quando a Organização tinha a necessidade de monitorar e controlar os embarques dos países produtores, e que as novas tecnologias permitirão um processo de emissão mais moderno, célere e menos burocrático.
 
Entre as diversas alterações propostas, destaca-se a implementação da assinatura eletrônica dos certificados, o armazenamento eletrônico dos documentos, a utilização da Referência Única de Carga (RUC) e a alteração da data de exportação, que deixará de ser por liberação aduaneira e passará a ser pela data do conhecimento de embarque.
 
De acordo com o presidente do Cecafé, Nicolas Rueda, a sugestão da entidade está alinhada às recentes mudanças feitas no Brasil, através da implantação do Portal Único de Comércio Exterior.
 
"Essa inovação brasileira tem desburocratizado o processo das exportações por meio de uma completa reformulação de procedimentos, exigências normativas e sistemas aplicáveis às transações comerciais externas. Assim, é possível reduzir tempo e custos para os agentes privados concluírem as operações, que é o que pretendemos em relação à emissão dos certificados de origem da OIC", revela.
 
Com a aprovação da proposta apresentada pela delegação brasileira, o presidente do Cecafé anota que as otimizações aprovadas no "Regulamento de Estatísticas – Certificado de Origem" ampliarão as possibilidades de integração de bases e gerarão modernização e eficiência ainda maiores aos processos, garantindo, também, o rigor da coleta das informações para os propósitos estatísticos.
 
PRÓXIMOS PASSOS
A Representação Permanente do Brasil junto às Organizações Internacionais em Londres (Rebraslon) contatará a OIC, nesta semana, para acelerar a publicação do regulamento já atualizado. Tão logo seja divulgado, o Cecafé continuará o desenvolvimento  do novo sistema de emissão dos certificados, o qual será integrado ao Portal Único, através da utilização da Application Programming Interface (API) do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).
 




+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog