A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quarta-feira, maio 13, 2015

Procuradora desmente Lula e os blogs PeTistas: A investigação por tráfico de influência começa a tramitar no MPF









(Estadão) Responsável por conduzir as investigações no Ministério Público Federal no Distrito Federal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a procuradora Mirella Aguiar descarta a possibilidade de pedir quebra de sigilo do petista. Integrante do núcleo de Combate à Corrupção do MPF, Aguiar foi sorteada para conduzir os procedimentos de coleta de informações sobre um suposto envolvimento de Lula em tráfico de influência no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Dentre as missões da procuradora está apurar se o ex-presidente atuou de forma indevida para induzir o banco a financiar obras da Odebrecht no exterior.


Os procedimentos preliminares, chamados de "notícia de fato", têm como origem uma representação, apresentada por um outro colega da procuradora, com base em reportagens jornalísticas.


"A quebra de sigilo é algo que a Justiça não costuma dar com base em notícias anônimas e equiparo um pouco a reportagem jornalística a uma notícia dessas porque não temos prova nenhuma. Qualquer tipo de invasão da esfera da intimidade, da privacidade do investigado tem que ser fartamente fundamentada. Quando se faz a pergunta se isso daqui poderia gerar uma quebra de sigilo, a inexistência de provas neste momento não autorizaria", ressaltou ao Estado a procuradora Mirella Aguiar.


Na análise dela, a quebra de sigilo nesta fase preliminar poderia acarretar, inclusive, anulação da investigação. "Se por acaso eu tiver esse deslize ou outro colega qualquer, de com base somente numa reportagem pedir uma quebra de sigilo e por acaso um juiz der, isso certamente será anulado no futuro. É preciso ter mais elementos. É preciso ter indícios veementes. A Constituição está certa em garantir a intimidade, senão bastava qualquer um vir aqui dizer qualquer coisa para as pessoas terem os seus sigilos afastados", afirmou.


A procuradora preferiu não dar detalhes sobre os próximos passos da investigação. A informação do início dos procedimentos foi revelada pela revista Época. Por meio do Instituto Lula, o ex-presidente rebateu as acusações e ressaltou que faz apenas palestras no exterior e não presta serviços de consultoria.


Apesar das negativas públicas do ex-presidente, a procuradora não descartou a possibilidade de Lula ter de apresentar formalmente, em depoimento ou por meio de ofício, sua versão. "Não posso dizer o que vai ser feito. Obviamente se for o caso de se investigar, se for o caso de as investigações avançarem, se for o caso de comprovar tudo aquilo que foi dito pela imprensa, as pessoas envolvidas deverão ter espaço para apresentar as suas versões", disse. "Isso pode ser feito de diversas formas, algumas vezes mandamos ofícios pedindo que esclareça alguns pontos. Outras vezes, quando tem detalhes que são mais complexos, podemos chamar para ouvir. Mas se a pessoa reside em outro lugar, podemos pedir para outro colega de outro lugar ouvir", acrescentou.


Inicialmente, a conclusão desta fase preliminar de investigação deve ocorrer no prazo de 30 dias. Para a procuradora, ainda é cedo, entretanto, para definir uma data. "Prazo pode ser prorrogado até 90 dias no caso de se configurar um crime. Se a gente achar algum outro elemento que possa configurar improbidade, os prazos são diferentes. Podemos instaurar um procedimento preliminar de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias. Mas precisa de muita coisa ainda para saber se [os fatos] procedem. Hoje não tem como definir uma data".

ALUIZIO AMORIM: INTEGRANTES DA MARCHA DA LIBERDADE DENUNCIAM AMEAÇA DE ATAQUE DO PT/MST EM SUA PASSAGEM PELO ESTADO DE MINAS GERAIS

Do Blog do Aluizio Amorim






O vídeo acima acaba de ser postado na página do Movimento Brasil Livre que coordena a Marcha da Liberdade que segue a pé de São Paulo a Brasília onde deve chegar no dia 27 de mês de maio quando haverá grande manifestação em Brasília em favor do imediato impeachment da Dilma. No vídeo Kim Kataguiri, do MBL, explica as ameaças do terroristas do PT em território mineiro sob o governo do amiguinho da Dilma, o Fernando Pimentel, que recentemente condecorou o chefete dos terrorista doo MST, o Stédile, com a maior comenda conferida pelo Estado de Minas Gerais. Os bate-paus do PT e do MST, segundo relatam Kataguiri e Renan, fizeram as ameaças quando os integrantes da Marcha Pela Liberdade participavam de evento na Câmara de Vereadores de Uberlândia. Num lapso Renan cita Uberaba, mas na verdade é Uberlândia, onde ocorreu a ameaça contra os integrantes da Marcha da Liberdade.

Gen Clovis Purper Bandeira: CONHECENDO O INIMIGO






“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo, perderá todas as batalhas.” Sun Tzu (594 a.C.-496 a.C.) in A Arte da Guerra.

Talvez o prezado leitor julgue forte o termo inimigo. Não devemos temer as palavras.

Mas se um grupo político desesperado e radical, assessorado por instrutores guerrilheiros estrangeiros e nacionais, possuidor de armamento letal e disposto a usá-lo, ocupando posições que lhe permitem paralisar, a qualquer momento, o tráfego nas principais rodovias do país e incursionar na área urbana, invadindo prédios públicos e privados – como, aliás, já fez várias vezes em treinamentos isolados – é chamado por um ex-presidente boquirroto e sem compostura de “exército”, que ameaça empregar nas ruas para forçar a adoção de suas ideias, é bom conhecê-lo. Mesmo que o chamemos por um eufemismo, como adversários, forças adversas ou expressão equivalente.

Não tenha dúvida: para eles, somos o inimigo, e eles não têm nenhum escrúpulo em empregar o termo. E como tal nos tratarão.

Mas o que deve nos preocupar não é tanto o “exército” inimigo, mas seus mentores e as forças que o mantêm, doutrinam e sustentam, os partidos comunistas ou filocomunistas capitaneados pelo nefasto e desonesto PT. E que o empregará, o que se torna mais possível quanto mais desesperadora for sua situação.

Acossado por denúncias diárias de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas etc, responsabilizados pela derrocada da Petrobras, acusados de estelionato eleitoral, cúmplices de todas as maracutaias e falcatruas que envergonham o Brasil, o desespero pode levá-los a atitudes extremas, pois sentem o poder escapar entre seus dedos.

Atônito com o clamor popular contrário que sobe das ruas, apenas quatro meses depois de assumir mais um mandato no executivo federal, o PT organiza seu 5º Congresso Nacional.


Dentre as sugestões recebidas das diversas correntes de opinião que compõem o partido, cada vez mais uma frente de ideias inconciliáveis, chama atenção a tendência “Chapa Virar à Esquerda! Reatar com o Socialismo!”. Apesar de rolar pela internet, vertendo ódio e radicalismo revolucionário extremos, as sugestões deste grupo não constam da página oficial do PT.

As delirantes propostas atribuem o fracasso administrativo e gerencial dos mais de doze anos do partido no poder a uma suposta inclinação à direita, o que só ocorreu no atual mandato, por absoluta necessidade de a presidente evitar o caos total na economia do país.

Culpando o capitalismo pelas desgraças que produziram, propõem uma retomada das propostas originais do partido na busca do socialismo, como se tivessem feito outra coisa que não fosse procurar implantá-las no Brasil e apoiá-las nos países vizinhos.

A implementação do sugerido no documento só pode ser feito por meio de um golpe de estado, com o fechamento do Congresso.

Não pretendemos aqui analisar todo o documento, que pode ser encontrado na Internet. É leitura longa e desagradável, mas importante para que se saiba quem são os verdadeiros “golpistas”.

Dizer que se trata de proposta de grupo radical não convence, pois grande parte do núcleo duro do PT assim pensa, inclusive Lula, segundo declarações do próprio no Fórum de São Paulo – aquele que não existia.

É imprescindível que a sociedade e sua vigilante imprensa não ignorem a realidade, mesmo com o fim do socialismo no Brasil, confirmando as palavras de M. Thatcher: “o socialismo só dura enquanto dura o dinheiro dos outros”.

Com o tesouro quebrado, as principais empresas demolidas, o desemprego e a inflação disparando, não há como pretender aplicar agora ideias socialistas em nosso país, pois não há dinheiro dos outros (dinheiro público) para dissipar.

Gen Clovis Purper Bandeira / Editor de Opinião do Clube Militar

JOSÉ ANÍBAL: COMO MENTEM




Por JOSÉ ANÍBAL


Raras vezes a manipulação, a bravata, o engodo e o falseamento da realidade tiveram um peso tão determinante na agenda de um governo e na imagem pública que ele projeta



No dia 17 de abril, depois da prisão do tesoureiro João Vaccari Neto, o diretório nacional do Partido dos Trabalhadores anunciou que deixaria de receber doações de empresas. Mas na quinta-feira passada, dia 7 de maio, o jornal Valor Econômico revelou que os diretórios estaduais do PT seguem buscando ajuda de empresários para quitar dívidas de campanha.

"A dívida foi contraída antes da decisão do diretório nacional do partido de vetar doações empresariais privadas", disse um dirigente do PT baiano, cujas dívidas chegam a R$ 12,5 milhões. No Ceará, onde resta a pagar R$ 11 milhões, a justificativa foi semelhante: "A decisão de o PT não aceitar mais doações privadas não vale para o que foi contraído em 2014", disse um dirigente.

Por que então o PT deu ênfase à medida em sua propaganda na TV, se já era sabido que seus diretórios não estavam cumprindo o anunciado? Que vantagens pode-se aferir da mentira senão o aprofundamento do descrédito do mentiroso? Basta ver a resolução de expulsar do partido os corruptos. Depois da volta triunfal de Delúbio Soares, quem acredita no corte da própria carne?

Atribui-se a Maquiavel a funcionalidade política da mentira. Ao franquear ao príncipe a licença para utilizar meios excepcionais, desde que os fins se justificassem, Maquiavel deu à mentira, encarada como audácia e cálculo, um estatuto de virtude. O ato de mentir confundir-se-ia com as razões de Estado. Seria algo como um atalho para o consentimento.

As mentiras dos príncipes do petismo, todavia, fariam o politólogo florentino corar. É difícil lembrar de outro grupo político que tenha enganado seus eleitores de forma tão sistemática. Raras vezes a manipulação, a bravata, o engodo e o falseamento da realidade tiveram um peso tão determinante na agenda de um governo e na imagem pública que ele projeta. A credibilidade chegou a zero.

Como se vê, a miséria acabou. A conta de energia caiu. A inflação está controlada. O PAC acelerou o crescimento e o investimento decolou. Os juros são os mais baixos da história. As contas públicas estão em ordem. O pré-sal lançou o Brasil ao primeiro mundo. Ninguém combateu tanto a corrupção. O mensalão nunca existiu. As doações são todas legais. A pátria educadora está aí.

O completo descrédito de Dilma com a população e a indisfarçável objeção do sistema produtivo ao governo resumem o quanto fez mal ao país a desmoralização continuada. Não tanto pelos resultados do Planalto, que o Brasil vai reverter, mas pelo deboche com os anseios da sociedade. A mentira desmobiliza e despolitiza, e nunca precisamos tanto da participação.

Como engajar a sociedade com esse exemplo que vem de cima? É tanta mentira que o governo se resume a falsear o presente para fazer crer que os engodos passados se realizaram. Por isso, a inconfidência do companheiro Mujica, segundo o qual Lula teria dito que o mensalão era "a única forma de governar o Brasil", não surpreendeu a ninguém. No reinado petista, a verdade é um bem escasso.

ADOLFO SACHSIDA: O Brasil a Dois Passos da Ditadura






Peço que leiam esse post com atenção. Peço que enviem esse post a deputados e senadores. Nosso país está a dois passos da ditadura, e tais passos estão prestes a serem dados.

Passo 1) Aprovar o petista Fachin para o STF: a população brasileira é majoritariamente contra o MST, contra a invasão de propriedade privada. Fachin já defendeu o MST, Fachin defende a desapropriação de terras produtivas. Aprovar o nome do petista Fachin para o STF é o primeiro passo em direção a ditadura.

Passo 2) Negar o pedido de impeachment: 61% da população brasileira são a favor do impeachment de Dilma. Os indícios de corrupção se avolumam, a irresponsabilidade fiscal do passado segue punindo o povo brasileiro, e o aparelhamento do Estado segue a pleno vapor. Negar o pedido de impeachment é ferir de morte as duas maiores manifestações populares da história brasileira.

Claro que existem outros problemas no Brasil, as urnas eletrônicas entre elas. Mas os dois pontos levantados acima contam com MACIÇO APOIO POPULAR. Se nem nesses dois casos conseguirmos prevalecer é porque o governo já não segue mais as vozes da democracia e do decoro.

Aprovar Fachin para o STF e negar o pedido de impeachment de Dilma abrirá o Brasil para a implantação de uma ditadura. Restará apenas saber se será uma ditadura bolivariana de esquerda ou uma ditadura a la 1964. Mas para os defensores da democracia será apenas mais uma ditadura, mais restrições a liberdade, mais retrocesso.

Pelo bem da democracia brasileira, peço que os deputados e senadores da República não nos empurrem para a escuridão da falta de direitos políticos, para a noite negra da ditadura. Dia 27/05, quarta-feira, junte-se a nós em Brasília. Venha participar da entrega do pedido de impeachment da presidente Dilma. Caravanas de todo Brasil virão para cá, chame seus amigos e venha defender a democracia, talvez você não tenha outra chance.


EMBRAPA: Febre aftosa, estamos no caminho certo


Vanessa Felipe de Souza
Pesquisadora da Embrapa Gado de Corte (Campo Grande, MS)

O mês de maio traz consigo uma nova etapa de vacinação contra a febre aftosa. Embora a campanha não seja exatamente uma novidade para a grande maioria dos criadores, nunca é demais relembrar alguns pontos que fazem toda a diferença para que o processo de vacinação tenha sucesso sem maiores contratempos.
Nesse sentido, o planejamento é essencial, pois como a campanha é regionalizada, o produtor deve estar atento para não perder o período estipulado, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para a sua região ou estado, para realizar a vacinação. Por questões epidemiológicas, na maioria das regiões as campanhas ocorrem em duas etapas e para diferentes categorias, sendo mais comum ser dividida em animais de até 24 meses, ou em todo o rebanho, a chamada “etapa cheia” ou “mamando a caducando”. Essa ordem pode variar entre as campanhas, conforme decisão do Mapa.
A conservação da vacina é outro ponto crítico no processo. É fundamental se certificar que a vacina esteja refrigerada, entre 2°C e 8°C, desde a compra até o momento da aplicação nos animais. Isso pode ser feito mantendo os frascos em caixas térmicas com três partes de gelo reutilizável e uma parte de vacina, durante o transporte até o momento da aplicação. Para percursos longos é recomendado levar caixas térmicas com gelo reutilizável adicional para reposição. Na propriedade, o mais indicado é que os frascos fiquem armazenados, até o uso, em um refrigerador com termômetro que indique máxima e mínima temperaturas e que não seja aberto frequentemente.
A febre aftosa é uma doença que afeta animais de casco bipartido, como por exemplo, bovinos, búfalos, suínos, caprinos, ovinos e animais silvestres de casco fendido, mas somente devem ser vacinados bovinos e búfalos, sempre com 5 mL de vacina, independente da idade do animal, conforme o calendário de vacinação do Ministério. O local de escolha para aplicação é a tábua do pescoço, mas a vacina pode ser aplicada tanto no músculo (intramuscular) quanto embaixo da pele (subcutânea).
Destaca-se ainda a contribuição de uma boa higiene no resultado final, pois a condição de limpeza do local escolhido para aplicar a vacina, o asseio das mãos do vacinador, a condição das pistolas e a utilização de agulhas limpas, em bom estado de conservação e trocadas frequentemente (a cada 10 animais ou a cada preenchimento da pistola), pode evitar a formação de reações vacinais exacerbadas.
Não menos importante, se deve assegurar que o rebanho esteja saudável, descansado e seja manejado de forma tranquila, de preferência nas horas mais frescas do dia, respeitando seu comportamento natural e assim oferecendo condições para que expresse seu melhor potencial imunológico. É o chamado efeito protetor do rebanho, que pode ser definido como a resistência da população à introdução ou disseminação do agente infeccioso. Por isso é essencial que cada produtor faça a sua parte, pois se apenas um deixar de vacinar todos perdem.
Apesar das perdas severas na produção de carne e leite, a principal perda causada pela febre aftosa é comercial, pela imposição de barreiras comerciais às regiões onde ocorreu o foco, com incalculáveis prejuízos econômicos e sociais. É uma doença que não respeita fronteiras e os países só estarão tranquilos quando todos os vizinhos estiverem certificados como áreas livres com ou sem vacinação. O Brasil, com seus 208 milhões de cabeças, maior exportador de carne bovina e o segundo maior produtor está trabalhando intensamente para tornar isso uma realidade.
Vale notar que é em virtude do esforço conjunto e contínuo de diferentes atores, em campanhas passadas, bem sucedidas, que podemos comemorar nove anos sem a ocorrência de focos de febre aftosa no Brasil. Portanto, as expectativas e resultados positivos de uma “etapa de maio” refletem em todos os elos da cadeia pecuária bovina, culminando no consumidor final. Faça sua parte!


Informações:  Kadijah Suleiman
Jornalista, MTb RJ 22729JP
Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)
Embrapa Gado de Corte
Campo Grande/MS
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)
Telefone: +55 (67) 3368-2203 

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog