A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quarta-feira, junho 20, 2018

Sakata destaca novas variedades de hortaliças e flores para o mercado sul-americano


 
Novidades serão destaques durante a Hortitec 2018 e prometem ser sucesso entre os produtores e consumidores

No ano de seu cinquentenário, a Sakata destaca quatro novidades de seu portfólio, que reforçam o pioneirismo da companhia no desenvolvimento de produtos que atendem às características de produção nacionais, bem como as novas demandas do mercado brasileiro. A empresa trará, durante a maior feira técnica de horticultura da América Latina neste ano – a Hortitec 2018, quatro produtos recém-lançados, que já estão disponíveis para comercialização.

A primeira novidade que é um dos destaques da empresa neste ano é a alface crespa Jade, que possui alta crespicidade e um grande volume de folhas, ideais para atender o padrão demandado pelo mercado consumidor. Além disso, por possuir folhas praticamente do mesmo tamanho, Jade é ideal para atender o mercado de alfaces higienizadas e/ou processadas, pois facilita o processo de embalamento para comercialização. Possui ainda um pacote de resistências diferenciado, podendo ser cultivada tanto em campo aberto, quanto em sistema hidropônico. Possibilita ainda flexibilidade na colheita, já que as plantas mantêm o padrão comercial por muito mais tempo.

Outras duas variedades são os pimentões retangulares Camaro (Amarelo) e Taurus (Vermelho), pioneiros no mercado por possibilitarem reduções significativas das aplicações de defensivos durante a produção, graças ao pacote inovador de resistências a oidiopsis e PVY, que afetam a cultura. Ambas as variedades oferecem ainda ótima produtividade em diferentes condições de clima e solo, além de frutos uniformes, com paredes grossas e grande durabilidade pós-colheita. Os produtos são resultados de muitos anos de pesquisas em melhoramento genético convencional, sendo considerados, atualmente, as melhores opções para produtores e consumidores, que buscam frutos de maior qualidade e segurança alimentar.

Já no segmento de flores, o destaque do portfólio da empresa neste ano é a Platycodon – A Star. A variedade Platycodon grandiflorus, que significa "sino largo" em grego, é uma herbácea originária da região oeste da Ásia (Japão, China, Coréia), pertencente à família da Campanulaceae. Ela é conhecida também, popularmente, como "flor balão", devido ao formato dos seus botões, muito semelhantes ao de graciosos balões. Já ao desabrocharem, suas pétalas adquirem um formato de estrela, com duração da florada durante duas a três semanas. Disponível em três cores: roxo, branco e rosa, a variedade é considerada símbolo de "amor eterno", podendo ser cultivada em vasos, cuias, floreiras, com ótima adaptação tanto em ambientes internos, quanto externos.

Durante a 25ª edição da Hortitec, a Sakata apresentará ainda muitas outras novidades, pertencentes à "Coleção do Cinquentenário", selecionadas em homenagem ao ano comemorativo da empresa, além de outras já consagradas.


SERVIÇO
Sakata na Hortitec 2018
Data: 20 a 22 de junho de 2018
Horário: das 9h às 19h, e no dia 22 de junho, das 9h às 17h.
Local: Recinto da Expoflora | Alameda Maurício de Nassau, 675 – Holambra (SP)
Estande: nº 24 - localizado no Pavilhão Verde

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
MyPress & Co.
imprensa@mypress.com.br
(19) 3304-6622 | 3304-4833

Jornalistas Responsáveis:
Isabella Monteiro
isabella@mypress.com.br
(19) 9 7410-1620

Daniela Mattiaso
daniela@mypress.com.br
(19) 9 8291-9444






terça-feira, junho 19, 2018

Campanha AlimentAção + Salada incentiva maior consumo de hortaliças pela população brasileira


Liderada pela principal entidade que representa o setor de sementes e mudas de hortaliças no país, ação pretende congregar empresas em prol de uma alimentação mais rica em verduras e legumes

A Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM), entidade que representa mais de 98% do setor sementeiro hortícola nacional, acaba de lançar uma nova campanha institucional intitulada: AlimentAção + Salada. O projeto liderado pela entidade visa estimular e promover uma maior conscientização da população sobre a importância do aumento da ingestão de hortaliças diariamente, para uma rotina alimentar saudável e prevenção contra o acometimento de doenças graves. Atualmente, os brasileiros consomem apenas 1/3 da quantidade ideal recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – que é de 400 gramas por dia.

A campanha promovida pela ABCSEM contemplará um logotipo desenvolvido especialmente para o projeto, além de peças publicitárias sobre o tema, reforçando o objetivo da ação, que além de promover a importância das hortaliças para a saúde, também contribuirá para o fortalecimento da cadeia produtiva hortícola no país. Para a divulgação do material produzido para a campanha, a entidade contará com a participação das empresas associadas e de outras companhias e instituições do setor que tiverem interesse em difundir a proposta e aplicar a logomarca em seus portfólios institucionais e/ou publicitários.

"O objetivo em atuarmos de forma conjunta neste projeto é estimular os associados e parceiros da entidade a utilizarem os materiais gráficos desenvolvidos para a campanha em suas peças institucionais e/ou de marketing, a fim de difundir o conceito da ação para colaboradores, fornecedores e demais stakeholders, visando impulsionar o aumento do consumo de hortaliças no Brasil", enfatiza Paulo Koch, presidente da ABCSEM.

O lançamento oficial da nova campanha institucional da ABCSEM, AlimentAção + Salada, ocorrerá durante a Hortitec 2018, que acontecerá entre os dias 20 e 22 de junho, em Holambra (SP). Na ocasião, os participantes poderão obter mais informações sobre esta iniciativa junto aos profissionais da entidade, bem com conferir os materiais e peças sobre a campanha que estamparão o layout do estande.

Mais detalhes sobre o regulamento para participar da campanha AlimentAção + Salada podem ser obtidos por meio do e-mail abcsem@abcsem.com.br e/ou por telefone (19) 3243-647.

Acesse também o site da associação –
www.abcsem.com.br

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
MyPress & Co.
imprensa@mypress.com.br
(19) 3304-6622 | 3304-4833

Jornalistas Responsáveis:
Isabella Monteiro
isabella@mypress.com.br
(19) 9 7410-1620

Daniela Mattiaso
daniela@mypress.com.br
(19) 9 8291-9444





segunda-feira, junho 18, 2018

Sakata comemora 50 anos na Hortitec e reforça liderança em genética para clima tropical


Na feira, empresa apresentará novas variedades de hortaliças e flores e retratará os principais marcos de sua trajetória na América do Sul
Presente na Hortitec desde sua primeira edição, a Sakata, multinacional japonesa de sementes de hortaliças e flores, celebrará o cinquentenário de sua atuação na América do Sul nesta 25ª edição da feira.  Durante o evento, que acontecerá entre os dias 20 e 22 de junho, em Holambra (SP), a empresa retratará em um estande temático, os principais marcos históricos de seu pioneirismo no desenvolvimento de variedades com genética adaptada para o clima tropical.

A participação da Sakata na maior feira técnica de horticultura da América Latina deste ano terá ainda como destaque o lançamento de sete novas variedades de hortaliças, denominadas como "Coleção do Cinquentenário", em homenagem ao ano comemorativo da empresa, desenvolvidas especialmente para as condições tropicais de cultivo. São elas: Alface Jade, Mini Couve-chinesa Sayuri, Couve-flor Nívea, Pimenta Doce Don Santino, Melancia Estona, Beterraba Gloria e Rabanete Ready. No segmento de Flores, a Sakata também promoverá o lançamento de seis novas variedades de flores, destinadas para os segmentos de Corte e de Vaso. São elas: Platycodon, Lisianthus Maria Snow, Lisianthus Robella 2 Pure White, Lisianthus Robella 2 Green, Lisianthus Rosanne 2 Green e Lisianthus Echo Purple.

Dentre os diferenciais destes produtos estão maior resistência e segurança na produção a campo, bem como alto índice de produtividade, importantes elementos que impactam diretamente na qualidade e disponibilidade de oferta destas variedades para o mercado e, consequentemente, na maior lucratividade para o produtor.

"A Sakata Seed Sudamerica está em constante evolução, investindo sempre no melhor desempenho de suas sementes, por meio de um forte trabalho de pesquisa, com o objetivo de oferecer ao mercado o que há de mais inovador, sem perder a tradicional qualidade e segurança de seus produtos, que conquistaram a confiança do produtor ao longo destes 50 anos de história", enfatiza Paulo Koch, Diretor de Marketing da Sakata.

No local do evento, os visitantes poderão conferir também toda a linha de produtos já consagrados do portfólio da empresa, além de solicitar orientações e esclarecer dúvidas junto à equipe técnica, que ficará à disposição ao longo de toda a programação do evento para atendimento.

SERVIÇO
Sakata na Hortitec 2018
Data: 20 a 22 de junho de 2018
Horário: das 9h às 19h, e no dia 22 de junho, das 9h às 17h.
Local: Recinto da Expoflora | Alameda Maurício de Nassau, 675 – Holambra (SP)
Estande: nº 24 - localizado no Pavilhão Verde

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA
MyPress & Co.
imprensa@mypress.com.br
(19) 3304-6622 | 3304-4833

Jornalistas Responsáveis:
Isabella Monteiro
isabella@mypress.com.br
(19) 9 7410-1620

Daniela Mattiaso
daniela@mypress.com.br
(19) 9 8291-9444




CNC - Balanço Semanal de 11 a 15/06/2018



BALANÇO SEMANAL — 11 a 15/06/2018

Principais entidades do agro definem Plano de Estado – Brasil 2030, que conta com as propostas do setor que serão entregues aos candidatos à Presidência


CONSELHO DO AGRO — Na quinta-feira, 14, participamos da 14ª Reunião do Conselho das Entidades do Setor Agropecuário – Conselho do Agro, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Entre outros pontos, debatemos os itens que comporão a versão final do documento Plano de Estado – Brasil 2030, com base em levantamentos técnicos da Embrapa e da proposta de política agrícola do Ministério da Agricultura, para ser encaminhado aos candidatos à Presidência da República como propostas do setor até 2030.

O trabalho vem sendo desenvolvido sobre seis eixos: (i) fundamentos; (ii) mercado; (iii) inovação; (iv) sustentabilidade; (v) governança; e (vi) imagem. O presidente do CNC, deputado Silas Brasileiro, entende que esse documento é um projeto de extrema relevância para a formulação das políticas dos futuros candidatos, permitindo que as necessidades do agro do Brasil possam ser atendidas e contribuam para o seu crescimento de forma sustentável.

No que se refere aos fundamentos, as principais entidades do setor no País voltam a atenção para 'Cenários do Agro face à demanda global 2030', 'Macroeconomia e Reformas' e 'Segurança Jurídica'. Competição Internacional e Logística, envolvendo transporte e armazenagem, são os focos relacionados a mercado, ao passo que o eixo inovação apresentará propostas vinculadas a tecnologia e inovação no agro, indústria, defesa agropecuária e gestão.

Em relação à sustentabilidade, as propostas foram elaboradas considerando os sistemas de produção no País e a agroenergia. Já a governança foi edificada sobre associativismo e cooperativismo e políticas agrícola e agrária. Consideramos que o material que vem sendo finalizado é construído sobre um pilar muito robusto e que proporcionará ao Brasil se consolidar como a principal potência do agro internacional, à medida que transmitiremos à população mundial a imagem de que o agronegócio é de todos.

Acreditamos, ainda, que esse documento, embasado técnica e cientificamente, servirá para o convencimento da importância do agro na política nacional, seja na geração de empregos ou no superávit da balança comercial, focando no que vamos produzir até 2030, diante dos desafios de como escoar essa produção com a precariedade das estradas e a deficiência portuária, diante da burocracia existente, a conquista de novos mercados e a legislação trabalhista, ambiental e fiscal, sem uma revisão responsável que não penalize o setor.

Entendemos, por fim, que as entidades do agro brasileiro criaram uma visão conjuntural da atualidade e traçaram um diagnóstico, com norte e metas, de maneira que os temas abrangidos sirvam de estratégias para alcançarmos os objetivos de longo prazo e de forma sustentável, transformando-nos no campeão mundial da segurança alimentar, à medida que o setor conte com garantias de financiamento e seguro agrícola.

MERCADO — Os contratos futuros do café encerram a semana com tendência baixista, em pregões marcados por pouca volatilidade. Antes do início do período de notificação de entrega do vencimento julho/18 na ICE US, observa-se que as rolagens de posição vão findando.

O vencimento setembro/18 do café arábica negociado na Bolsa de Nova York acumulou perdas de 155 pontos na semana, encerrando a sessão de ontem a US$ 1,1795 por libra-peso. Já na ICE Futures Europe, o vencimento setembro do café robusta foi negociado a US$ 1.701 por tonelada, com recuo semanal de US$ 11.

A força do dólar no exterior, como reflexo de uma economia mais forte nos Estados Unidos após o Federal Reserve (Fed) ter elevado os juros, prejudicou o desempenho das commodities.

A divisa foi impulsionada, também, por indicadores acima do esperado nos EUA, como as vendas no varejo, e pelo fato de a CNBC divulgar que o governo de Donald Trump deve impor tarifas a uma lista de 800 a 900 produtos chineses.

No Brasil, a moeda acompanhou o desempenho internacional e se valorizou em 2,8%, encerrando a sessão de quinta-feira a R$ 3,8119. Segundo analistas, os players estão verificando qual a força do Banco Central ao 'peitar' o mercado com suas intervenções. Por ora, a oferta de swaps é intensa e a impressão passada é que tem sido suficiente para controlar a cotação, mas não há certeza se esse cenário permanecerá.

Em relação ao clima, uma frente fria causou chuva e ventania no Paraná e se encontra situada no Sudeste, porém sem risco para o cinturão cafeeiro da Região, segundo a Somar Meteorologia. O serviço informa que esse sistema trouxe chuva para São Paulo e Sul de Minas Gerais, mas em pequenos volumes.

A Somar também comunica que a ocorrência de precipitações permanecerá em todas as áreas produtoras do Sudeste. Entre hoje e domingo, uma massa de ar polar que acompanha a frente fria derruba as temperaturas, mas, como há existência de muitas nuvens, não há risco de geadas nas regiões produtoras.

No mercado físico, com a força do dólar, os preços dos cafés arábica e robusta não seguiram o desempenho internacional e subiram. Para a primeira variedade, como a moeda americana oscilou bastante, os agentes ficaram distantes do spot e os negócios ficaram lentos. Já para o conilon notou-se uma leve melhora na liquidez, com vendedores mais ativos.

Os indicadores calculados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para as variedades arábica e robusta foram cotados a R$ 465,92/saca e a R$ 342,21/saca, registrando valorizações de 1,4% e 1,8% respectivamente.


Atenciosamente,
 
Deputado Silas Brasileiro
Presidente Executivo
CNC - Sede Brasília (DF)
SCN Qd. 01, Bloco C, nº 85, Ed. Brasília Trade Center - Sala 1.101 - CEP: 70711-902
Fone / Fax: (61) 3226-2269 / 3342-2610
E-mail: imprensa@cncafe.com.br

sexta-feira, junho 08, 2018

CNC - Balanço Semanal de 04 a 08/06/2018


BALANÇO SEMANAL — 04 a 08/06/2018

Plano Agrícola e Pecuário confirma R$ 4,96 bilhões do Funcafé na safra 2018, redução de juros e traz novidades nas operações

PLANO AGRÍCOLA E PECUÁRIO — Na quarta-feira, 6 de junho, o Governo Federal anunciou o Plano Agrícola e Pecuário 2018/19, destacando a sustentabilidade do agronegócio brasileiro que, nos últimos 26 anos, mais do que triplicou sua produção, alcançando 232,6 milhões de toneladas, enquanto a área plantada sequer duplicou de tamanho, situando-se em 61,5 milhões de hectares, o que evidencia a capacidade do produtor ao investir em pesquisa, tecnologia e, principalmente, em preservar sua principal fonte de renda, que é o meio ambiente.

O volume total de recursos programados é de R$ 194,3 bilhões, implicando alta de mais de 3% em relação aos R$ 188,4 bilhões anteriores. Desse montante, R$ 191,1 bilhões são para o Crédito Rural (R$ 153,7 bilhões a juros controlados e R$ 37,4 bilhões a juros livres), R$ 600 milhões para Seguro Rural e R$ 2,6 bilhões para apoio à comercialização (AGF, Opções, PEP, Pepro). O Plano também apresentou redução para todas as taxas de juros, conforme tabela abaixo.

FUNCAFÉ 2018 — No caso específico da cafeicultura, o Governo confirmou os R$ 4,96 bilhões do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira solicitados pelo Comitê Diretor de Planejamento Estratégico do Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), em 8 de fevereiro, quando o CNC alinhou o posicionamento do setor privado junto às demais lideranças da cadeia produtiva para que fossem elevados os recursos destinados à linha de Custeio e, consequentemente, o total. Dessa maneira, a distribuição dos recursos do Fundo para a safra 2018 ficou da seguinte forma:

i) R$ 1,862 bilhão para a linha de financiamento de Estocagem;
ii) R$ 1,100 bilhão para Custeio;
iii) R$ 1,063 bilhão ao Financiamento para a Aquisição de Café (FAC);
iv) R$ 925,2 milhões para Capital de Giro
         - R$ 425,2 milhões às Cooperativas de Produção
         - R$ 300 milhões às Indústrias de Torrefação
         - R$ 200 milhões às Indústrias de Solúvel
v) R$ 10 milhões para a linha de Recuperação de Cafezais Danificados

Em relação aos juros do Funcafé, as taxas acompanharam a redução observada nas demais linhas do Plano Agrícola e Pecuário, recuando de 8,5% para 7% ao ano no caso de Custeio, Estocagem e FAC Cooperativas e de 11,25% para 9,5% ao ano nas linhas de Capital de Giro e FAC (com exceção às cooperativas).
NOVIDADES
— Taxa pós-fixada: entre as novidades apresentadas pelo Governo no PAP 2018/19 relacionadas ao Funcafé está a opção dada ao produtor pela taxa de juros pós-fixada para operações com prazo acima de 12 meses. O cálculo toma como base, nesse caso, a variação do IPCA do período de contratação até o do vencimento, acrescido de até 1,28% para Custeio, Estocagem e FAC Cooperativas. Para as linhas de Capital de Giro e FAC – exceto cooperativas –, o fator é de até 3,67% mais a variação do IPCA no intervalo.

— Remuneração do Funcafé e spread: a partir deste ano, o Funcafé será remunerado em 4%, com o spread bancário sendo definido pela diferença entre esses quatro pontos percentuais e a taxa de juros estipulada no empréstimo. Entendemos que essa novidade é fundamental para aumentar a flexibilidade do agente financeiro na negociação com os mutuários.

— Prazo de contratação: também a partir deste ano, todas as linhas de financiamento do Funcafé terão prazo de contratação vigente por um ciclo de 12 meses, com o período sendo aberto em 1º de julho de 2018 e fechado em 30 de junho de 2019.

QUESTÕES TRABALHISTAS — Conforme anunciamos em nosso boletim anterior, causou surpresa e indignação a decisão do Comitê de Peritos da Organização Internacional do Trabalho (OIT), tomada durante a 107ª Conferência da entidade, em Genebra, na Suíça, que inseriu o Brasil como o 15º país na lista curta das nações que seriam investigadas por não respeitarem os direitos trabalhistas.

Contudo, na quinta-feira, 7 de junho, a alegação dos peritos para inclusão do Brasil na "short list", de que o país supostamente teria problemas relacionados ao cumprimento dos termos da Convenção nº 98, que se refere a direito de sindicalização e negociação coletiva, com a aprovação da Reforma Trabalhista, foi revista.

Em seu relatório final, a Comissão de Normas da OIT reconheceu que o caso do Brasil foi analisado fora do ciclo regular de apresentação de memórias da Organização, com a decisão tendo sido tomada de forma equivocada. Assim, os membros desse comitê recomendaram ao governo brasileiro que preste informações a respeito da negociação coletiva livre e voluntária na nova legislação trabalhista e que as submeta à consulta tripartite até novembro de 2018.

INSCRIÇÃO NO CAR — Na terça-feira, 5 de junho, o Conselho Monetário Nacional (CMN) prorrogou, em reunião extraordinária, de 1º de junho de 2018 para 1º de janeiro de 2019 o prazo para o cumprimento da obrigatoriedade de apresentação de recibo da inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR) quando da concessão de crédito rural para o financiamento de atividades agropecuárias.

O CMN também prorrogou, para até 31 de dezembro deste ano, o prazo da excepcionalidade para substituição do CAR, no Bioma Amazônia, por declaração individual do interessado, atestando o cumprimento do previsto na Lei nº 12.651, de 2012, relativo à existência ou à recomposição ou regeneração de Área de Preservação Permanente (APP) e de Reserva Legal (RL).

MERCADO — O mercado internacional de café viveu uma semana de pressão sobre as cotações, à medida que a disparada do dólar contribuiu para a baixa. Ontem, a divisa norte-americana ganhou força na comparação com as moedas de países emergentes, principalmente frente ao real, e os investidores se afastaram de ativos de risco, recorrendo à segurança de títulos da dívida dos Estados Unidos.

Internamente, notou-se uma queda generalizada nas ações de empresas brasileiras, com investidores liquidando posições, o que elevou o dólar a quase R$ 4,00. O Banco Central realizou intervenções injetando recursos, mas sem muito êxito. No fechamento de ontem, a moeda foi cotada a R$ 3,9258, acumulando ganhos de 4,2% sobre o real na semana.

A colheita no Brasil começa a encorpar, mas o cenário de escoamento é nebuloso devido à conjuntura logística no País. O setor produtivo nacional e os caminhoneiros estão analisando valores para o frete, porém ainda não há consenso, o que não afasta a possibilidade de uma nova greve dos motoristas.

Em relação ao clima, uma frente fria avança para o Espírito Santo e a chuva diminui consideravelmente na Região Sudeste, limitando-se a Rio de Janeiro, Espírito Santo e leste de Minas Gerais, mas com fraca intensidade, segundo a Somar Meteorologia.

Para as demais regiões produtoras, o serviço meteorológico informa que o sol predominará. Contudo, no domingo, a Somar aponta o retorno de fortes precipitações em São Paulo devido a áreas de instabilidade, as quais darão origem a uma frente fria que chega ao Sudeste na segunda-feira, dia 11.

Na Bolsa de Nova York, o contrato futuro do café arábica com vencimento em julho/18 acumulou perdas de 705 pontos, negociado a US$ 1,1570 por libra-peso. Na ICE Futures Europe, o vencimento julho/18 do conilon encerrou a sessão de quinta-feira a US$ 1.733 por tonelada, com declínio de US$ 17 frente ao fechamento da semana passada.

Ontem, conforme o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), os preços dos cafés arábica e robusta se valorizaram no Brasil, puxados pela força do dólar. Por outro lado, a queda internacional gerou incertezas, o que mantém a maioria dos agentes afastados do mercado.

Os indicadores calculados pela instituição para as variedades arábica e conilon foram cotados, na quinta-feira, a R$ 465,92/saca e a R$ 342,21/saca, com valorizações de 1,4% e 1,8%, respectivamente, na comparação com o fechamento da semana antecedente.



Atenciosamente,
 
Deputado Silas Brasileiro
Presidente Executivo
CNC - Sede Brasília (DF)
SCN Qd. 01, Bloco C, nº 85, Ed. Brasília Trade Center - Sala 1.101 - CEP: 70711-902
Fone / Fax: (61) 3226-2269 / 3342-2610
E-mail: imprensa@cncafe.com.br

Arquivo do blog