A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

terça-feira, agosto 08, 2017

DEFESANET: PT e grupos Irregulares enviam militantes para a Venezuela

A presidente do Partido dos Trabalhadores no Foro de São Paulo, 17 Julho 2017. Foto - @Gleisi

Grupos de brasileiros ligados ao PT, movimentos irregulares (MST e MTST), e a partidos de esquerda são financiados para irem à Venezuela

O Partido dos Trabalhadores (PT), organizações sindicais de extrema esquerda e movimentos sociais como o MST e MTST, entre outros, estão financiando militantes para seguirem até a Venezuela. A intenção é apoiar e dar suporte, inclusive no reforço das milícias, ao governo de Maduro contra as manifestações pela deposição do presidente. As informações são dos serviços de inteligência do Brasil. (Nota - DefesaNet sempre adotou a terminologia de que estes movimentos são Irregulares, definição de “Guerra Irregular – não convencional” do Prof von der Heydte)

Essas caravanas estão seguindo de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Estados do Nordeste onde estão os principais redutos petistas. A organização do movimento em solidariedade e apoio à revolução bolivariana na Venezuela tem entre seus articuladores o próprio ex-presidente do Brasil e presidente de honra do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula, que tem mantido contatos diários com o presidente Maduro.

O pronunciamento da presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann em favor do governo bolivariano na Venezuela e denominando de golpe da direita reacionária as manifestações de rua, que já levaram a mais de 120 mortes nos últimos meses. O pronunciamento foi um chamado geral para que a militância seguisse para a Venezuela.

"Apoio e solidariedade ao governo do PSUV [Partido Socialista Unido da Venezuela], seus aliados e ao presidente Maduro frente à violenta ofensiva da direita", disse a senadora do Brasil na abertura do 23º encontro do Foro de São Paulo. O encontro foi usado para uma ampla articulação para apoiar o governo Maduro e preparar uma ofensiva, inclusive em diversos países, pela revolução socialista. A Bolívia foi o primeiro país a se movimentar neste sentido.


Mensagem do líder do MST João Pedro Stedile, em apoio à Assembleia Constituinte realizada no dia 30 Julho,  publicado na página do movimento, em 28 Julho no Facebook 


O governo de Maduro montou diversas milícias armadas, extremamente violentas (chamados de “Colectivos”), que tem promovido um toque de recolher em Caracas e outros grandes centros do país. Um levante de militares contra o governo foi contido com extrema violência no último final de semana (Ver Comunicado da Fuerza Armada Nacional Bolivariana Link).

Maduro determinou que seus seguidores, os quais estão armados com equipamentos leves, de uso exclusivamente militar, adquiridos numa mega negociação com a Rússia ainda no governo Chaves, e mais recentemente com a China, promovam o fechamento de jornais, rádios e programas de televisão de cunho jornalístico.

As comunicações telefônicas estão sendo vigiadas e na capital há o movimento de recolha de aparelhos de telefones celulares. As milícias, que já contam com a presença de brasileiros de esquerda, promovem verdadeiros ‘arrastões’ na cidade e invadem lojas confiscando os aparelhos. O objetivo é isolar totalmente o país. A internet está sendo cortada, outra tática é restringir ao mínimo a banda tornando difícil o acesso e comunicação, seu uso monitorado pelos milicianos e integrantes do governo.

Portugal tem tentado retirar seus cidadãos que vivem na Venezuela de forma emergencial. Os cidadãos com moedas estrangeiras estão sendo presos e os valores confiscados. As ‘mulas’ que estão levando venezuelanos para outros países estão cobrando em dólares. As polícias foram unificadas sob um só comando e o serviço militar é obrigatório, para todos os adolescentes a partir de 17 anos, sem distinção de sexo. Os padres e pastores estão sendo expulsos do país, assim como os líderes de atividades assistenciais existentes.

Os números do Tribunal de Contas da União (TCU), apontam que 99% dos empréstimos ficaram com cinco grandes empreiteiras brasileiras, todas envolvidas na Lava-Jato, sendo que a Odebrecht ficou com 82% do total. Os países que mais receberam investimentos foram Angola (R$ 14 bilhões), Venezuela (R$ 11 bilhões) entre 2006 e 2014, feitos pelos governos petistas, e sem previsão de pagamento. O dinheiro, em grande parte, envolvia as empresas que são alvos da operação Lava-Jato.

Os empréstimos feitos para outros países são motivo de polêmica desde o início, quando a oposição passou a acusar os petistas de usar recursos brasileiros para contratar trabalhadores estrangeiros, financiar ditadores, dar dinheiro a financiadores de campanha entre outras críticas.

Lula, o homem forte da Venezuela, Diosdado Cabello e Joesley Batista. Ligações que merecem uma investigação. Visita de Diosdado Cabello ao Brasil, em 2015.

Um fato não investigado foram as negociações do grupo JBS com exportações de carnes para a Venezuela. Em 2015, o homem forte do regime bolivariano, Diosdado Cabello, esteve no Brasil sendo recebido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o próprio Joesley Batista, que organizou um recepção em sua residência.

O governo brasileiro também estuda fechar ou restringir a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), em Foz do Iguaçú. Oficialmente criada, em 2010, para a integração de natureza educativa e cultural, capaz de aproximar os povos da América Latina e do Caribe no governo. Localizada no território internacional da Binacional de Itaipu tem escapado ao controle do governo brasileiro e tem sido usada para a formação de ativistas latino-americanos.

Referência

1 A Guerra Irregular Moderna – Prof Friedrich August Von der Heydte BIBLIEx - 1990

EMBRAPA: Assinatura de contrato dá novo rumo às pesquisas em tuberculose bovina



A Embrapa e a empresa norte-americana Ellie LLC assinaram um contrato que visa o aperfeiçoamento tecnológico e a exploração comercial do kit (Elisa)¸ sigla em inglês para ensaio de imunoadsorção enzimática, para detecção da tuberculose bovina. As duas instituições trabalham juntas, cada uma dentro de sua expertise, desde 2015, na padronização do teste Elisa para disponibilização no mercado.



A empresa de pesquisa brasileira detém a tecnologia de um teste sorológico Elisa baseado em um antígeno quimérico para imunodiagnóstico da tuberculose causada por Mycobacterium bovis, obtido após tentativas iniciadas em 2009, como relatou o imunologista da Embrapa Gado de Corte (Campo Grande, MS) Flábio Ribeiro de Araújo. A Ellie, por sua vez, possui capacidade técnica e infraestrutura adequadas para absorver o conhecimento gerado pelos pesquisadores brasileiros e comercializar os testes, além de produzi-los.



O contrato está elaborado em duas etapas. A primeira relacionada aos processos de aperfeiçoamento, testes industriais e a campo; e a segunda, à produção, propriamente dita, e comercialização do produto, dentro de um plano de negócios.



“Os resultados preliminares da avaliação do teste mostraram-se bastante promissores para o diagnóstico sorológico da tuberculose bovina”, afirma Araújo. O kit em desenvolvimento fornece informações adicionais aos métodos tradicionais de detecção da doença e, segundo o médico-veterinário, em estágios avançados da doença a ferramenta complementará o teste intradérmico, autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).



A tuberculose é uma enfermidade de evolução crônica causada pela bactéria M. bovis e acomete bovinos, caprinos, ovinos, suínos, animais silvestres e também humanos, o que a caracteriza como uma zoonose. Um dos maiores problemas no meio rural é a permanência de animais infectados no rebanho transmitindo a doença aos sadios. O novo kit fornecerá informações adicionais, aumentando a cobertura do diagnóstico.



Outras linhas de pesquisa - O veterinário Flábio Araújo trabalha ao lado de outros pesquisadores brasileiros e do Reino Unido na identificação de características do genoma de M. bovis em isolados do Estado do Rio Grande do Sul e de Mato Grosso do Sul, que possibilitem verificar se há semelhanças entre as mesmas em regiões próximas e as possibilidades de correlações ao trânsito de animais. Eles também estudam a participação de animais silvestres na transmissão da tuberculose bovina.



Nesse trabalho, o atual coordenador do portfólio de sanidade animal da Embrapa tem o reforço da Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Universidade de Glasgow (Escócia), Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro-RS), Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi-RS) e Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro-MS). O projeto já dispõe de um banco de amostras cujos genomas estão em sequenciamento. A expectativa é dar apoio ao Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal do Ministério.





Parte da equipe ainda analisou genomas de M. bovis do Brasil, Argentina e Estados Unidos, e comparou os dados com isolados de diferentes partes do mundo, buscando estabelecer relações filogenéticas entre isolados em escala global. Nessa iniciativa há a parceria da USP, UFMS, Mapa, Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (Argentina), Instituto Biológico de São Paulo, Agricultural Research Service (ARS/USDA/EUA) e Biocomplexity Institute of Virginia Tech (Estados Unidos).

Redação e foto: Dalízia Aguiar (MTb 28/03/14/MS), jornalista Embrapa

Núcleo de Comunicação Organizacional - NCO
Embrapa Gado de Corte
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)
Campo Grande/MS

Telefone: +55 67 3368-2142 / 2144 / 2203



_______________________________________________
cnpgc.imprensa-l site list
_______________________________________________
cnpgc.impressobr-l site list

EMBRAPA: Técnicas em pecuária de cria aprimoram a produção do novilho precoce



Foto: Ériklis Nogueira





Inseminação artificial e estratégias de suplementação diferenciada em bezerros elevaram a prenhez e produziram animais de alto potencial na região do Pantanal em Mato Grosso do Sul. Com o uso dessas técnicas, nasceram bezerros que foram desmamados precocemente, aos 110 dias, e registraram 250 kg aos oito meses de idade, diz o pesquisador Ériklis Nogueira da Embrapa Pantanal. Em condições semelhantes, mas sem essas técnicas, um bezerro cruzado costuma ter cerca de 50 quilos a menos.

Os animais foram obtidos por meio de estratégias produtivas e reprodutivas elaboradas por meio do projeto + Cria, coordenado pela unidade pantaneira de pesquisa da Embrapa dentro do arranjo + Precoce, liderado pela Embrapa Gado de Corte. Os estudos investigam alternativas para aprimorar a produção do novilho precoce desde os primeiros estágios.

“Os objetivos principais do + Cria são aumentar o número de bezerros e sua qualidade”, informa Nogueira. Para isso, a equipe considerou estratégias reprodutivas e de manejo nutricional e sanitário como a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IAFT), Transferência de Embriões em Tempo Fixo (TETF), escolha de genética e estratégias de suplementação dos bezerros. Na IATF, os cios das fêmeas são programados e sincronizados para aumentar a eficiência reprodutiva e, na TETF, o embrião é produzido em laboratório e transferido para as receptoras. “Hoje, estamos conseguindo apresentar alternativas reais de aumento de produção e de qualidade dos animais”, afirma o especialista.

IATF + Cio

Até o momento, cerca de 5.000 vacas foram avaliadas no Pantanal e Planalto de MS; mais de 2.500 foram inseminadas por meio do projeto e os bezerros já nasceram, diz Nogueira. Com o apoio de técnicas como a IATF + Cio, que usa bastões marcadores para determinar o grau do cio das fêmeas e aumentar as chances de prenhez na inseminação, as taxas de prenhez subiram em torno de 20%, de acordo com o pesquisador, afirmando que a técnica é simples, aplicada no momento da inseminação. “Nós observamos que, na IATF, as vacas que apresentam cio têm mais chances de chegar à prenhez. Para identificá-las, fazemos uma avaliação com a tinta dos bastões”, conta.

Nogueira descreve o processo dizendo que ele começa com a aplicação da tinta logo acima do início do rabo dos animais, na região sacrocaudal, após a retirada do implante (um dispositivo intravaginal de liberação de progesterona usado na IATF). Cerca de dois dias depois, no momento da inseminação, os animais são avaliados: as vacas de cio fraco mantêm a marcação de tinta bastante visível em função do pequeno volume de montas. Baixa remoção de tinta é um indicativo de cio médio. Nas vacas de cio forte, a tinta desaparece devido ao maior volume de montas. Essas três situações são classificadas com os scores 1, 2 e 3, respectivamente.

“Geralmente, as vacas com score 1 e 2 recebem uma aplicação do hormônio GnRH – um hormônio liberador de gonadotrofinas, que estimulam o funcionamento dos ovários das vacas.” Para Nogueira, o IATF + Cio é uma forma prática de aumentar as taxas de prenhez, já que não exige grandes alterações no manejo dos animais. “A fase de cria é o primeiro passo, importantíssimo, para definir as etapas da produção eficiente. É muito mais fácil atingir as metas de produção do novilho precoce com uma boa matéria-prima, um bezerro de qualidade com bom material genético”, diz.

Progesterona em blocos

Outra alternativa para melhorar as taxas de prenhez ou a precocidade das fêmeas, fazendo com que ovulem mais cedo, é o uso de progesterona oral fornecida no suplemento dos animais, conta o pesquisador. “Esses hormônios têm um efeito reprodutivo e devem ser fornecidos por meio de ração ou sal mineral. Associamos a progesterona com uma forma de suplementação em blocos, que tem melhor estabilidade, menores perdas com chuvas e menor necessidade de fornecimento – o que é uma vantagem para propriedades de pecuária extensiva, como as do Pantanal.”

De acordo com Nogueira, o produto consiste em um bloco de sal proteinado composto por milho, farelo de soja, sal mineral e outras substâncias misturadas com a progesterona de forma homogênea. O estudo avaliou o fornecimento desses blocos a cerca de 1.500 vacas em propriedades localizadas em três cidades de Mato Grosso do Sul. A estimativa é que cada um desses blocos possa ser consumido por até 30 animais.

Os produtos podem ser fornecidos por seis dias aos animais após a inseminação artificial ou depois da transferência de embriões para aumentar as chances de prenhez. O pesquisador afirma que, nesse caso, foi possível registrar um aumento de até 8% nas taxas de prenhez. Ele diz que também é possível usar os blocos para antecipar o cio de novilhas virgens: fornecendo os produtos por 13 dias, a quantidade de novilhas prenhas no início da estação de monta passou de 57% para até 75%. A porcentagem de cio foi de 23% para até 59% em dez dias.

Opções para beneficiar a reprodução

Além do IATF + Cio e do uso da progesterona em blocos, os pesquisadores envolvidos com o projeto + Cria investigam atualmente outras técnicas para aumentar a eficiência reprodutiva dos rebanhos: a otimização da relação touro-vaca pós IATF, aumentando o número de vacas cobertas pelos touros, a aplicação de vacinas contra doenças reprodutivas (visando a diminuir também a perda de bezerros) e a avaliação de sêmen, buscando identificar parâmetros relacionados à fertilidade – dessa forma, é possível que o produtor tenha uma estimativa do resultado que irá obter se usar determinadas partidas de sêmen.

Há também protocolos nutricionais, que envolvem a desmama precoce e a suplementação dos bezerros com níveis diferenciados, de forma a melhorar seu peso. Ainda de acordo com Nogueira, os animais produzidos por meio do + Cria são destinados a outro projeto dentro do mesmo arranjo, o + Engorda. Na iniciativa, a intenção é melhorar o acabamento, o tempo de terminação dos animais e produzir, assim, o novilho precoce.



+ Precoce

O pesquisador Rodrigo Gomes, da Embrapa Gado de Corte, coordena o arranjo + Precoce, que engloba todos esses projetos. Executado desde 2014 pelos pesquisadores das duas unidades, a iniciativa tem como instituições parceiras a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Estadual de Londrina (UEL), a Associação Brasileira de Produtores Orgânicos (ABPO) e a Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores de Novilho Precoce (ASPNP).

A iniciativa busca alinhar-se aos problemas enfrentados pela cadeia do novilho precoce e para isso atua com quatro grandes estudos: a produção de bezerros de qualidade por meio de sistemas melhorados de cria e otimização de biotécnicas reprodutivas; a melhoria da eficiência da recria e engorda e do acabamento de carcaça com o uso de genética superior; a transferência de tecnologia efetiva para todos os segmentos da cadeia produtiva; e o suporte a iniciativas públicas e privadas de valorização ao novilho precoce, como o Programa Precoce MS.

Para Gomes, “tanto as parcerias quanto as frentes de pesquisa colaboram na obtenção de resultados de maior relevância e que realmente impactarão na cadeia produtiva da carne bovina, seja no bioma Pantanal, seja no Cerrado. São ações passíveis de aprimorar a eficiência produtiva, a qualidade da carcaça e a sustentabilidade”. Ele ressalta ainda que o arranjo estimula a adesão e a adequação, por parte dos produtores, a programas de bonificação pela produção do novilho precoce. Alguns exemplos são os protocolos de produção sustentável e orgânica disponíveis às propriedades pantaneiras e o Programa “Precoce MS”, com incentivos fiscais aos pecuaristas que atendam a determinadas exigências, como métodos produtivos.

No próximo ano, a equipe pretende disponibilizar uma plataforma web que reunirá as informações de vários sistemas de produção do novilho precoce, permitindo ao usuário simular qual será o retorno econômico desses sistemas em sua própria realidade. Gomes explica que a preocupação em facilitar a adoção de tais sistemas – melhorados pelos produtores – inclui análises de aspectos relacionados à área financeira “para que produtores e técnicos tenham segurança e clareza quanto ao impacto econômico. A Plataforma terá alguns sistemas melhorados já para consulta e atualizações anuais a partir de novos sistemas de produção.”



Precoce MS
O programa estadual “Precoce MS” é um caso positivo de incentivo ao alinhamento entre produção e tecnologias para a obtenção de melhores resultados em eficiência, qualidade e sustentabilidade. Após sua recente reformulação, feita com a participação de pesquisadores do arranjo + Precoce, por exemplo, há bonificação para animais produzidos a partir de sistemas com integração lavoura-pecuária (ILP), confinamento e semiconfinamento. “São tecnologias que levam à diminuição na emissão de gases de efeito estufa (GEE), alinhando-se à sustentabilidade. Além disso, pela melhoria nas condições nutricionais, há melhoras no acabamento de carcaça e isso ajuda a produção de uma carne com melhor qualidade e, consequentemente, maiores bonificações”, explica o zooctenista. Saiba como o programa funciona:






Nicoli Dichoff (MTb 3252/SC) 
Embrapa Pantanal 
Telefone: (67) 3234-5879


Dalízia Aguiar (MTb 28/03/14/MS) 
Embrapa Gado de Corte 
Telefone: (67) 3368-2144





Nicoli Dichoff, jornalista
Supervisora do Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)
Embrapa Pantanal
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)
Corumbá/ MS

Telefone: +55 (67) 3234-5879 | Fax: +55 (67) 3234-5815

EMBRAPA: Simpósio Repronutri acorrerá no final do mês



Foto: Divulgação
Divulgação - As inscrições para o Simpósio ainda estão abertas
As inscrições para o Simpósio ainda estão abertas
Está chegando o REPRONUTRI!!! O Simpósio será realizado de 31 de agosto a 1º de setembro, no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande/MS, e as inscrições já estão abertas e vão até o dia 30 de agosto, podem ser feitas pelo site www.repronutri.com.br, onde o público encontrará também mais informações sobre palestras e outros detalhes do evento.
O Grupo REPRONUTRI discute os sistemas de produção pecuária aliando campo e ciência de modo a despertar visão crítica e construtiva aos modelos vigentes e o futuro desenvolvimento da pesquisa aplicada nascida da vivência dos participantes, contribuindo para o desenvolvimento da pecuária nacional.
Segundo Juliana Corrêa Borges Silva, pesquisadora da Embrapa Pantanal e também coordenadora do evento, o Simpósio que tem como objetivo trazer informações para produtores e técnicos sobre o que há de mais novo em pesquisas de reprodução, produção, nutrição e genética animal no país, está na sua terceira edição e este ano com grande diferencial. “O evento já se consolidou com o público (produtor, profissional do campo, pesquisadores/professores e alunos) e com os patrocinadores. Cada edição sai maior e melhor que a anterior. Prova disso é o aumento na capacidade de inscritos que saiu de 350 para 1200 e o número de patrocinadores de 15 para 21. Grandes empresas nos apoiando e investindo na pesquisa voltada para o setor pecuário. Isso demostra que estamos no caminho certo, porque junto com essas empresas, temos também o patrocínio de duas grandes agropecuárias!”
Juliana explica que durante o Simpósio o “Grupo Repronutri” - formado por representantes de instituições de pesquisa do Estado, Universidades e produtores-  abre espaço não apenas para a apresentação de tecnologias em pesquisas, mas também para os profissionais vinculados a propriedades rurais e empresas mostrarem dados e avanços locais. “Além de buscar uma interação entre pesquisa, público de produtores e técnicos de empresas, abrimos espaço para debates que enriquecem o evento com troca de experiência”, conta.
Apresentações como a da pesquisadora da Embrapa Gado de Corte, Alessandra Corallo Nicacio, que vai tratar sobre o uso da IATF para encurtar a estação de monta; bem como do professor da UFMS, Luis Carlos Itavo, que falará sobre suplementação para aumento de produtividade em gado de corte e leite, e apresentação sobre o cenário atual e perspectivas da pecuária no MS e Brasil, por Eduardo Riedel, secretário de gestão do MS; além do tema, A essência da produção de carne de alta qualidade por Antônio Ricardo Sechis - Beef Passion, e Sistema Leitíssimo, por Juliano Alves de Almeida, entre outros, são apenas alguns dos destaques incluídos na programação mostrando a diversidade de assuntos.
O “3º Simpósio Repronutri - Reprodução, Produção e Nutrição de Bovinos: a pesquisa aplicada ao campo” é uma realização do Grupo Repronutri, juntamente com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (UNIDERP).

Confira a Programação Completa:
31/08/2017 Quinta-feira
08h – 09h - Entrega de material e Abertura
09h10 - “Cenário atual e perspectivas da pecuária no MS e Brasil”, por Eduardo Riedel - SEGOV-MS.
10h - “Transferência Intrafolicular de Oócitos Imaturos (TIFOI) e novos avanços em Biotecnologia da Reprodução”, por Margot Nunes Alves Dode – Embrapa CENARGEN/Brasília – DF.
11h - Espaço Colaboradores
11h20 -  Almoço
13h30 - “Uso de IATF para encurtar a estação de monta”, por Alessandra Corallo Nicacio – Embrapa CNPGC/Campo Grande – MS.
14h20 - “Avanços da IATF em gado de corte”, por José Luiz Moraes Vasconcelos – Unesp/Botucatu – SP.
15h10 - Visitação aos Stands
15h30 - Ressinc 14 e uso da ultrassonografia doppler em programas reprodutivos, por Guilherme Pugliesi – USP/Pirassununga – SP.
16h20 - Dados locais de campo: “Sistema de produção da Fazenda Seriema”, por Rodrigo Zacharias – Miranda/MS.
Produção de leite a pasto – “Sistema Leitíssimo”, por Juliano Alves de Almeida – Fazenda Leite Verde - Jaborandi/BA.
17h20 - Mesa redonda

01/09/2017 Sexta-feira
08h - “Diagnóstico de propriedades e fatores de riscos sanitários”, por Heitor Romero Marques Junior - UCDB/Campo Grande – MS.
08h50 - “Bem-Estar Animal: implicações práticas na produção e reprodução de bovinos”, por Matheus Paranhos da Costa – UNESP/Jaboticabal – SP.
09h40 -  Visitação aos Stands
10h - “Suplementação para aumento de produtividade em gado de corte e leite”, por Luis Carlos Itavo – UFMS/Campo Grande – MS.
10h50 -  Mesa redonda
11h20 -  Almoço
13h30 - “Ferramentas de melhoramento genético aplicadas à bovinocultura moderna”, por Fernando Flores Cardoso – EMBRAPA CPPSUL/Bagé – RS.
14h20 - “Tópicos especiais sobre qualidade de carne bovina”, por Pedro Eduardo de Felício – UNICAMP/Campinas – SP.
15h10 - Visitação aos Stands
15h40 - Dados locais de campo “A essência da produção de carne de alta qualidade”, por Antônio Ricardo Sechis - Beef Passion.
Dados de abates e produção da Associação do Novilho Precoce do Mato Grosso do Sul, por Klauss Machareth - Novilho Precoce - MS.
16h40 - Espaço Colaboradores.
17h30 - Mesa redonda.
18h – Encerramento.

Raquel Brunelli d´Avila (MTB/MS 113)
Embrapa Pantanal
pantanal.imprensa@embrapa.br 
Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog