A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

terça-feira, junho 29, 2004

Funcionária do Ministério da Agricultura diz que foi obrigada a fazer sexo

A assessoria de imprensa do Ministério da Agricultura garante que ninguém vai se manifestar oficialmente sobre o caso da servidora que posou nua no gabinete.
A "Musa do MAPA" soltou o verbo e, segundo reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo", disse que foi obrigada a fazer sexo com um funcionário do alto escalão do MAPA.
Segundo a reportagem, o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, preocupado com as proporções do caso, teria telefonado ao interino da Agricultura, Linneu Costa Lima, para saber qual a situação da sindicância que investiga as relações da moça, Fabíula Rodrigues da Silva, 18 anos, com funcionários do ministério.
A preocupação de Dirceu se deve ao fato de que Fabíula, ao lado de seu procurador, Jean Paulo Francisco, lançou diversas acusações a altas figuras do governo, incluindo alguém com status de ministro. Ela teria sido forçada a manter relações sexuais com eles.
Foram divulgadas diversas fotos eróticas de Fabíula na internet. Em algumas delas, a moça aparece em um dos gabinetes do Ministério da Agricultura. Se sua intenção era ficar famosa, já conseguiu. Enquanto destilava suas ameaças aos funcionários, aproveitou para revelar que já recebeu diversas propostas para posar nua em revistas masculinas.

Sindicância vai apurar quem fotografou a "Musa do MAPA"
Uma comissão de sindicância do Ministério da Agricultura começou a investigar qual foi o funcionário, ou autoridade, que fez fotos eróticas de uma servidora num gabinete do 9º andar do prédio, pavimento onde funciona a Secretaria Executiva do MAPA.
Fabíula foi demitida da empresa Federal Service, que presta serviço ao ministério, por causa da divulgação na internet de quatro fotos dela seminua e em poses sensuais.
A assessoria de imprensa do ministério informou que a comissão de sindicância deverá apresentar em 30 dias, prazo que pode ser prorrogado por mais 30, uma conclusão do episódio e verificar se, como disse Fabíula, o ensaio erótico foi feito por um funcionário do ministério. Os assessores da Agricultura ressaltaram que Fabíula não era funcionária efetiva.
Segundo pessoas que trabalham no ministério, o suspeito de ser o "fotógrafo" anda deprimido. Ele é casado e teria tido uma relação íntima com Fabíula durante alguns meses. Fabíula confirmou que tirou oito fotos nas dependências do ministério. Ela disse ainda que tem um book com cerca de 1.400 fotos, boa parte delas teria sido tirada pelo funcionário da Agricultura. "As fotos foram divulgadas por e-mails de algumas pessoas", contou, sem dar mais detalhes do ensaio e da divulgação.
Moradora da cidade-satélite de Taguatinga, Fabíula terminou no ano passado o ensino médio. Pelo trabalho no ministério, ela ganhava R$ 480. Ontem, ao assinar o aviso prévio, deu uma entrevista coletiva. "Agora, espero que surja algo bom em termos profissionais, quem sabe uma capa de revista", disse.

Jornalista Cláudio Humberto detona em seu site ao comentar sobre a Musa do MAPA e a crise da carne
"Miss Agricultura : Afastada após a divulgação das fotos eróticas no Ministério da Agricultura, Fabíula tem blog na internet. Oferece-se para filmes pornôs, fala de ameaça de morte e exibe sexo explícito com um senhor pinto, não identificado. O ministério ignora a denúncia de abuso sexual de graúdos do alto escalão."
"Crise da carne : Celebridade da hora, Fabíula podia mediar o conflito anunciado: empresários irlandeses querem boicote temporário do gado brasileiro na União Européia. Temem o surto de febre aftosa."
"O nome certo : O problema do ministério da Agricultura não é a aftosa, mas a vaca louca."

Baixaria dá Ibope?
Baixaria ainda dá ibope e vai continuar dando, pelo jeito. Programa de Marcia Goldsmidt na Band registrou, no domingo, um de seus recordes de audiência (quase 10 de pico, seis de ibope), ao entrevistar e revelar para o país a saga de Fabíula a "Musa do Mapa".

Doença do cacau brasileiro ameaça produção mundial, dizem pesquisadores

A produção mundial de cacau pode cair consideravelmente se doenças que atacam plantações na América do Sul se espalharem por outras regiões produtoras do fruto, segundo cientistas britânicos.
Milhares de pessoas perderam o emprego na Bahia quando as plantações de cacau foram infectadas pela vassoura-de-bruxa, doença que provoca o apodrecimento das folhas e dos frutos dos cacaueiros.
A doença está sendo controlada no Brasil e novos postos de trabalho voltaram a ser abertos na Bahia desde 2003. Mas pesquisadores britânicos, em artigo publicado na revista Biologist, dizem que, se a doença atingir plantações de cacau na África, os efeitos podem ser devastadores.
"Na Bahia, a destruição causada pela vassoura-de-bruxa foi terrível", disse Gareth Griffith, professor da Universidade do País de Gales e co-autor do artigo. "A estimativa é que 200 mil pessoas perderam seus empregos e que mais de 2 milhões foram indiretamente afetados."
Segundo Griffith, a doença foi identificada no começo do século 20 e provavelmente evoluiu na floresta amazônica.
O pesquisador acredita que a doença se espalhou regionalmente em um primeiro momento, até que as plantações de cacau se revelaram como um local propício para a propagação do fungo.
Griffith também acredita que as viagens de plantadores de uma região para outra provavelmente ajudaram a doença a se espalhar.
"As pessoas pegam sementes que acreditam ser saudáveis e levam para plantar em outras regiões. Mas isso pode levar a doença a essas áreas", diz Griffith. "Foi assim que a vassoura-de-bruxa chegou ao Equador e provavelmente à Bahia."
De acordo com Griffith, quando a vassoura-de-bruxa ataca uma plantação, a safra pode cair até 90%. E, apesar de um século de pesquisas, ninguém ainda apresentou uma estratégia efetiva de controle.
Recentes planos de combate incluem o desenvolvimento de uma linhagem resistente da planta de cacau.
"Na Bahia, eles estão empenhados em criar uma linhagem resistente porque as plantações foram realmente afetadas na região", disse o pesquisador britânico Bob Eagle. "Então eles testam plantas que conseguem crescer apesar da doença, para observar se existe alguma resistência natural que possa ser analisada."
A América do Sul produz 10% do cacau do mundo. A maior produtora é a África, responsável por mais da metade da produção do fruto.
"No oeste da África há milhares de famílias que dependem do cacau. A doença poderia devastar o sustento dessas famílias."
Mas o diretor-geral da Associação de Biscoitos, Bolos, Chocolates e Doces, Mike Webber, diz que a situação é improvável. "Nós estaríamos preocupados se a gente acreditasse que há um risco sério de a vassoura-de-bruxa chegar ao oeste africano. Mas o sistema de quarentena é rígido para qualquer planta que circule de uma região a outra."
"As plantas ficam em quarentena por meses e só são transportadas quando atestado que são saudáveis", disse ele.
Mas, segundo Griffith, as chances existem, e alguma atitude precisa ser tomada antes que seja tarde.


Fonte: BBC

Morreu “Vitoriosa”, o clone do clone da Embrapa

Choque cardiogênico por pressão arterial foi a causa da morte da bezerra “Vitoriosa da Embrapa”, clone de outra vaca clonada.
A bezerra “Vitoriosa da Embrapa”, clone de outra vaca clonada, a “Vitória”, faleceu no dia 30 de maio, às 13 horas, por choque cardiogênico causado por hipertensão arterial. A bezerra nasceu no dia 5 de fevereiro de 2004 e vinha apresentando crescimento e quadro fisiológico normais. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, realizará entrevista coletiva às 14 horas, no auditório central da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em Brasília-DF, com o pesquisador Rodolfo Rumpf , líder das pesquisas de reprodução animal, e o chefe geral da Unidade da Embrapa, José Manuel Cabral, para apresentar as questões técnicas que levaram ao falecimento da bezerra.
Segundo Rodolfo Rumpf, a bezerra vinha apresentando um crescimento adequado ao padrão de sua raça (Simental), ganhando cerca de 1,2 a 1,3 kg por dia. Desde que nasceu, ela vinha sendo acompanhada pela equipe do Hospital Veterinário da Universidade de Brasília (UnB). “A clonagem é uma técnica nova e ainda não completamente dominada. Existem relatos de hipertensão arterial em outros casos de clonagem citados na literatura científica e também em animais que não são clones”, afirma.
A causa da morte da bezerra “Vitoriosa da Embrapa” foi confirmada por testes patológicos realizados pela Universidade de Brasília (UnB) e pela Universidade Federal de Pelotas. Um outro laudo foi solicitado pela Embrapa, mas ainda não está concluído.
A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia fica no Parque Estação Biológica, final da Av. W5 Norte, ao lado da Câmara Legislativa.

Mais informações:
Fernanda Diniz
Telefones: (61) 448-4769 e 448-4770

Proposta regulamenta venda de soja transgênica

A Câmara dos Deputados está estudando proposições que normatizam o plantio e comercialização de soja geneticamente modificada. Uma dessa propostas é o Projeto de Lei 3477/04, de autoria do deputado Luis Carlos Heinze (PPB-RS), que só permite o plantio e a venda de soja transgênica se os agricultores assinarem um termo de responsabilidade.
O parlamentar lembra que a colheita da safra 2002/2003 gerou um impasse econômico e social que obrigou o Governo Federal a adotar uma medida provisória - MP 113/03, posteriormente convertida na Lei 10688/03 -, que legalizou a venda da soja colhida no primeiro semestre de 2003. A MP era uma solução legal provisória, pois "esperava-se que uma nova Lei de Biossegurança viesse a dar segurança jurídica para o plantio das futuras safras", recorda o deputado. No entanto, essa lei (PL 2401/03) ainda tramita no Congresso Nacional (atualmente, aguarda votação no Senado Federal), o que suscitou novo impasse.

Segunda MP
A venda da safra 2003/2004 foi novamente contornada por uma medida provisória - MP 131/03, transformada na Lei 10814/03 - que regulou a safra plantada em 2003 e colhida no primeiro semestre de 2004. Essa MP também autorizou o registro provisório da soja transgênica no Registro Nacional de Cultivares, o que se permitiu ampliar o estoque de sementes de soja geneticamente modificadas.

Vácuo legal
A proximidade da época em que os agricultores definem o plantio da safra 2004/2005 volta a preocupar. "A inexistência de regulamentação legal significará transtorno aos agricultores e prejuízos para a nova safra", prevê o parlamentar. Heinze destaca ainda a importância do debate, já que "o agronegócio é o carro-chefe da economia e das exportações brasileiras".
Para evitar a edição de uma terceira medida provisória, em sua avaliação uma solução "paliativa, transitória e desgastante", o deputado apresentou o projeto normatizando o plantio e a venda de soja modificada geneticamente.

Andamento
A proposta de Heinze foi apensada ao PL 2905/97, do deputado Fernando Gabeira (sem partido-RJ), que trata do mesmo assunto. O texto de Gabeira já foi aprovado por uma comissão especial há dois anos. Agora, aguarda inclusão na Ordem do Dia para ser votado pelos deputados no plenário da Câmara.

Fonte: Agência Câmara

Produtores colheram 4,1 milhões de toneladas de soja transgênica na safra 2003/2004

Os produtores brasileiros colheram 4,1 milhões de toneladas de soja transgênica na safra 2003/2004, segundo dados consolidados pela Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura. O volume corresponde a 8,2% do total de 50,18 milhões de toneladas de soja produzidas pelo país na safra passada. O ministério estima que a produção de soja transgênica rendeu R$ 2,7 bilhões na safra 2003/2004, sem considerar o valor agregado ao longo da cadeia de produção da soja.
Os maiores produtores de soja transgênica são os estados do Rio Grande do Sul (88,1%), Paraná (1,8%), Minas Gerais (1,7%), Goiás (1,4%), Piauí (1,4%) e Santa Catarina (1,4%).
O resultado sobre a produção de soja transgênica foi obtido pelo ministério com base na produtividade da soja convencional e na área plantada com soja geneticamente modificada, declarada em 83.580 termos de compromisso assinados pelos produtores, uma exigência legal.
Os dados confirmam que a maior parte da produção de soja transgênica ficou concentrada. A área plantada com o produto chegou a 2,78 milhões de hectares na safra 2003/2004, o que corresponde a 13,2% da área total plantada com soja no país.
Segundo os termos assinados pelos produtores, o Rio Grande do Sul registrou a maior área cultivada com soja geneticamente modificada: 2,59 milhões de hectares, ou 93% do total plantado com variedades transgênicas no país.
A produção no estado, distribuída em 400 municípios, ficou concentrada em Tupanciretã, Júlio de Castilhos, Cruz Alta, Palmeira das Missões e Jóia. Nos demais estados, a área plantada somou 192,9 mil hectares, ou 7% do total do país.

Fonte: Ministério da Agricultura

BASF homenageia Marçal Zuppi, da ANDEF

A BASF homenageou o engenheiro agrônomo Marçal Zuppi, responsável pela área de educação e treinamento da ANDEF – Associação Nacional de Defesa Vegetal, pelos anos de intensa colaboração para o crescimento e profissionalização da agricultura brasileira. O reconhecimento foi feito por Maurício Marques, diretor da Divisão Agro da BASF, durante solenidade que contou com a presença de toda a equipe Agro da empresa, em Angra dos Reis.
Durante a homenagem, Marçal foi aplaudido em pé pelos profissionais presentes e fez um breve discurso. “Este é um dos mais importantes reconhecimentos que recebi na minha vida profissional. É muito emocionante poder estar aqui com toda a equipe BASF, pessoas de muito competência que vêm participando ativamente do processo de crescimento do setor agrícola”.
A ANDEF tem como missão criar condições favoráveis ao desenvolvimento do setor de produtos fitossanitários no Brasil, atuando na defesa de suas associadas, respeitando o homem e o ambiente. Além disso, uma das principais funções é promover o uso correto e seguro destes produtos melhorando a produtividade e qualidade da produção agrícola.
A associação promove a defesa vegetal no Brasil orientando-se pelos princípios que regem as práticas da agricultura sustentável face ao desafio de produzir alimentos, em terras aráveis cada vez mais limitadas, para uma população em permanente crescimento. O uso da tecnologia é recurso essencial à disposição do homem capaz de suprir as demandas crescentes à produção agrícola.
Frente a este cenário, Marçal Zuppi possui 35 anos de experiência profissional, sendo que os últimos 15 anos têm sido dedicados ao Comitê de Educação e Treinamento da ANDEF, o Cetus. Neste comitê, Marçal é responsável pela realização de inúmeros cursos (ABEAS, SIMPAS, DEFTARA, etc), além de realizar parcerias com renomadas entidades (Ex: SENAR) e participar ativamente dos mais importantes eventos ligados ao setor.

Divisão de Produtos para Agricultura
Com vendas de 3,176 milhões de euros em 2003, a Divisão de Produtos para Agricultura da BASF é líder no segmento de produtos para proteção de plantas, e ainda uma forte parceira da indústria agrícola, à qual fornece fungicidas, inseticidas e herbicidas inovadores e bem estabelecidos no mercado. Os agricultores usam esses produtos e serviços para melhorar suas plantações e a qualidade das suas colheitas. Outros usos incluem: saúde ambiental, controle estrutural/urbano de pragas, gramados e plantas ornamentais. A BASF quer rapidamente transformar seu conhecimento em sucesso de mercado. A Divisão de Produtos para Agricultura da BASF visa ser líder mundial em inovações, otimização a produção agrícola, melhorando a nutrição e aumentando assim a qualidade de vida da crescente população. Mais informações podem ser encontradas no endereço eletrônico:
www.basf.de/en/produkte/gesundheit/pflanzen

The Chemical Company
A BASF emprega cerca de 5000 colaboradores na América do Sul e atingiu vendas totais de €1.8 bilhão* em 2003. Desse total, €1 bilhão representa as vendas da empresa no Brasil. A BASF é a empresa química líder mundial. Nossa meta é crescer de forma rentável, e melhorar ainda mais o valor de nossa empresa. Nós ajudamos nossos clientes a atingir o sucesso por meio de soluções inteligentes e produtos de alta qualidade. O portfólio da BASF abrange desde produtos químicos, plásticos, produtos performance, para agricultura e química fina, até óleo crú e gás natural. Por meio de novas formas de tecnologia, podemos ativar novas oportunidades de mercado. Conduzimos nossos negócios de acordo com os princípios do desenvolvimento sustentável. Em 2003, a BASF obteve vendas de mais de €33 bilhões (cerca de $42 bilhões) e empregou mais de 87,000 profissionais ao redor do mundo. As ações da empresa são negociadas nas bolsas de valores de Frankfurt (BAS), Londres (BFA), Nova Iorque (BF), Paris (BA) e Zurique (AN). Para mais informações sobre a BASF visite nosso endereço eletrônico: www.basf.com.
* Esse resultado abrange os negócios realizados pelas empresas do Grupo na região, incluindo a Wintershall (empresa situada na Argentina, voltada a produção de óleo cru e gás).


Mais informações
CL-A Comunicações: Fone- (11) 3082-3977, fax – (11) 3082-4066, com Paulo Damião (r.27) paulo@cl-a.com / Érica Smith (r.28) erica@cl-a.com

Presidente do Comitê de Fruticultura recebe prêmio Distinção Empresarial

O presidente do Comitê de Fruticultura da Metade Sul, Afonso Hamm, recebeu na noite de sexta-feira, em Bagé, o prêmio "Distinção Empresarial 2004", no setor de Fruticultura. A solenidade ocorreu no Clube Comercial e foi promovida pela Associação Comercial e Industrial de Bagé (Aciba).
A distinção é oferecida pela Aciba há quatro anos para empresas e pessoas que se destacam nos setores em que atuam.
A escolha dos nomes que receberam o troféu 2004 foi por intermédio de uma pesquisa científica produzida pela Universidade da Região da Campanha (Urcamp). A comunidade local apontou as empresas e talentos mais lembrados de Bagé.
A fruticultura é um dos segmentos do agronegócio que tem a capacidade de oportunizar a diversificação da matriz produtiva, gerando emprego e renda. O desenvolvimento deste setor contribui para a redução das desigualdades regionais, promovendo a inclusão social. É com essa afirmativa que Hamm destaca a base da motivação de seu trabalho em busca da diversificação das atividades produtivas da Metade Sul.
Afonso Hamm, que é fruticultor bajeense, também atua como diretor administrativo da Emater/RS e na coordenação do Programa Estadual de Fruticultura (Profruta/RS). Ainda é membro titular da Câmara Nacional da Cadeia Produtiva da Fruticultura e Deputado Federal Suplente.
Com este reconhecimento, Hamm compartilha com toda sua família e com a comunidade que são figuras constantes para o aprimoramento de seu trabalho.

Márcia Marinho - Assessora de Imprensa - (53) 99599914 - ')"imprensamgm@bol.com.br

Comercialização de vacinas anti-rábicas para bovinos em 2004 é 70% superior à venda do mesmo período de 2003

No primeiro semestre deste ano, os laboratórios já comercializaram 54 milhões de doses da vacina, 22 milhões doses acima da demanda prevista pelo MAPA para o período.

A modernização no programa nacional de controle da raiva dos herbívoros, iniciado em 2003, já registra resultados positivos, indicados principalmente pelo aumento da comercialização de vacinas anti-rábicas pela indústria veterinária.
De acordo com os dados da Central de Selagem de Vacinas (CSV), em Vinhedo/SP, órgão constituído por parceria entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), no primeiro semestre de 2004 já foram comercializadas 54 milhões de doses de vacinas anti-rábicas, volume 70% superior ao verificado no mesmo período do ano passado, de 32 milhões de doses. A comercialização em 2004 também é superior à demanda estabelecida pelo Programa Oficial de Vacinação do MAPA para o período, também de 32 milhões de doses.
Minas Gerais é o estado que mais consumiu a vacina em 2004, com (13,4 milhões de doses), seguido por Goiás (12,7 milhões/doses), Mato Grosso do Sul (5,3 milhões/doses), São Paulo (4,5 milhões/doses) e Bahia (3,9 milhões/doses).
De acordo com Emílio Salani, presidente do Sindan, esse expressivo avanço do Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros resulta do trabalho de parceria entre governo, indústria e produtores, intensificado pelo aumento dos recursos financeiros oficiais destinados à defesa sanitária animal.
“O maior orçamento da defesa sanitária animal em conjunto com a conscientização cada vez maior dos pecuaristas está possibilitando incremento e modernização quantitativa e qualitativa dos programas de sanidade animal, como o da raiva dos herbívoros, e contribuindo para que o País chegue mais perto do controle dessa doença”, explica Salani.
O combate à raiva dos herbívoros – bovinos, principalmente – vem recebendo atenção especial do MAPA desde 2003 quando as vacinas anti-rábicas passaram a integrar o programa oficial de selagem, que objetiva ampliar o controle de origem e qualidade das vacinas veterinárias. Além disso, o MAPA passou a utilizar o teste de potência NIH (National Institutes of Health), preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para a avaliação da potência vacinal contra a Raiva.

Texto Assessoria de Comunicações: telefone (11) 3675-1818
Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291)

Indústria veterinária doa vacinas contra aftosa ao Pará

Os fabricantes de vacina contra febre aftosa doarão 15 mil doses à Federação de Agricultura do Estado do Pará (FAEP) para imunização do rebanho de produtores sem recursos de Monte Alegre, no oeste do Pará, município que registrou ocorrência de focos de febre aftosa no dia 02 de junho.
As vacinas serão repassadas pela indústria veterinária ao governo do Pará, que será responsável pela vacinação dos animais daquela região, considerada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) como de alto risco para a febre aftosa.
Emílio Salani, presidente do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), entidade que reúne os laboratórios veterinários que atuam no país, explica que a iniciativa objetiva minimizar os riscos de contaminação de outros animais na região.
“Se quisermos erradicar definitivamente a febre aftosa precisamos colaborar com as localidades mais carentes de recursos, manter os investimentos em sanidade e atentar para aspectos importantes, como sistema de vigilância e controle, rastreabilidade, certificação de qualidade e, principalmente, integração efetiva de todos os segmentos da cadeia produtiva”, afirma Salani.
De acordo com o presidente do Sindan, apesar do aparecimento do foco de febre aftosa no Pará, é inegável o sucesso do País no combate à doença. “Ano após ano registra-se aumento dos índices de vacinação dos rebanhos e esse resultado deve-se ao trabalho de parceria entre produtores, governo e indústria, cada um fazendo sua parte”, informa Emilio Salani, ressaltando que o Brasil é o maior fabricante de vacinas contra aftosa no mundo, com capacidade para 500 milhões de doses/ano.

Texto Assessoria de Comunicações: telefone (11) 3675-1818
Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291)

AgroSala Internacional 2004 é um sucesso

A 3º edição da AGROSALA Internacional 2004, feira dinâmica de máquinas e insumos agrícolas, que termina neste sábado (26), está sendo um verdadeiro sucesso. Realizada em Nova Granada, pelo terceiro ano consecutivo, em um espaço de 200 mil metros quadrados com mais de 270 expositores, a Agrosala até agora já recebeu mais de 90 mil visitantes.
O presidente do Mercadão de Tratores, revendedor da marca Valtra, e participante da Feira desde a sua fundação, está encantado com a instalação e infra-estrutura desse ano. “Essa é uma feira que serve para conhecer os novos produtos e principalmente para fazer negócios. A organização está excelente e estamos atingindo o que planejávamos. Já o setor de implementos cresceu bastante em relação ao ano passado”, diz Osmair Guarefchi.
Preocupando-se sempre em melhorar a Agrosala, tanto para o expositor quanto para os visitantes, o presidente do evento - Setimio de Oliveira Sala - investiu bastante em instalações, e atraiu um público diversificado como as delegações estrangeiras para ampliar parcerias e negócios.
“A AGROSALA esta atingindo uma maturidade, que proporciona aos nossos expositores e visitantes a confiança na geração de ótimos negócios”. Um exemplo disto é o Curral de Negócios, local onde os pecuaristas expõem e comercializam animais sem a comissão aplicada nos leilões, que já comercializou 70% dos animais.
Missões dos países África do Sul, Angola, Cabo Verde, Costa do Marfim, Guiana, Guiné Bissau, Moçambique, Namíbia, Senegal e Trinidad Tobago. Além de Estados Unidos, Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai marcam presença com o objetivo de realizar um intercâmbio comercial entre a região e países Africanos e Caribenhos.
"Esse contato pode gerar inúmeras possibilidades de parcerias e processos de trabalho conjunto, no que se refere às oportunidades de negócios e áreas de demanda", afirma a presidente da InterforumGlobal, embaixadora Dulce Maria Pereira.
O evento deste ano conta com os apoios: Banco do Brasil, Banespa, Bradesco, BM&F, Embrapa, Interforum Global, SEBRAE, SENAR, Ministério da Agricultura e Abastecimento, FAESP, entre outros.

Mais informações sobre a AGROSALA podem ser adquiridas no web site
www.agrosala.com.br.


Sobre A AGROSALA
A AGROSALA Internacional, feira dinâmica de máquinas e insumos agrícolas, é realizada em Nova Granada, SP, anualmente. Localizada na BR 153, a AGROSALA está a 30 quilômetros de São Jose do Rio Preto, em ponto estratégico do pólo mais rico do estado, a 30 km de Minas Gerais , 150km de Mato Grosso do Sul, e próximo a Goiás. Sua primeira edição, em 2002, recebeu 40.000 pessoas e movimentou 50 milhões de reais durante o evento. Em 2003, com um crescimento de 75%, movimentou 300 milhões de reais e recebeu 135.000 visitantes.

Jornalistas responsáveis: Camila Goytacaz MTB: 32222
Adriana Carnevali MTB: 030479

Nutrição na pecuária leiteira é tema de chat no Canal Tortuga na próxima quarta-feira (30/06)

O Canal Tortuga (www.canaltortuga.com.br), portal de informações sobre o agronegócio, intensifica a programa de chats com profissionais da produção animal para esclarecer questões ligadas a sua atividade. Na próxima quarta-feira (30/06), o bate-papo on-line será sobre a interação entre nutrição e reprodução na pecuária leiteira, visando à produtividade do negócio. O profissional convidado para conversar com os internautas sobre o tema é o médico veterinário Dr. Rodrigo de Souza Costa, assistente técnico de leite no Estado de São Paulo da Tortuga, maior empresa de nutrição e saúde animal do Brasil.
O convidado estará à disposição de produtores, técnicos, imprensa e do público em geral para tirar dúvidas e debater como a relação entre nutrição e reprodução pode se reverter em produtividade para a pecuária leiteira no Brasil. O chat tem início às 9h e vai até às 12h. Para participar, é só acessar www.canaltortuga.com.br / Chat / Sala Bovinocultura

O que: Chat sobre nutrição em pecuária de leite
Quando: Quarta-feira (30/06)
Horário: Das 9h às 12h
Onde: Canal Tortuga – www.canaltortuga.com.br / Chat / Sala Bovinocultura
Quem: Rodrigo de Souza Costa, médico veterinário e assistente técnico de leite no estado de São Paulo da Tortuga,


Texto Assessoria de Comunicações – Tel.: (11) 3675-1818
Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291)

Insumos naturais da Alltech geram bons negócios na Feicorte

As soluções naturais para melhorar o desempenho produtivo da pecuária, apresentadas pela Alltech durante a Feicorte 04 – realizada de 15 a 19 de junho em São Paulo - devem gerar expressivo volume de negócios para a empresa, especializada no desenvolvimento de insumos naturais para alimentação e saúde animal. O otimizador ruminal natural, Beef- Saccâ, os inoculantes para silagem e a uréia protegida Optigen – um avanço na nutrição de ruminantes – chamaram a atenção dos mais de 30 mil visitantes da feira.
Fabiano Tavares, gerente de bovinos da Alltech, explica que o principal produto apresentado pela empresa no evento foi Beff - Saccâ, elaborado com a combinação de leveduras que promovem maior digestibilidade das fibras – proporcionando melhor conversão alimentar e maior ganho de peso – e minerais orgânicos (cromo e selênio), que passam pelo rúmen do animal sem sofrer alteração, possibilitando absorção intestinal mais eficiente, além de garantir melhor formação de massa muscular e melhor imunidade.
Os resultados obtidos pelas leveduras, aliás, foram apresentados pelo gerente regional de bovinos da Alltech, Adolfo Pereira, durante palestra dirigida aos pecuaristas e técnicos que participaram da Feicorte.
Luiz Keplin, consultor da Alltech, com experiência de 20 anos em alimentação de bovinos, também fez palestra durante o evento, falando sobre silagem. O consultor explicou que a produção de silagem é um dos processos mais importantes na conservação de plantas forrageiras a ser usadas como alimento principalmente durante o período da escassez de pastagens. “O uso de inoculantes biológicos na produção de silagem contribui para a qualidade do produto, pois entre outros benefícios reduz a fermentação indesejável, que aumenta a temperatura do silo”, diz o especialista.
A Alltech também levou à Feicorte toda sua linha de produtos, que envolve enzimas, leveduras, minerais orgânicos, inoculantes para silagem, entre outros ingredientes voltados à nutrição de bovinos.

Informações adicionais sobre a Alltech podem ser obtidas pelo telefone (41) 347-9291, e-mail: faleconosco@alltech.com e site www.alltech.com.br

Texto Assessoria de Comunicações: tel. (11) 3675-1818
Jornalista responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291)

William Close vem ao Brasil nos dias 5 e 6 de julho para falar de nutrição e manejo de leitões desmamados a nutricionistas e técnicos de empresas bras

Lideranças empresariais e cientistas apresentam propostas de pesquisa à Embrapa Pecuária Sudeste
Lideranças empresariais e técnicos da pecuária de corte estarão presentes à Reunião do Grupo Foco Carne, promovida pela Embrapa Pecuária Sudeste, que ocorrerá nesta terça-feira (dia 29), em São Carlos.
O encontro tem como objetivo o encaminhamento de sugestões e propostas para a elaboração do novo Plano Diretor da Embrapa Pecuária Sudeste, que vai definir os objetivos e prioridades, para o período 2004 - 2007, das pesquisas, ações de transferência de tecnologia e outros trabalhos dessa Unidade da Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A reunião não será aberta ao público.
Dessa maneira, a Embrapa Pecuária Sudeste vai sistematizar, de maneira mais efetiva, quais são os novos problemas e necessidades da cadeia produtiva da pecuária de corte. O diagnóstico a ser apresentado pelo setor empresarial e por pesquisadores de outros órgãos, bem como as metas de pesquisa a serem elaboradas pela Embrapa, vão abordar não só os aspectos técnicos, mas também a realidade e os problemas econômicos, sociais e ambientais da pecuária. A cadeia do agronegócio da pecuária de corte inclui, entre outros, pecuaristas, frigoríficos, exportadores, curtumes, indústrias de calçados, açougues, supermercados e indústrias de insumos e equipamentos para o setor.
Estarão presentes empresários e técnicos ligados à Sociedade Rural Brasileira, ABIEC - Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne, ABCZ-Associação Brasileira de Criadores de Zebu, Associação Brasileira de Criadores de Canchim, Associação Brasileira do Novilho Precoce, Unipasto, Instituto de Zootecnia (SP), Emater-MG, Sociedade Brasileira de Melhoramento Animal, USP - Universidade de São Paulo, UFSCar - Universidade Federal de São Carlos, Unicamp - Universidade Estadual de Campinas, Sebrae-SP, cooperativas, sindicatos rurais, jornalistas especializados, Embrapa Gado de Corte (Campo Grande-MS), Embrapa Caprinos (Sobral-CE) e Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos-SP).

Jorge Reti - MTb 12693-SP e MS14130/SJPSP/FENAJ
Assessor de imprensa
Embrapa Pecuária Sudeste
telefone 0xx16) 3361-5611

Uma aula de nutrição de suínos, com o papa do assunto

William Close vem ao Brasil nos dias 5 e 6 de julho para falar de nutrição e manejo de leitões desmamados a nutricionistas e técnicos de empresas brasileiras.
Os nutricionistas e técnicos de organizações de suínos do Brasil terão a oportunidade de aprender e trocar informações com o inglês William Close, um dos maiores especialistas em alimentação de suínos no mundo. Close estará no Brasil nos próximos dias 5 e 6 de julho, a convite da Alltech, empresa de soluções naturais para alimentação e saúde animal, para realizar o I Workshop Premier Pig Program. O evento, realizado em parceria com a Embrapa Suínos e Aves (SC), colocará lado a lado profissionais altamente capacitados da suinocultura nacional e um dos mais renomados consultores da área, discutindo as estratégias nutricionais para melhorar o desempenho e a rentabilidade da atividade.
O I Workshop Premier Pig Program acontecerá em Campinas (SP) no dia 5 de julho e em Concórdia (SC) no dia 6. O tema central do evento será “Nutrição e manejo de leitões desmamados” e também contará com a participação do engenheiro agrônomo Gustavo J. de Lima, mestre e PhD em Nutrição Animal e pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, de Concórdia (SC), responsável pelo tema “Qualidade nutricional do milho e suas implicações na redução do custo de produção”.
“A programação do workshop foi elaborada tendo como foco o fator-chave na determinação da performance final dos suínos: a nutrição. A suinocultura precisa manter níveis elevados de produtividade e, para tanto, a alimentação de qualidade é fundamental, acarretando benefícios diretos à saúde, ao bem-estar e ao desempenho dos animais”, afirma Fábio Catunda, gerente de suínos da Alltech.
Segundo Ticiana Soffiatti, coordenadora do evento, William Close é um dos maiores experts do mundo no desenvolvimento de programas estratégicos e práticas para produção de suínos com rentabilidade, propostas que se ajustem às exigências do mercado nacional e de exportação. “A experiência de Close o levou a idealizar o Premier Pig Program, já lançado na Nova Zelândia e na Austrália, desenvolvido para proporcionar suporte e informações técnicas independentes e apropriadas para todos os setores da indústria suinícola. É esse conceito que estamos trazendo para o Brasil para apresentar aos nutricionistas e técnicos das maiores organizações suinícolas do País”, explica Ticiana.
Willian Close esclarece que o objetivo do Premier Pig Program é colaborar com a transferência de tecnologia, comparar os níveis atuais de produtividade e identificar as principais áreas de problemas, sugerir estratégias para melhoria da performance e ações para a produção suinícola moderna com crescimento sustentável a longo prazo. De acordo com o consultor britânico, é fundamental compreendermos as necessidades nutricionais dos suínos em todas as fases de crescimento e providenciarmos dietas adequadas e gerenciamento nutricional eficaz para alcançar eficiência e produção rentável. “Para a multiplicação desses conceitos, o Premier Pig Program conta com um detalhado manual de gerenciamento e nutrição adequada para todas os estágios de produção“, completa Close.

Locais do I Workshop Premier Pig Program:

Campinas - SP (05/07)
Vitória Hotel Campinas
Av. José dos Campos, 525, Cambuí.
Horário: 8h30 às 18h30

Concórdia - SC (06/07)
EMBRAPA
BR 153, Km 110, Vila Tamanduá
Horário: 8h30 às 18h30

Informações adicionais sobre o I Workshop Premier Pig Program podem ser obtidas pelo telefone (41) 347-9291, no site: www.alltech.com.br ou pelo e-mail: faleconosco@alltech.com.

Texto Assessoria de Comunicações: telefone (11) 3675-1818
Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291)

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog