A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

segunda-feira, outubro 24, 2016

Mercado de alface cresce continuamente no Brasil



Há cinco anos consecutivos a cultura registra crescimento médio de 4% ao ano



Dentre o segmento de folhosas, a alface é a hortaliça mais consumida pelo brasileiro e representa 50% de toda a produção e comercialização nacional deste segmento. A cultura é também a terceira em maior volume de produção, perdendo apenas para melancia e tomate, movimentando 8 bilhões de reais no Varejo, com produção de mais de 1,5 milhão de tonelada por ano.

Nos últimos cinco anos, o mercado de alface tem registrado um crescimento médio de 4% ao ano. Segundo Paulo Koch, Diretor de Marketing da multinacional de sementes Sakata, empresa líder em alfaces no Brasil, o aumento se deve às novas exigências de mercado, principalmente por parte dos consumidores. "Houve uma diversificação muito grande nas preferências e formas de consumo desta hortaliça pela população. Requisitos como diferentes tipos de crocância, novas texturas, tamanhos e sabores surgiram como demandas para atender os novos hábitos do consumidor, que busca cada vez mais a saudabilidade na alimentação", esclarece Koch.

De acordo com o gestor, a Sakata investe continuamente no desenvolvimento de novas variedades para entregar ao mercado produtos diferenciados. Apenas neste ano, a empresa já lançou três novas variedades de alfaces, além de outras 11 hortaliças. "A Sakata atua fortemente em pesquisas de melhoramento genético, com foco no melhor custo benefício para consumidores e produtores, aliando alto desempenho a campo e também elevado padrão de qualidade à mesa", explica Koch.

Crespa e Americana lideram ranking

Atualmente, as duas variedades de alface mais consumidas no país são a Crespa – mais de 50% – e a Americana. Para estes dois segmentos de mercado, a Sakata desenvolveu recentemente três novas variedades de alfaces.

A primeira delas é a alface Crespa Valentina, que se destaca pela excelente qualidade visual, devido ao seu grande porte, com folhas compridas e de cor verde brilhante, preferência entre os consumidores. Já as outras duas são as alfaces Americanas de Verão, Dora e Serena, que agregam excelente qualidade de cabeça, com folhas extremamente crocantes, além de coloração verde intensa e brilhante, que é sucesso na hora da comercialização.

Os lançamentos – Valentina, Dora e Serena – agregam ainda excelentes resultados a campo, com tempo reduzido de produção e menor utilização de insumos agrícolas, além de proporcionarem alta rentabilidade, qualidade importante para o produtor que desejar investir neste mercado.

A Sakata possui também outras variedades de grande destaque no mercado como as alfaces mini, roxa, mimosa, entre outras presentes em seu portfólio de produtos.



MyPress & Co. 
imprensa@mypress.com.br
(19) 3304-4833 | (19) 3304-6622
Jornalistas Responsáveis: 
Isabella Monteiro
isabella@mypress.com.br
(19) 9 7410-1620
Daniela Mattiaso
daniela@mypress.com.br
(19) 9 8291-9444

sábado, outubro 22, 2016

FASCISTAS DE ESQUERDA OCUPAM ESCOLAS EM CURITIBA E AGRIDEM AS PESSOAS QUE REGISTRAM SEUS ATOS DE BARBÁRIE













Milicianos que agrediram MBL em Curitiba demonstram comportamento psicopático



Antes de falar qualquer coisa a respeito da agressão sofrida pelo MBL em Curitiba, é preciso tomar pé da situação.

Arthur do Val e Renan Santos foram à Curitiba. O objetivo, principalmente do primeiro, era entrevistar estudantes doutrinados e utilizados pelos movimentos de extrema-esquerda nas invasões de escolas.

Como são zumbis nas mãos de doutrinadores desonestos, era evidente que não saberiam responder as perguntas. Daí partiram para a agressão.

Veja:



Observou o comportamento completamente anticivilizado e fascista dos agressores? E tudo está gravado em vídeo.


Renan Santos conta mais:





Além do que Renan comentou aí em cima, temos a declaração de Arthur do Val:





Como vemos, os estudantes da extrema-esquerda não apenas agrediram como, depois de terem sido filmados praticando violência, colocaram algumas garotas para simular que teriam sido vítimas de “tentativa de estupro” de Arthur. Obviamente, nenhum vídeo apareceu comprovando tais alegações. Por que não estou surpreso?

O que temos aqui não é apenas a instância de agressão, como também o lançamento de falsas acusações para tentar constranger aqueles que apresentam provas contra eles.

Está provado neste evento que para a extrema-esquerda vale tudo na luta pelo poder. Mas tudo mesmo! Assim como funciona a mente de qualquer psicopata.

Você já imaginou o que significa esse tipo de gente adquirindo todo o poder que desejam? É fácil descobrir: basta ver o que estão fazendo na Venezuela, onde eles estupraram estudantes com baionetas e submetem Lilian Tintori – esposa de Leopoldo Lopez – a longas sessões de humilhação sexual a toda semana.

É isso que significa a expressão “vale tudo pelo poder” para essa gente.

Ocorreu mais do que apenas um caso de agressão em Curitiba. O que vimos ali foi a aplicação sistematizada do comportamento psicopático – e eles se esforçam para juntar esse tipo de gente – na busca de obtenção de poder.

Aliás, a própria invasão das escolas é direcionada por motivos sádicos. Eles lutam contra a PEC antipedalada pois querem que o Brasil viva em colapso financeiro, afugentando empregos. E lutam contra a reforma do ensino médio pois querem destruir a empregabilidade dos estudantes.

Gente que só se motiva por vontade de fazer o povo sofrer só podia fazer esse tipo de coisa mesmo: demonstrar comportamento psicopático diante das câmeras.

Arthur do Val e Renan Santos estão de parabéns, pois conseguiram gravar instâncias de comportamento psicopático em plena luz do dia. As imagens dessa violência ficam como testemunho de que não lutamos contra pessoas normais. Lutamos contra psicopatas.

Um partido que depende de agregar psicopatas em bando para a consecução de objetivos políticos não é uma ameaça comum. É uma monstruosidade moral em forma de agrupamento político. O padrão de organização da violência vista hoje traz o que de pior essa gente aprendeu com marxismo, fascismo e nazismo.

O PT merece tudo que tem acontecido com eles.








Michael Moore começou sua carreira fazendo “documentários” contra o capitalismo, colocando sua câmera na frente de empresários e fazendo edições comprometedoras em seguida. Sempre julguei sua tática pérfida, desonesta, e um absurdo seus filmes serem chamados de documentários. Mas sempre senti falta de alguém que fizesse uso de uma tática similar do lado direito da coisa, só que preservando a honestidade intelectual.

Ou seja, jornalistas, cinegrafistas e pessoas comuns que ligassem uma câmera e tivessem a coragem de mostrar a realidade de nossa esquerda truculenta, autoritária e despreparada, fazendo perguntas incômodas ao lado de lá. É o que tem feito o canal Mamãefalei, com ajuda do MBL. Tiro meu chapéu para o trabalho deles, e só posso torcer para que várias outras iniciativas parecidas surjam pelo Brasil todo. É a melhor forma de desnudar o esquerdismo.





Vejam o novo vídeo em que todo o despreparo e a agressividade dos “estudantes” que participam dessas ilegais e inconstitucionais “ocupações” são expostos:







Em União da Vitória, pais de alunos conseguem impedir invasão de fascistas em escola pública 


Na cidade de União da Vitória, no Paraná, pais de alunos do Colégio Estadual Túlio de França impediram, inclusive com apoio da Justiça, que militantes fascistas e de extrema-esquerda invadissem a escola, garantindo com isso o direito constitucional de seus filhos poderem estudar.

Na frente da escola, foi colocada uma faixa com os dizeres: “Aluno que é responsável não invade o colégio para obter direito. Estuda para conquistá-lo.”







Para ajudar, quem invadir a escola será multado e poderá até ser preso, segundo definição judicial. 


Fonte: Jornal Livre


sexta-feira, outubro 21, 2016

CNC - Balanço Semanal de 17 a 21/10/2016



BALANÇO SEMANAL — 17 a 21/10/2016

Liberações de recursos do Funcafé aos agentes financeiros chega a R$ 2,622 bilhões, ou 57,17% do total contratado

LIBERAÇÕES DO FUNCAFÉ — Nesta semana, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou a lista de repasse dos recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) contratados pelos agentes financeiros na safra 2016. Do total de R$ 4,586 bilhões acertados com as instituições, foram repassados, até 17 de outubro, R$ 2,622 bilhões, ou 57,17%.

Do montante encaminhado aos bancos e cooperativas de crédito até a última segunda-feira, R$ 1,339 bilhão são destinados à linha de Estocagem; R$ 724 milhões para Financiamento para Aquisição de Café (FAC); R$ 476,6 milhões para Capital de Giro de Cooperativas de Produção (R$ 218,5 mi), Indústrias de Torrefação (R$ 140 mi) e Indústrias de Solúvel (R$ 118,1 mi); e R$ 82 milhões para a linha de Custeio (veja planilha abaixo – clique para ampliar).

O CNC recorda que os mutuários interessados em tomar recursos do Funcafé na safra 2016 devem procurar os agentes financeiros e efetivar a solicitação, de maneira que o pedido seja feito ao Ministério da Agricultura e a Pasta faça o encaminhamento dos recursos. Os prazos finais para contratação são:
— 30 de novembro para Capital de Giro das Indústrias de Torrefação e Solúvel;
— 30 de dezembro para FAC;
— 31 de janeiro para Estocagem;
— 28 de fevereiro para Custeio, que pode ser estendido até 31 de julho quando o orçamento contiver apenas verbas destinadas à colheita; e
— 31 de março para Capital de Giro das Cooperativas de Produção.

CONSELHO DE ENTIDADES DO AGRO — Na terça-feira, 18 de outubro, recebemos, com satisfação, o convite para sermos representantes da cafeicultura brasileira no Conselho de Entidades do Agro ou Fórum Permanente da Agropecuária, iniciativa idealizada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que possui o duplo objetivo de apoiar a regeneração do Estado e da economia brasileira, assim como defender produtores e a produção do campo.

O Conselho Nacional do Café entende como louvável a iniciativa da sempre parceira CNA e acredita que a união das entidades neste fórum será capaz de possibilitar a defesa de interesses comuns ao setor agropecuário do Brasil, entre os quais se destacam: modernização da política agrícola oficial, dando-lhe caráter plurianual; simplificação do sistema tributário; implantação do Código Florestal; racionalização da legislação trabalhista de acordo com a realidade do campo e a evolução tecnológica; segurança jurídica de produtores e proteção à propriedade privada; políticas comerciais baseadas no interesse econômico do País; e melhora efetiva na infraestrutura logística.

Aproveitamos o ensejo para parabenizar o presidente da CNA, João Martins, pela brilhante iniciativa de unir as representações expoentes de cada setor do agronegócio brasileiro, evidenciando que a Confederação é a base da unificação do setor primário e que, assim, servirá de suporte para que se busquem soluções ao principal gerador de divisas para o Brasil ao longo dos últimos anos.

MERCADO — Apesar das perdas nos dois últimos pregões, os contratos futuros do café acumularam ganhos na semana. O comportamento do dólar, o desenvolvimento da safra brasileira 2017/18 e os indicadores técnicos foram os principais fatores que influenciaram o movimento das cotações.

No Brasil, o dólar comercial foi cotado ontem a R$ 3,139, com queda de 2,06% em relação ao fechamento da semana anterior. O significativo fluxo de entrada de divisas, dado que o prazo para regularização de recursos brasileiros no exterior encerra em 31 de outubro, explica a apreciação do real ante o dólar. O ainda atrativo patamar dos juros no País, após o corte de 0,25% na Selic, também apoiou essa tendência.

Em relação às condições climáticas que afetam o desenvolvimento da safra 2017/18 do Brasil, a Somar Meteorologia estima, até a próxima segunda-feira, redução do calor excessivo e precipitações da ordem de 30 mm a 50 mm no Paraná, São Paulo, Sul e Cerrado de Minas Gerais. Porém, na Zona da Mata, Espírito Santo e Bahia ainda predominará tempo quente e seco. Segundo a Climatempo, as chuvas devem retornar ao Espírito Santo entre os dias 29 e 30 de outubro.

Na ICE Futures US, o vencimento dezembro do Contrato C foi cotado, na quinta-feira, a US$ 1,5590 por libra-peso, com alta de 50 pontos em relação ao fechamento da semana passada. O vencimento novembro do contrato futuro do robusta, negociado na  ICE Futures Europe, encerrou o pregão de ontem a US$ 2.095 por tonelada, com valorização de US$ 51 em relação à última sexta-feira.

No mercado físico nacional, pela primeira vez os preços do café conilon superaram os do arábica, refletindo a crítica situação de escassez do produto. Os indicadores calculados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para as variedades arábica e conilon foram cotados, ontem, a R$ 507,50/saca e a R$ 518,58/saca, respectivamente, com variações de -0,3% e 4,7% em relação ao fechamento da semana anterior.

Atenciosamente,
Silas Brasileiro
Presidente Executivo
CNC - Sede Brasília (DF)
SCN Qd. 01, Bloco C, nº 85, Ed. Brasília Trade Center - Sala 1.101 - CEP: 70711-902
Fone / Fax: (61) 3226-2269 / 3342-2610
E-mail: imprensa@cncafe.com.br








quinta-feira, outubro 20, 2016

Gado de Leite : Distúrbios metabólicos sãotema de debate em Chapecó




INSCREVA-SE

Estão abertas as vendas dos pacotes de inscrições online para o VI Simpósio Brasil Sul de Bovinocultura de Leite, marcado para os dia 08, 09 e 10 de novembro em Chapecó-SC.

As inscrições podem ser realizadas no site www.nucleovet.com.br, com valores diferenciados para estudantes e pacotes para empresas. Solicite pelo email fillipe@nucleovet.com.br. Realizado no Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nês, este ano a programação científica do Simpósio destaca as principais demandas dos profissionais do setor a campo e na indústria. Com palestrantes de renome nacional e internacional, o evento técnico é promovido pelo Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas de Chapecó,SC.

ATAQUE ABERTO: ABAIXO ASSINADO PELA PRISÃO DE LULA



Nós, cidadãos brasileiros, em virtude de todas as provas colhidas até agora, dos gigantescos escândalos do Mensalão e do Petrolão, pedimos aos senhores a prisão imediata de Luís Inácio Lula da Silva, ex-presidente da República e fundador de um partido criminoso associado ao Foro de São Paulo.

Sua prisão é importante para que o mesmo não interfira nas investigações em andamento e para que fique clara, de uma vez por todas, qual foi EXATAMENTE a sua participação nos esquemas de desvio e lavagem de dinheiro que lesaram em bilhões os cofres públicos. Não há um só integrante já preso nessas investigações que não deixe, de forma clara ou insinuada, a ciência total e participação de Lula em todos esses eventos. A condução coercitiva do Sr. Luís Inácio, no último dia 4 de março de 2016, e a resposta que ele deu em sua entrevista coletiva deixam claro que ele não tem o mínimo respeito pelo Estado de Direito e pelas Instituições Republicanas representadas pelo Dr. Sérgio Moro e pela Força Tarefa do Ministério Público sendo capaz de dirigir-se à Nação em termos chulos, de fazer piada e de debochar da Justiça Federal.

Pedimos aos senhores que entendam este abaixo assinado como sendo, além da expressão da vontade do povo brasileiro, uma homenagem a todos os policiais federais, juízes e promotores envolvidos na Operação Lava Jato. Pedimos também à Dra. Maria Priscila Veiga Oliveira, Juíza da 4ª Vara Criminal da Justiça de São Paulo, lembrando que o futuro do Brasil está nas suas mãos: por favor, PRENDA o Lula.

Depois da prisão de Eduardo Cunha ontem, Lula VAI fugir ! Seu filho mais novo JÁ fugiu: está no Uruguai. 

Att, 

Dr.Milton Pires & Cidadãos Brasileiros. 


Embrapa: Reunião discute agenda de desenvolvimento para o Pantanal




Governo e entidades de MT e MS abordam a elaboração de políticas conjuntas para o bioma
Na cidade de Miranda (MS), mais de 150 representantes governamentais e de instituições de pesquisa, produtores rurais, atores da sociedade civil e lideranças empresariais discutiram estratégias para promover o desenvolvimento sustentável da região pantaneira nos próximos anos. O resultado foi um documento conhecido por "Carta Caiman", assinado pelos governadores Reinaldo Azambuja, de Mato Grosso do Sul, e Pedro Taques, de Mato Grosso, formalizando ações de integração entre os estados em prol do bioma com a anuência do Ministério do Meio Ambiente. Durante o evento, a Embrapa Pantanal foi representada por Emiko Resende e Jorge Lara – empossado neste mês como chefe geral da unidade de pesquisa localizada em Corumbá (MS).

"A sustentabilidade permeou toda a reunião. Um assunto bastante discutido foi o ecoturismo, considerado uma grande oportunidade para o Pantanal, e de que forma fazer com que nossos destinos turísticos se tornem ainda mais conhecidos dentro da cadeia. A importância da pecuária como fator produtivo – uma atividade histórica e muito bem adaptada à região – também fez parte da pauta. Foram abordadas, ainda, questões relacionadas ao avanço de lavouras de soja no bioma, por exemplo. Nesse contexto, a Embrapa Pantanal pode contribuir com o seu conhecimento, sua equipe técnica, o aproveitamento de dados já gerados e, eventualmente, com novas pesquisas acomodadas dentro desse conceito, que enxerga o Pantanal como um só nos dois estados", afirma Jorge.

De acordo com o chefe-geral, outro papel da unidade de pesquisa em meio a discussões como essas é o de atuar como parceira. "Buscamos usar o reconhecimento que a sociedade sente pelo nome da Embrapa, conquistado com mérito e por meio de um trabalho realizado com neutralidade e seriedade, para reunir e promover discussões técnicas entre os diversos atores da região", diz. Emiko Resende, que atuou como chefe geral nos últimos seis anos, ressalta a importância de basear legislações em informações produzidas pela pesquisa. "Espero que os dados técnicos gerados pela unidade sejam incluídos na maior quantidade de políticas públicas possível. A informação é necessária para que a sociedade tome as melhores decisões".

Jorge, que assume a chefia da Embrapa Pantanal a partir de 2016, começa a atuação em meio ao amplo reconhecimento do trabalho realizado pela instituição, expresso na reunião por diversos representantes governamentais e de instituições relevantes para o bioma. "Tivemos a oportunidade de conversar com o ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho, e ele registrou claramente que conhece a atuação da Embrapa Pantanal e que ouviu falar muito bem do nosso trabalho". Emiko Resende completa: "O Jorge assume em um momento em que todas as conjunções são ótimas. Nós estamos com as portas abertas e com o nosso discurso muito alinhado com o desses atores – o da busca pela sustentabilidade, beneficiando questões econômicas, ambientais e sociais em conjunto. As perspectivas são as melhores possíveis. Resta a nós, trabalhar".




Nicoli Dichoff (MTb 3252/SC) 
Embrapa Pantanal 
pantanal.imprensa@embrapa.br 
Telefone: +55 (67) 3234-5957

Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)
Embrapa Pantanal/ Corumbá - MS 
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa

quarta-feira, outubro 19, 2016

DOUTRINAÇÃO IDEOLÓGICA NA ESCOLA ESTADUAL MAESTRO VILLA LOBOS (BELO HORIZONTE)




É de dar nojo, um militante da esquerda, que se identifica como Geraldo Luiz Ferreira Miranda (professor de filosofia da ESCOLA ESTADUAL MAESTRO VILLA LOBOS, concursado), utiliza de sua posição de "professor" para transformar estudantes do ensino médio em "idiotas úteis" dos esquerdopatas!








Ainda há quem diga que não existe doutrinação ideológica em nossas escolas. Imagina só se houvesse! Vejam mais esse caso, escancarado, tão escancarado que o “professor” sequer esconde o que faz, de um militante convocando alunos jovens para aderir a um protesto e uma greve contra as reformas necessárias para o país.

Faz seu discurso com base em mentiras, invenções, e assume: é político mesmo, pois sua luta é política (esqueçam a educação). Reparem que os alunos vibram quando descobrem que poderão matar aula. O cara de pau comunista ainda diz que isso não é o mais importante, e vejam só que doce, que tolerante: ele reconhece que não pode pegar o aluno pelo braço e levá-lo ao protesto, mas apenas sugerir. Vejam:




É para enquadrar doutrinadores como este que existe o projeto Escola Sem Partido. E é por pânico de que não possam mais fazer esse tipo de coisa indecente que tanta gente da esquerda tem se colocado contra o projeto. Não só contra, mas veementemente contra, desesperadamente contra. Por que será?



PS: Quando a reforma do ensino médio tornou aulas de humanas como filosofia eletivas voluntárias, houve chiadeira. Entendo como a filosofia é importante. Mas eis o ponto que devemos ter em mente: quando falamos em aula de filosofia, podemos pensar num Francisco Razzo despertando a paixão dos alunos pela sabedoria, pela busca individual do conhecimento, mas o que teremos, na prática, é esse tipo de “professor”, na maioria dos casos. Triste…


Rodrigo Constantino







O professor doutrinador e birrento é o maior dos covardes



Alguns discursos emitidos no espaço de debates chegam a surpreender pelo nível de desaforo e desrespeito à cidadania. Nessa categoria de afronta, um dos mais acintosos é o discurso do professor doutrinador defendendo o direito de doutrinar em sala de aula.

Revoltado com aquilo que desonestamente define como “lei da mordaça”, o professor doutrinador tem a pachorra de aparecer em público para defender o direito de – mesmo recebendo um salário pago com o dinheiro suado do pagador de impostos – usar seu tempo de aula para falar o que quiser. Se alguém reclamar, “então estamos diante do fim da liberdade de expressão do professor”.

Ou seja, qualquer profissional deve atender a um objetivo. Menos um: o professor doutrinado. Em sua visão, ele é o único profissional da face da Terra que pode fazer exatamente o que lhe der na telha. Basta ele dizer o que tiver vontade. E ainda ganha para isso.

Mas não é só: os professores doutrinadores não apenas são arrogantes o suficiente para defender em público o direito de fazer o que quiser em uma sala de aula, como também querem proibir os alunos de reclamarem caso forem vítimas de bullying e abuso na ocasião de discordarem da doutrinação.

Um aluno poderia filmar essas aulas para denunciar o doutrinador, ao menos para a opinião pública? Não na visão do professor doutrinador, que precisa ter o poder total para fazer o que quiser. De novo, foque nisso: o que quiser. Se é ele que manda em um ambiente onde pode ficar em uma sala de aula fechada com alunos, não pode ser atrapalhado em nenhuma de suas intenções, mesmo que sejam as piores possíveis.

Para fazer tudo isso, o professor doutrinador depende, então, de marcar terreno em uma sala de aula fechada, recinto onde pode se aproveitar da vulnerabilidade psicológica de seus alunos diante dele.

Na luta contra a doutrinação escolar, fica óbvio para qualquer pessoa com um olhar mais crítico de que a luta é contra o cúmulo da covardia. Só muito cinismo para que um professor doutrinador consiga defender tamanha afronta em público. E só muita apatia para que não tenhamos nos rebelado quanto a isso no tom adequado ainda.






Embrapa: Pesquisadores iniciam novos experimentos para controle de carrapatos




A chegada do período das chuvas proporciona um aumento na umidade do ar e de temperatura, ambiente propício para a multiplicação do carrapato-do-boi (Rhipicephalus microplus), principalmente nas condições do Brasil Central. Além disso, estima-se que os prejuízos causados pelo ectoparasita cheguem a 3,24 bilhões de dólares ao ano no País, com impactos negativos na produção de carne, leite e couro. Diante desse cenário, os pesquisadores da Embrapa (Campo Grande-MS), baseados em recomendações e dados de pesquisas já disponíveis, apresentam uma nova proposta de controle de carrapatos, associada ao manejo da pastagem para bovinos de corte, na fase de recria, com ênfase em animais cruzados. 



"A proposta foi construída para orientar produtores na implantação de um sistema produtivo que alia intensificação da produção à base de pasto com a minimização da infestação por carrapatos no rebanho", explica Renato Andreotti, pesquisador da Embrapa e um dos idealizadores do projeto. Ele complementa que esse manejo intensivo da pastagem, em teste, será avaliado e validado em curto prazo, a partir de março de 2017, em um projeto com aporte da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).



A metodologia consiste em dividir em quatro quadrantes, uma área fixa de 100 hectares, formada por braquiária brizantha, em plena produção, em região de Cerrado no Mato Grosso do Sul. A pastagem terá adubação de manutenção, durante as chuvas e logo após cada pastejo. Os 100 animais cruzados (Nelore x Angus), em recria, colocados na área, ficarão em rotação, por período fixo de 30 dias em cada piquete. "A finalidade de estabelecer um prazo de 90 dias para o retorno ao primeiro piquete, atende ao mínimo de 82,6 dias como período estimado para uma "limpeza da pastagem", em relação à população de larvas infestantes, permitindo que a prática seja utilizada como medida complementar para o controle do carrapato", completa Andreotti, que estuda há mais de 20 anos os ectoparasitas na Embrapa Gado de Corte. 



O excedente de forragem, segue o médico-veterinário, será armazenado em forma de feno para uso na estação seca, como volumoso. Ao final do ciclo de um ano, 365 dias, a equipe composta por Andreotti, Fernando Alvarenga Reis (Embrapa Caprinos e Ovinos), Jacqueline Cavalcante Barros, Vinícius da Silva Rodrigues e Marcos Valério Garcia espera que o ganho esperado seja além da produção de animais com peso ideal no final da recria. Os especialistas acreditam em ganhos com a redução nos custos do controle químico do carrapato, a partir da eliminação da perda decorrente da infestação, com a adoção do manejo intensivo e recria bovina. 



Andreotti lembra que não há restrições quanto ao modelo ser aplicado em sistema de produção de leite, com base ecológica ou com animais sensíveis, inclusive, em situações em que aja necessidade de reduzir o uso de produtos químicos. Após esse período de um ano, os técnicos compilarão os resultados em uma nova recomendação técnica disponibilizada na Série Documentos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com acesso livre a produtores e técnicos.







Redação: Dalízia Aguiar (DRT/MS 28/03/14), jornalista Embrapa
Foto: Josimar Lima 

Núcleo de Comunicação Organizacional - NCO
Embrapa Gado de Corte
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)
Campo Grande/MS

gado-de-corte.imprensa@embrapa.br 
Telefone: +55 67 3368-2142 / 2144 / 2203


A PeTralha e Comunista Érika Kokay é denunciada por peculato e lavagem de dinheiro




Janot denuncia Érika Kokay ao STF por peculato e lavagem de dinheiro

Ela teria participado de desvio de recurso de sindicato e ocultado origem.
Em nota, parlamentar se disse 'extremamente surpresa' com a denúncia.



Por Mariana Oliveira, Da TV Globo, em Brasília



O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao Supremo Tribunal Federal (STF) a deputada federal Érika Kokay (PT-DF) pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro.



Em nota, a parlamentar disse ter ficado "extremamente surpresa" com a denúncia e afirmou que as acusações no inquérito, que remontam a 2003, partiram de uma pessoa "desqualificada, feitas após a demissão de um servidor de meu gabinete por cometer violência doméstica" (leia íntegra ao fim desta reportagem).

A denúncia foi apresentada no último dia 21 de setembro, mas, em decisão publicada nesta terça-feira (18), o ministro Marco Aurélio Mello, relator do caso, mandou notificar a deputada para apresentar resposta à acusação em até 15 dias (o prazo começa após ela ser formalmente notificada).

Segundo o documento, Érika Kokay teria participado de desvio de recursos públicos do Sindicato dos Bancários de Brasília e posteriormente ocultou a origem do dinheiro, depositando valores em uma conta de um ex-funcionário do gabinete dela.

"Afirma [a Procuradoria] ter a conduta [da deputada] consistido no desvio de recursos públicos do Sindicato dos Bancários de Brasília e na posterior ocultação da origem das verbas. Aduz existirem, nos autos, indícios de participação de diretores da entidade sindical e de outras pessoas naturais, quer transferindo os recursos públicos desviados, quer recebendo as quantias após depositadas na conta corrente mantida por Geraldo Batista da Rocha Júnior [ex-funcionário do gabinete dela]", afirma a decisão do ministro.

O ministro Marco Aurélio enviou uma parte do caso, que não envolve pessoas com foro, para a Justiça Federal de Brasília. "No tocante à competência, a do Supremo é de direito estrito. Cidadãos comuns têm o direito constitucional à atuação do juiz natural."

Confira a nota enviada pela deputada Érika Kokay sobre o tema:

"Fiquei extremamente surpresa com essa denúncia. Seguramente o Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, não leu o conteúdo do inquérito. Se ele tivesse lido veria que essas acusações, que remontam a fatos do ano de 2003, partiram de uma pessoa desqualificada, feitas após a demissão de um servidor de meu gabinete por cometer violência doméstica.

Investigações da Polícia Civil apontaram o envolvimento deste ex-servidor com furto de computadores em escolas públicas, além de ligação com o ex-deputado distrital Pedro Passos, responsável pelo financiamento dessas acusações por responder, à época, a um processo por quebra de decoro parlamentar perante a Comissão de Ética da Câmara Legislativa do DF, presidida por mim naquela oportunidade. O processo na Comissão levou o deputado à renuncia de seu mandato.

Em 2003, havia cinco anos que eu tinha saído do Sindicato dos Bancários. Portanto, não tinha, como continuo não tendo, nenhum poder para decidir sobre os atos do sindicato e muito menos sobre a sua movimentação financeira.

As acusações geraram uma série de inquéritos. No entanto, fui inocentada em diversas investigações que foram feitas acerca desses fatos por absoluta falta de consistência das denúncias. Na Câmara Legislativa, após ampla investigação, o processo por quebra de decoro parlamentar foi arquivado. O próprio Supremo Tribunal Federal também arquivou um inquérito, por ausência de elementos que comprovassem a existência de financiamento via “caixa dois” do Sindicato dos Bancários para a minha campanha de 2006. Por isso, tenho convicção de que a verdade e os fatos serão devidamente esclarecidos, até porque nenhuma injustiça é permanente".

Fonte: G1


Como desmascarar a petista Erika Kokay, com Malafaia e Bolsonaro


segunda-feira, outubro 10, 2016

Simpósio apresenta últimas tendências no controle e tratamento de mastites




Uma das enfermidades mais pesquisadas e que mais causam prejuízos para a pecuária leiteira em nível mundial é a mastite, que tira o sono de técnicos e produtores. O que pesquisadores perceberam é que não existe uma ferramenta única, que sozinha tenha realmente sucesso no controle da mastite. Mesmo com todos os avanços em melhoramento genético e pelas ferramentas genômicas, o desafio está presente na maior parte das propriedades e por isso é tema de palestra no VI Simpósio Brasil Sul de Bovinocultura de Leite que será realizado de 08 a 10 de novembro em Chapecó. Últimas tendências no controle e tratamento de mastites será apresentada pelo especialista Dr. Marcos Veiga Santos .

O palestrante Dr. Marcos Veiga Santos é médico veterinário pela FMVZ-USP com doutorado em Ciência dos Alimentos pela Universidade de São Paulo, hoje é professor doutor do Departamento de Nutrição e Produção Animal da FMVZ-USP . Com mais de 80 artigos em periódicos especializados e mais de 160 trabalhos em anais de eventos Santos tem dois livros publicados, dez capítulos de livros e 11 obras organizadas foi Presidente do Conselho Brasileiro de Qualidade do Leite (CBQL) de 2009 a 2011 e coordena o QUALILEITE-FMVZ-USP, Laboratório de Pesquisa em Qualidade do Leite. O palestrante é membro ainda da Comissão Editorial do Brazilian Journal Of Veterinary Research And Animal Science, como Editor da Área de Nutrição e Produção Animal.

A VI edição do evento reunirá especialistas da cadeia leiteira do Brasil e exterior, com lançamentos, negócios, workshops e muito networking. Paralelo à programação científica ocorre a Milk Fair – feira de tecnologia para a produção leiteira. Entre os participantes o SBSBL reúne médicos veterinários, zootecnistas e engenheiros agrônomos das indústrias e cooperativas da Região Sul. O Núcleo Oeste de Médicos Veterinários e Zootecnistas - Nucleovet realiza o evento técnico entre os dias 08 e 10 de novembro, no Centro de Eventos Plínio Arlindo de Nês, em Chapecó – SC. Entre as empresas confirmadas estão Ibersan, Cargill, GRASP, Zinpro, YES, Adisseo, MTS e Bayer Saúde Animal, entre outras empresas do segmento.

Programação

A programação cientifica do Simpósio reunirá os principais temas que desafiam a cadeia da bovinocultura leiteira na atualidade como nutrição e manejo de pastagens, manejo Eficiente de Pastagens Tropicais para o Sul do Brasil, integração Lavoura/Pecuária e seus efeitos na sustentabilidade da Produção Leiteira, sistema SílviPastoril para o Sul do Brasil, impacto da Nutrição de Precisão na Eficiência e Rentabilidade da Propriedade Leiteira e uso de Óleos Essenciais na alimentação de Bovinos Leiteiros. Na sequência da programação debates sobre mercado vão abordar o panorama do Mercado Lácteo Brasileiro e Mundial, sanidade, produção e reprodução, estratégias para otimizar eficiência reprodutiva dos rebanhos leiteiros, instalações em Compost Barn – Desvendando Mitos e Atualizando Conceitos, principais afecções de casco, seus impactos e medidas de controle, impacto dos principais distúrbios metabólicos e estratégias para maximizar a produção e saúde na fase de transição, estresse Térmico: Impactos na Produção e Estratégias de Manejo e Nutricão para minimizá-lo, atualizações e sanidade Ruminal e sua Influência na Composição e Qualidade do Leite.

Inscrições

Profissionais e estudantes ligados ao setor podem inscrever-se com valores diferenciados. As inscrições podem ser feitas online clicando no site www.nucleovet.com.br , o investimento é de R$ 350,00 para profissionais e R$ 250,00 para estudantes.



Panty Assessoria
Eliana Panty

quinta-feira, outubro 06, 2016

ABCSEM realiza Encontro de Viveiristas em Minas Gerais



Evento apresentará informações atualizadas sobre a produção de mudas de qualidade, de acordo com as exigências de mercado



No dia 26 de outubro, a Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM) promoverá mais uma edição do Encontro de Viveiristas, desta vez na cidade de Igarapé, em Minas Gerais.


Destinado principalmente aos viveiristas da região, além de pesquisadores, estudantes e demais profissionais da área, a programação do evento contemplará temas como: nutrição, enxertia, prevenção de doenças e produção de mudas de alta qualidade.


De acordo com Marcelo Pacotte, Secretário Executivo da ABCSEM, "esta é mais uma iniciativa da entidade no sentido de fomentar a capacitação e profissionalização do setor, por meio da difusão de conhecimento técnico e também do intercâmbio de experiências", salienta.


SERVIÇO:
Data: 26 de outubro de 2016
Horário: das 8h às 18h
Local: Hotel Fazenda Vale Amanhecer – Igarapé (MG)
Valores:
Associados ABCSEM: R$ 150,00 | Viveiristas: R$ 170,00 | Outras Categorias: R$ 230,00
Inscrições: As inscrições podem ser feitas online, por meio do link:


Para mais informações entre em contato pelo telefone: (19) 3243-0396.




MyPress & Co. – Comunicação Corporativa 



EMBRAPA: POTENCIAL DE RETORNO ECONÔMICO PELO USO DE TOUROS MELHORADORES EM MONTA NATURAL





Antônio N. Ferreira Rosa; Roberto A. A. Torres Jr.; Fernando P. Costa

Pesquisadores da Embrapa Gado de Corte



Considerando-se um único acasalamento, reprodutor e matriz têm o mesmo valor, uma vez que cada um contribui com a metade do seu genoma para a formação de um novo indivíduo. No entanto, ao longo da vida reprodutiva, enquanto a vaca pode deixar até oito-dez filhos, o touro pode ser pai de dezenas. Além disto, por demandar menor número de animais para reposição, a pressão de seleção de touros é muito maior do que a de fêmeas. Por estas razões pode-se demonstrar que o touro proporciona de 84% a 88% do ganho genético de todo o rebanho, para relações touro:vaca de 1:20 e 1:40, respectivamente, e características de 20% de herdabilidade. Desta forma, a escolha dos reprodutores é decisiva para o sucesso do sistema de produção.

O retorno econômico de um touro pode ser avaliado de maneira simplificada pela análise do peso a desmama de bezerros que além de apresentar parâmetros genéticos acurados dispõe de valor comercial bem estabelecido pelo mercado.

A partir avaliação genética da raça Nelore lançada pelo Programa Embrapa-Geneplus em novembro de 2015, estimou-se em 4,26 kg a DEP - Diferença Esperada na Progênie para o peso a desmama, envolvendo machos superiores possivelmente ativos e com produtos desmamados em 2015. Por outro lado, a comercialização de mais de 80 mil animais realizada de janeiro a dezembro deste mesmo ano apontou em R$6,16 o valor médio do kg de bezerro desmamado. Assim, com base na definição de DEP, o retorno econômico de cada filho de um touro superior pode ser estimado em R$26,24, quando comparado aos filhos dos demais touros no âmbito do referido Programa.

Outra consulta a mesma avaliação genética acima referida permitiu observar que a média do peso a desmama ajustada para a idade de oito meses nos plantéis de seleção, ao longo do ano de 2015, foi de 217 kg, entre machos e fêmeas. Nos rebanhos comerciais, por outro lado, observou-se, na categoria de 8 a 10 meses de idade, a média de 173 kg, considerando ambos os sexos. Embora esta categoria envolva animais de até 10 meses, a maioria deles apresenta idade próxima de oito meses, semelhante à idade padrão adotada nos rebanhos puros. Admitindo-se esta aproximação, mesmo assim, verifica-se uma “defasagem” da ordem de 44 kg entre os dois rebanhos.

Dessa diferença total parte é ambiental, ou de manejo, e parte é devida à própria “defasagem genética” dos rebanhos comerciais em relação aos plantéis puros. Na falta de uma avaliação mais precisa do quanto desta defasagem é devida aos fatores genética e ambiente, pode-se supor que cada um deles seja responsável por metade dessa diferença. Assim sendo, a “DEP realizada” de um touro superior, quando utilizado em um rebanho comercial, seria igual ao valor da DEP no rebanho de seleção + ½(defasagem genética), ou seja: 4,26 + 1/2(22) = 15,26 kg. Desta forma, o valor de um único produto de um touro superior seria, nestas condições, R$94,00 acima da média dos bezerros comerciais.

Em rebanhos comerciais, com relação touro : vaca de 1 : 40 e taxa de desmama de 75%, pode-se verificar que a renda extra devida a este pequeno incremento de peso à desmama produz receita suficiente para a reposição de touros no valor de até R$8.272,00 – compatível com preços de mercado (57 arrobas de boi gordo, média da @ em 2015: R$145,42), mesmo após a reserva de fêmeas para a reposição de 20% das matrizes. Somando-se o valor dos bezerros comercializados ao dos tourunos descartados (média de R$2.595,39 / animal), a receita total seria suficiente para cobrir os custos de reposição de touros, com a aquisição de reprodutores ao valor médio de até R$10.860,00 (75 arrobas de boi gordo).

Para o alcance destes resultados, é necessário que se estabeleça uma estratégia de desembolso de modo que, em um ciclo máximo de cinco anos, se tenha em atividade reprodutiva apenas touros geneticamente superiores.

Obviamente, o retorno econômico baseado apenas no peso a desmama está muito longe de representar o real impacto de um touro melhorador no rebanho. Uma avaliação mais precisa deveria incluir os reflexos até o abate (machos e fêmeas descartadas) e sobre o rebanho de cria, considerando-se os ganhos relativos a peso corporal, qualidade das carcaças e das fêmeas de reposição. 



Considera-se, portanto, que o investimento em touros geneticamente superiores apresenta elevado potencial de retorno econômico, podendo contribuir decisivamente para a melhoria da produtividade e da renda das fazendas de pecuária de corte.




Agradecimentos: aos Drs. Paulo R. C. Nobre e Luiz O. C. Silva, Gerentes do Programa Geneplus Embrapa, e ao Sr. Nilton Pereira Barbosa, Diretor da Correa da Costa Leilões Rurais, pelas informações técnicas e de mercado.



Fontes:

CEPEA – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada – Esalq – USP - www.cepea.esalq.usp.br

CORREA DA COSTA LEILÕES RURAIS - www.correadacosta.com.br. Leilões de Gado de Corte ano-base 2015

SGPR – Sistema Geneplus de Resultados – versão 7.0. Resultados da Avaliação Genética – Raça Nelore, Novembro de 2015; -www.geneplus.com.br




Informações: Kadijah Suleiman
Jornalista, MTb RJ 22729JP
Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)
Embrapa Gado de Corte
Campo Grande/MS
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)

quarta-feira, outubro 05, 2016

EMBRAPA: Capacitação aborda produção de mudas, coleta e armazenamento de sementes de espécies nativas


Curso promovido pela Embrapa e parceiros busca atender a demandas geradas pela aplicação do Código Florestal



Durante esta semana, Campo Grande (MS) recebe o curso "Técnicas de coleta e conservação de sementes, produção de mudas e restauração ecológica nos biomas Pantanal e Cerrado". Com cerca de 150 participantes, a capacitação faz parte do projeto especial "Soluções tecnológicas para adequação da paisagem rural ao Código Florestal Brasileiro" e do Projeto Biomas, uma parceria da Embrapa com a CNA, conduzido pela Embrapa. A iniciativa já havia sido realizada no primeiro semestre deste ano em Corumbá (MS) e foi trazida à capital pela demanda do público.




"A gente resolveu ministrar novamente o curso para que os técnicos de instituições governamentais (como a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural - Agraer), organizações estaduais do meio ambiente, viveiristas da região de Campo Grande e do entorno, estudantes e produtores rurais tivessem mais facilidade de acesso a conhecimentos sobre como coletar e armazenar sementes, qual é a forma de selecionar as árvores matrizes para isso, como produzir mudas, quais são as técnicas de restauração ecológica previstas no Código Florestal – como a indução à regeneração natural", diz Catia Urbanetz, pesquisadora da Embrapa Pantanal que coordena o evento.


De acordo com Letícia Couto, organizadora e professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), a capacitação irá abordar não apenas as questões técnicas da produção e mudas e sementes, mas também aspectos da legislação que regula essa produção. "A gente percebe que muitas pessoas não conseguem entrar na cadeia produtiva da restauração ambiental porque não têm informações técnicas suficientes. É importante saber como começar um projeto de restauração, quais são as plantas nativas mais adequadas e as melhores técnicas de restauração. Porém, também é preciso conhecer os prazos e procedimentos determinados pela legislação".

O público

Bruno Diniz e Taíza Falkembak, de 27 e 21 anos, vieram assistir às palestras. Eles contam que querem entender o mercado do qual buscam fazer parte, já que pretendem começar um projeto de plantio em um sítio no assentamento Santa Mônica, no município de Terenos (MS). "Queremos trabalhar com agroflorestas", afirma Taíza. "Desejamos nos envolver nesse espaço, organizar a base para trabalhar em grupo". Bruno ressalta que o contato com quem já atua na área favorece a troca de conhecimentos. "É muito importante esse trabalho de conscientização das pessoas, abordando os aspectos sociais, ambientais e econômicos da a sustentabilidade – produzindo e respeitando o ciclo da terra".

Clovis Tolentino, consultor do Senar - MS, diz que veio participar do evento com essa intenção em mente: reunir informações que possam ser transmitidas a outros multiplicadores e, dessa forma, levadas ao campo. "Temos interesse em divulgar e compartilhar esses temas com pessoas do meio rural: como produzir mudas, coletar e armazenar sementes, utilizar plantas nativas – seja na recomposição do ambiente ou em áreas de preservação permanente, em margens de rios e lagos. A intenção é que esse conhecimento possa ser utilizado dentro do próprio Senar, com a possibilidade de transformá-lo em um curso estruturado. A gente quer que esse conhecimento possa ser levado a outras pessoas, criando uma cadeia e permitindo que muita gente possa ter acesso a esse conhecimento".

As palestras

Na segunda-feira, as palestras foram ministradas pelo professor Norton Hayd, da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), e abordaram o planejamento da coleta e o manejo de frutos, assim como o beneficiamento e armazenamento de sementes. Durante o dia 04, terça-feira, Norton e a professora Liana Baptista da UFMS discutiram a implantação de viveiros, elaboração de substratos, adubação na produção de mudas e a germinação de sementes. O curso será realizado até o dia 07 de outubro na capital e conta com atividades práticas na quinta e sexta-feira. A participação é gratuita.

Curso "Técnicas de coleta e conservação de sementes, produção de mudas e restauração ecológica nos biomas Pantanal e Cerrado"

Data: de 03 a 07 de outubro
Horário: das 07h30 às 11h30 / das 13h30 às 16h30}
Locais: anfiteatro do LAC e Cerradinho da UFMS / Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS): av. Costa e Silva, s/n, Cidade Universitária
Viveiro da Prefeitura Municipal de Campo Grande: rua Tupaciguara, nº 1141 – Vila Popular
Agraer: R. Antônio Maria Coelho, 1836 - Centro


Programação
Dia 05, quarta-feira/ Módulo 3 – O Componente Florestal no Setor Rural e Plantios de Recuperação
07h30-11h30: O Código Florestal e a coleta de sementes produção de mudas e restauração com espécies nativas - Dr. José Felipe Ribeiro (Embrapa Cerrados) - Introdução
Adequação e incentivos legais para restauração - Prof. Dra. Letícia Couto Garcia (UFMS)
11h30-13h30: Intervalo para almoço
13h30-16h30: Restauração ecológica – Técnicas de plantios de mudas e semeadura direta – Processos ecológicos/ RAD / Chave para a tomada de decisões – Webambiente / Modelos de plantios de mudas / Técnicas de semeadura direta / Monitoramento/ Espécies sugeridas - Dr. José Felipe Ribeiro (Embrapa Cerrados)
Local: Anfiteatro do LAC na UFMS

Dia 06, quinta-feira / Módulo 4 – Práticas de Campo*
07h30-11h30: Prática de técnicas para a coleta de sementes - Prof. Dr. Norton Hayd Rego, Dra. Catia Urbanetz, Dra. Liana Lima, Dra. Letícia Garcia, Dr. Geraldo Damasceno
13h30-16h30: Prática de produção de mudas - Prof. Dr. Norton Hayd Rego e Dra. Liana Lima
*Local: A 1ª turma ficará no Viveiro da Prefeitura de Campo Grande de manhã e no Cerradinho da UFMS à tarde. A 2ª turma ficará no Cerradinho da UFMS de manhã e no Viveiro da Prefeitura de Campo Grande à tarde.

Dia 07, sexta-feira / Módulo 5 - Legislação: Código Florestal, Produção de Sementes e Mudas e Sistemas Agroflorestais*
07h30-11h30: Normas para a produção de sementes e mudas de espécies nativas: Apresentações / Bibliografia recomendada / Introdução – Aspectos legais da Coleta de Sementes / Credenciamento de Coletor de Sementes no Renasem / Aspectos legais do Produtor de Sementes e/ou Mudas / Credenciamento de produtor de Sementes e/ou de Mudas no Renasem / Aspectos legais do Responsável Técnico /Credenciamento de Responsável Técnico no Renasem / Acompanhamento da Produção / Experiência de transferência sobre produção de sementes e mudas para comunidade de assentados - Dr. João Luiz Palma Meneguci (Embrapa Produtos e Mercado) e Sr. Nelsom Akira Matsuura (SFA/MS)
11h30-13h30: Intervalo para almoço
13h30-16h30: Sistemas Agroflorestais: Inserindo plantas alimentícias do Pantanal/Cerrado na restauração ecológica - Dra. Ana Cristina Ajalla – (Agraer) e Edimilson Volpe – (Agraer)
*Local: Nesse dia, o curso será dividido em duas turmas. A 1ª turma ficará na sala 3 da Unidade 6 da UFMS (em frente à Biblioteca) de manhã e na AGRAER à tarde. A 2ª turma ficará na Agraer de manhã e na sala 3 da Unidade 6 da UFMS à tarde.
Nicoli Dichoff (MTb 3252/SC) 
Embrapa Pantanal 
Telefone: +55 (67) 3234-5957

Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)
Embrapa Pantanal/ Corumbá - MS 
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa

Telefone: +55 67 3234-5957 | Skype: nicoli.dichoff 




+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog