A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quarta-feira, março 31, 2004

Fiscalização do rótulo de produtos transgênicos ainda não tem regras

O decreto que obriga a rotulagem de alimentos que contenham ingredientes transgênicos começou a valer nesta quarta-feira (31) em todo o Brasil. Mas o trabalho de fiscalização não deve ter início imediato. Órgãos de defesa do consumidor, Ministério da Agricultura e Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária ainda acertam detalhes, entre si e com os governos estaduais.
No Paraná, por exemplo, até esta terça-feira (30) o Procon não tinha recebido do Ministério da Justiça a relação de produtos com organismos geneticamente modificados, e que devem ter esse aviso alertando o consumidor. Apenas com essa relação é possível aos fiscais saber quem está descumprindo a legislação.
"A lista só deverá chegar aqui nesta quarta-feira", afirmou o coordenador do órgão, Algaci Túlio. Técnicos do Procon, da Seab - Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento e da Vigilância Sanitária se reúnem nesta quarta-feira em Curitiba para definir como vai ser a fiscalização no Paraná.
De acordo com o decreto, a fiscalização nas propriedades rurais será feita por funcionários do Ministério da Agricultura. Nas indústrias, pela Anvisa. E no comércio, pelos Procons estaduais. Algaci Túlio, entretanto, diz que no Paraná o objetivo é montar uma equipe com representantes de todos os setores.
Já a delegacia regional do Ministério da Agricultura no Paraná ainda aguarda as instruções de Brasília, para iniciar a fiscalização. O Ministério da Agricultura, por sua vez, informa que aguarda uma definição da Casa Civil da presidência da República, que deve publicar somente nesta quarta-feira as diretrizes para fiscalização.
De acordo com a Anvisa, a fiscalização nas indústrias será feita pelas vigilâncias estaduais e municipais em todo o país, a partir da cadeia produtiva, com base nos relatórios do Ministério da Agricultura em relação às matérias-primas dos produtos industrializados. Por isso, a Anvisa também aguarda uma posição do Ministério da Agricultura para iniciar a fiscalização.

Decreto
O decreto federal que obriga a rotulagem de produtos que contenham transgênicos é de 24 de abril de 2003. A regulamentação, que deveria ter saído em fevereiro, tinha sido adiada e só ocorreu anteontem. A regra vale para alimentos destinados ao consumo humano ou animal, e o descumprimento pode implicar multa de até R$ 3 milhões ou apreensão do produto.
Para produtos contendo acima de 1% de transgênicos, será obrigatória a impressão nos rótulos de um "T" estampado em um triângulo. Alimentos à base de soja transgênica relativa à safra colhida em 2003 estão livres dessa exigência. Para a safra colhida neste ano, o símbolo será obrigatório.

Fonte: Gazeta do Povo

Planta da Amazônia substitui fibra de vidro

Pesquisa da Unicamp - Universidade Estadual de Campinas permitirá o uso da fibra de curauá, planta da Amazônia, como substituta da fibra de vidro em compósitos poliméricos usados em peças industriais. A técnica apresenta vantagens sobre o modelo convencional por ser dez vezes mais barata, biodegradável e menos abrasiva aos equipamentos de processamento. O material vegetal possibilita, ainda, produção de plásticos reforçados por meio do método de injeção, que geram peças mais complexas e com detalhes, como pontas e cavidades.
O coordenador da pesquisa e professor do Instituto de Química da Unicamp Marco-Aurelio De Paoli lembra que a fibra de curauá é empregada atualmente em tecelagem e reforço de plásticos. No entanto, é moldada por termoformagem, processo que não permite obter peças mais elaboradas. A tecnologia desenvolvida na Unicamp possibilita que a fibra vegetal reforce os compósitos poliméricos também pelo método de injeção. As peças complexas injetadas podem ser utilizadas nas indústrias automobilística e de eletroeletrônicos.
O pesquisador informa que a tecnologia está patenteada e pronta para ser transferida para a indústria. A fibra de curauá, planta pertencente à família das bromeliáceas (a mesma do abacaxi), é obtida a partir de fonte renovável, cultivada de forma intensiva no Pará. "A tecnologia, se empregada em larga escala industrial, agregará valor a um produto agrícola importante para a economia de comunidades amazônicas", ressalta.
Em automóveis, as peças feitas de plástico reforçado com curauá são mais leves do que as de fibra de vidro. "Pode reduzir o consumo de combustível", destaca De Paoli. Em relação ao setor de eletroeletrônicos, o produto com fibra de curauá pode ser empregado na fabricação de componentes internos de vários aparelhos.

Fonte: Agência Imprensa Oficial

Regras que obrigam a rotulagem de produtos que contenham transgênicos começam a valer a partir desta quarta

As regras que obrigam a rotulagem de produtos que contenham transgênicos começam a valer a partir desta quarta (31/03) em todo o país. O governo decidiu não adiar mais o prazo de entrada em vigor do decreto que determina a rotulagem dos transgênicos, apesar da resistência do Ministério da Agricultura, que alegava não ter condições de fiscalizar se os produtores de soja estão ou não cumprindo as normas. O ministro Roberto Rodrigues informou que a regulamentação do decreto, que até ontem ainda estava sendo discutida na Casa Civil da Presidência da República, dará mais flexibilidade para a fiscalização e, com isso, será possível assumir a nova tarefa no âmbito da Agricultura.
"O recado do governo é muito claro, a lei deve ser cumprida. A partir de quarta-feira, as ações deverão ser implementadas no que diz respeito à fiscalização. Se precisar ir até as fazendas, nós iremos", afirmou Rodrigues. A regulamentação do decreto seria finalizada ontem no Planalto, mas o ministro não quis adiantar quais as mudanças que seriam feitas para facilitar a atuação dos fiscais no controle das regras de rotulagem.
"Havia uma preocupação da nossa área técnica de que, mantidos os termos do regulamento, nós não conseguíssemos fazer tudo. Hoje (ontem) os meus secretários afirmaram que vamos conseguir fazer a fiscalização", explicou.
As regras de rotulagem obrigam a identificação de todos os produtos transgênicos destinados ao consumo humano ou animal, ou de produtos que contenham mais de 1% de presença de transgênicos. A fiscalização nas propriedades rurais será feita pelos fiscais da Agricultura. Nas indústrias de alimentos e rações, o papel deverá ser da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. No comércio, os Procons estaduais fecharam acordo com o Ministério da Justiça para fazer a fiscalização.
Todos esses produtos deverão apresentar na embalagem o triângulo amarelo com a letra "T", símbolo que identifica que o produto é transgênico ou foi produzido a partir de ingredientes geneticamente modificados. As embalagens também deverão informar ao consumidor que tipo de transgênico foi usado naquele produto.

Fonte: Valor Econômico

Agrimkt promove "I Encontro de Notáveis do Agronegócio"

Participantes foram convocados a serem membros do "Conselho de Notáveis do Agrimkt", que funcionará como um fórum permanente de discussões sobre marketing e comunicação no agronegócio.
O "I Encontro de Notáveis do Agrimkt", que ocorreu no último dia 29 de março, em São Paulo/SP, teve como principal objetivo debater assuntos ligados ao marketing do agronegócio brasileiro. José Luís Tejon Megido, Presidente da ABMRagronegócios - Associação Brasileira de Marketing Rural -, iniciou o evento abordando o tema "Tendências da Comunicação e Marketing no Agronegócio".
Segundo o Presidente da ABMRagronegócios, este tipo de iniciativa é muito positiva para o agronegócio, pois através da troca de experiência, cases e do apoio da ABMR nas questões que envolvem o marketing rural, os empresários terão a oportunidade de conhecer novas ferramentas e saber como direcionar as verbas destinadas a sua comunicação. "O primeiro passo que as empresas devem adotar, antes de iniciar qualquer investimento em marketing, é realizar uma pesquisa de mercado, pois sem esta ferramenta o empresário corre o risco de não aplicar corretamente suas verbas. Através destes encontros, os produtores rurais tomam conhecimento sobre a situação atual do mercado e consegue observar o agronegócio em vários aspectos e níveis produtivos", comentou Tejon.
Durante o evento, os presentes debateram sobre as estratégias adotadas em algumas empresas, como o marketing cooperado, direcionamento dos investimentos em segmentação e relacionamento, a criação de associações para os pequenos investidores como soluções de marketing, a força na construção da marca e a importância da mídia segmentada como veículo integrado com o mercado, seminários e empresas.
Este primeiro encontro serviu ainda para o lançamento do Sistema de Comunicação Agrimkt, que engloba um o programa de televisão exibido pelo Canal Rural e se expandirá para novas mídias, como jornal Impresso, pelo Jornal AgriMídia, além de um programa de rádio, o lançamento de um livro e de uma consultoria especializada.

XCLUSIVE PRESS
Coordenação : Gualberto Vita
Atendimento: Bianca Proença / Iara Soriano
Tel.: (15) 9711-7966 / (15) 262-4142
Jornalista Responsável: O.P.Gessulli (Mtb 32.517)

EUCATEX MOSTRA SEUS SUBSTRATOS NA GARDEN FAIR

Indicados para paisagismo e jardinagem, produtos garantem mais saúde e beleza para plantas, flores e gramados

A Eucatex Agro, líder do segmento de substratos com 45% do mercado, participa da Garden Fair, que acontece de 01 a 03 de abril no município de Holambra, São Paulo. Conhecidos por características como estabilidade e isenção de microorganismos, os substratos da Eucatex Agro são considerados ambientalmente ecológicos, já que a empresa utiliza recursos naturais renováveis. Selecionados para integrar o evento, o Rendmax Floreira, Rendmax Begônia e Rendmax Crisântemo foram desenvolvidos exclusivamente para garantir maior sanidade e resistência de mudas e plantas, de flores e folhagens cultivadas em vasos e em pequenos jardins externos.
Para a cobertura de todos os tipos de gramados, a Eucatex sugere o Rendmax Green, incluindo áreas de grandes dimensões como campos de futebol e golfe. Pronto para uso, é reconhecido pela sua alta retenção de umidade e pelo fornecimento controlado de adubo, além da garantia de proteção contra as geadas no inverno, dispensando o uso de terra como cobertura. O produto está disponível tanto em sacos de polietileno de 25 kg como a granel.
Prontos para uso, o condicionador de solo Solomax também foi elaborado a partir de matérias-primas de excelente qualidade e destina-se a diversos segmentos: flores de corte, morango, paisagismo e formação de jardins, entre outros.
Destinada a profissionais de paisagismo, jardinagem e de manutenção de áreas verdes, a Garden Fair acontece no Pavilhão de Exposições de Holambra, das 9h às 19h, e foi idealizada pelos organizadores da Hortiec – Exposição Técnica de Horticultura, um evento tradicional que vem contando com a participação da Eucatex em todas as suas edições. As informações sobre os produtos que a empresa leva para o evento podem ser obtidas através do telefone (19) 3888-4400 e do e-mail agro@eucatex.com.br.

Solange Gonçalves
ACCESSO
(11) 3021-2825

Programa da Merial ajuda no controle da imunossupressão nas aves

As doenças imunossupressoras, que baixam a resistência imunológica, são bastante temidas na avicultura. Produtores de diversas regiões do País já sofreram perdas econômicas consideráveis, devido à baixa produtividade que os plantéis apresentam quando detectado o problema.
Ricardo Pereira, médico veterinário e diretor de negócios de avicultura da Merial, empresa líder mundial em saúde animal, explica que a mais conhecida enfermidade imunossupressora é a doença de Gumboro (IBD), também denominada como doença infecciosa da bolsa. Trata-se de uma patologia infecto-contagiosa que ataca o sistema imunológico (Bolsa de Fabrício) das aves, levando o animal à baixa resistência imunológica (imunossupressão), que os deixa susceptíveis às enfermidades secundárias, podendo levá-los à morte.
O vírus da doença de Gumboro é muito estável ao meio ambiente e resistente a alguns desinfetantes, permanecendo alta a sua capacidade de infecção e difusão por diversos meses. Segundo Ricardo Pereira, a transmissão pode ocorrer pelo contato com aves infectadas ou rações, água, equipamentos e roupas contaminadas. “Aves silvestres, insetos e o próprio homem são os prováveis disseminadores do agente viral”, complementa o especialista.
Para prevenir a doença de Gumboro e outras enfermidades imunossupressoras, como Doença de Marek, Reovírus e Anemia Infecciosa das Aves, os avicultores devem ficar atentos aos programas de controle disponíveis. “O proprietário da granja deve observar os sinais clínicos de imunossupressão, como baixo desempenho corpóreo mesmo que bem manejados; no caso das poedeiras: baixa quantidade de ovos; lotes que não respondem à vacinação ou animais mortos”, explica Ricardo Pereira. Além disso, o produtor deve estar atendo ao atraso e crescimento desuniforme, baixo ganho de peso e alta conversão alimentar (aves não alcançam os rendimentos estabelecidos).aves deprimidas, aumento das reações respiratórias, baixa resposta às vacinações (títulos de anticorpos), taxa de mortalidade, surto de diferentes doenças,
A Merial disponibiliza para os seus clientes o “Immune Foundation”, programa que conta com ampla linha de produtos e serviços especializados, voltados para o bem-estar das aves. Recentemente, também lançou no mercado brasileiro as vacinas IBD-Blen e Bursa Blen M contra a doença de Gumboro, além de fabricar uma ampla variedade de vacinas para aves, contra Marek, Gumboro, Reovírus e Bouba para pintos de 1 dia. Para as matrizes, estão disponíveis vacinas contra Gumboro, Reovírus e Anemia Infecciosa, proporcionando transmissão efetiva de anticorpos maternos.
“A proteção, tanto para os frangos de corte como para as poedeiras comerciais começa com um programa de vacinação correto em lotes de reprodutoras, que assegure a transferência de anticorpos de boa qualidade à progênie. Para que uma ave seja 100% saudável, os sistemas imunológico, respiratório, digestivo e reprodutor devem funcionar plenamente, o que pode depender da qualidade do programa utilizado”, comenta Ricardo Pereira.


Informações sobre a linha de produtos para avicultura da Merial podem ser obtidas pelo site: www.merial.com.br

A Merial, líder mundial em saúde animal, está voltada para a inovação. Emprega cerca de 6.000 pessoas, atuando em mais de 150 países do mundo. A Merial oferece aos consumidores ampla linha de produtos farmacêuticos e vacinas para melhorar a saúde, o bem-estar e o desempenho de inúmeras espécies animais. Seu faturamento em 2002 ultrapassou US$ 1,7 bilhão. Merial é uma joint-venture entre Merck & Co., Inc. (NYSE: MRK) e Aventis S.A. (NYSE:AVE).


Texto Assessoria de Comunicações: Tel. (11) 3675-1818
Jornalista responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291)

Carrefour terá castanha Garantia de Origem

O Carrefour assina nesta sexta-feira, dia 2 de abril, com a Cascaju Agroindustrial, contrato de fornecimento de castanha de caju com selo Garantia de Origem. A empresa entregará para as lojas de todo o Brasil um produto que tem como grande vantagem sua rastreabilidade e total segurança de consumo.
Sediada em Cascavel (Ceará), a Cascaju é reconhecida nacional e internacionalmente como produtora de castanhas selecionadas. Não fosse isso, a empresa não exportaria para exigentes mercados como EUA, Canadá, Europa e Oriente Médio 75% das cerca de 30 mil toneladas de produto processadas por ano. Atua no mercado com as marcas Cascaju e Cashews Royale
Deste total, três mil toneladas são de produção própria. O restante é adquirido de produtores parceiros donos de plantações de cajueiros no Piauí e na Bahia e processados na Cascaju.
Pelo contrato, o Carrefour comprará parte das três mil toneladas produzidas na própria fazenda da agroindústria. Conforme determina o programa Garantia de Origem, essa produção é rastreada desde o plantio, cultivo, colheita e é processada separadamente das outras frutas.
O cultivo é totalmente isento de agrotóxicos. A empresa tem por principio respeitar o meio ambiente, ao utilizar sistema natural de adubagem e praticar programa de replantio. "Os cuidados e práticas da Cascaju atendem todas as exigências do Garantia de Origem", afirma Arnaldo Eijsink, diretor de agronegócios da rede varejista.
Para receberem certificação do Garantia de Origem, os produtos devem ser naturais, sem resíduos de agrotóxicos e têm os seus processos de produção totalmente acompanhados por agrônomos e veterinários, além de auditores independentes que, periodicamente, visitam os campos de cultivo, pastos e granjas.
Com a castanha, já são 47 os produtos que ostentam o selo de qualidade, entre os quais frutas, legumes, carnes bovina, suína, de coelho, galeto, frango caipira, peixes, leite, café, arroz, palmito, ovo caipira e queijo gran formaggio, Os fornecedores são selecionados depois que os técnicos do Carrefour conhecem suas instalações e examinam as condições de produção.

Assinatura do contrato Castanha Garantia de Origem
Dia: 02 de abril (sexta-feira)
Hora: 10h30min
Local: Instituto de Formação Carrefour
End: Paul Valery, 255 B. Granja Julieta – Sao Paulo - SP



Edson di Fonzo - MTb: 9117
Carrefour-Comunicação Social
Telefone para contato: (11)3035-2683
Fax: (11) 3035-2660

Rural divulga músicas inscritas no Concurso Regional de Composições

Na quarta-feira, dia 31 de março, a comunidade da região da campanha ficará conhecendo a música escolhida no Concurso Regional de Composições alusivo ao centenário da Associação Rural de Bagé. Neste dia, o centro de eventos do Parque de Exposições "Visconde de Ribeiro Magalhães" será cenário principal para apresentação de oito músicas inscritas no concurso. Essa atividade faz parte da programação da 25ª Semana Crioula Internacional, que inicia no dia 31 de março e encerra no dia 4 de abril.
De acordo com o coordenador do concurso, Diogo Madruga Duarte, esse concurso está sendo desenvolvido com objetivo de escolher uma música símbolo em comemoração aos 100 anos da Rural. Ele comenta que a escolha será durante a Semana Crioula por ser um evento mais campeiro do Mercosul e que marca a história da entidade. "Este concurso abre com chave de ouro nosso evento tradicionalista contribuindo decisivamente para o brilho das demais festividades do centenário", enfatiza.
Duarte informa que os concorrentes deverão estar prontos para apresentação no palco às 20h, com os seus músicos e equipamentos. As músicas serão escolhidas pela comissão julgadora formada por Paulo Gomes Móglia, Gilca Nocchi Collares, Átila Sá Siqueira, Paulo Ricardo de Souza Dias e Ana Maria Delabary. Esse nomes serão os responsáveis para apreciar os trabalhos apresentados para a escolha da composição símbolo do Centenário da Associação Rural.
A premiação para o primeiro lugar é de R$ 2 mil e o segundo lugar será contemplado com R$ 1 mil.

Confira as músicas selecionadas para apresentação:

- Por "95" - Música de Luís Carlos Coleho e Luana Soares Coelho
- Cem anos de luta e glória - Fábio Vaz Mattos
- Associação Rural de Bagé - "um século de glórias" - Luís Godinho
- Associação Rural - Cem Anos - Antônio Augusto Ferreira
- Centenária Rural - Oslai da Silva Fialho
- Esteios Rurais - Lizandro Amaral e Eron Vaz Mattos
- À Centenária - Rodrigo Duarte
- Associação Rural de Bagé - Severino Rudes Moreira

Márcia Godinho Marinho - Assessora de Imprensa - (53) 9959 9914 -

Concurso de Artesanato Campeiro acontece no sábado

Couro crú, lã crua e chifre serão demonstrados durante o Concurso de Artesanato Campeiro, programado para o dia 03 de abril, durante a 25ª Semana Crioula Internacional. Os interessados em participar do concurso podem se inscrever de forma gratuita até o início da tarde de sábado junto ao setor da artística, instalado no auditório Nei Severo, do Parque de Exposições .
A coordenadora do concurso, Ana Rosa Sonáglio informa que esse evento tem objetivo de valorizar o artesanato e cultura gaúcha. Também visa incentivar o trabalho das pessoas que produzem peças artesanais, oportunizando geração de renda e mão-de-obra.
Ana Rosa informa que as peças devem ser totalmente confeccionadas a mão. Nos trabalhos de couro crú só participarão a trança e o ponteio. No artesanato de couro cru, lã crua e chifre, as peças deverão obrigatoriamente ser relacionadas ao uso campeiro. O material do concurso ficará exposto em lugar próprio durante a Semana Crioula, podendo ser comercializado.

Premiação para o concurso de artesanato campeiro

Couro Crú:
1º lugar - R$ 200 e troféu
2º lugar - R$ 100 e troféu

Lã crua:
1º lugar - R$ 200 e troféu
2º lugar - R$ 100 e troféu

Chifre:
1º lugar - R$ 200 e troféu
2º lugar - R$ 100 e troféu

Márcia Godinho Marinho - Assessora de Imprensa - (53) 99792925 -

Festa mais campeira do Mercosul inicia na quarta-feira

A 25ª Semana Crioula Internacional de Bagé inicia nesta quarta-feira, no
Parque de Exposições "Visconde de Ribeiro Magalhães". A festa tradicionalista que se estende até o domingo tem como proposta seguir a cultura pura do homem do campo, sendo um evento direcionado para conservar a cultura e a tradição. Para este evento os organizadores esperam a visita de aproximadamente 100 mil pessoas de todo Estado, Santa Catarina e Uruguai.
Atividades campeiras, artísticas e artesanais irão marcar a 25ª edição. A Associação Rural de Bagé seguindo o slogan "A festa mais campeira do Mercosul", conta com a parceria das entidades tradicionalistas do município, Movimento Tradiconalista Gaúcho (MTG), Companhia de Geração Elétrica do Estado (CEEE), Banco do Brasil, Lojas Obino, Frigorífico Mercosul, Banrisul e Peruzzo. O coordenador desta edição, Roberto Zago, comenta que nesse ano, serão distribuídos mais de R$ 30 mil em prêmios para as provas campeiras, artísticas e culturais.
Conforme Zago, o público que pagar o ingresso para o acesso ao parque, no valor de R$ 3, terá direito a todas as programações da festa tradicionalista, exceto o show desta quarta-feira, com o grupo Tchê Barbaridade e o baile os Serranos, no sábado, quando será cobrado ingresso. No primeiro dia, Zago informa que não será cobrado ingresso no Parque e ainda comenta que as crianças até 12 anos tem acesso livre ao parque. O estacionamento terá um custo de R$ 3 por veículo. "Todas as noites haverá um espetáculo de renomados tradicionalistas da região, Estado e Uruguai", relata o coordenador.
O coordeandor revela que nessa edição estão inscritos cerca de duas mil pessoas nas atividades artísticas e campeiras. Ele destaca que um dos eventos que todos os anos envolve um número expressivo de pessoas é o Desfile Gaúcho, que nesse ano deverá contar com cerca de três mil cavalarianos. Zago lembra que a concentração dos tradicionalistas para essa atividade será às 8h, em frente a Urcamp. Já, para às 11h, está marcada a inauguração oficial do evento, na pista de rodeios. Nesse evento, serão homenageadas as famílias de Luiz Mário Saraiva Macedo e Altair Job de Borba, in memórian. Essas pessoas estão sendo homenageadas como uma forma da Associação Rural agradecer o apoio que essas pessoas concederam ao evento. Outra novidade apontada pelo coordenador é que nesse ano haverá o Concurso Regional de Composições, que acontece nesta quarta-feira, às 20h, com apresentação de oito músicas alusivas ao centenário da Associação Rural de Bagé.
Quanto a geração de empregos, Zago informa que nesse ano foram oportunizados mais de 460 mão-de-obra.
Para esse ano, Zago relata que o Parque de Exposições recebeu reformas para esperar o grande público da Semana Crioula. Estão sendo realizadas melhorias nos espaços público, sanitários, pistas e pavilhões. Além disso, os 33 hectares do Parque, nesses cinco dias, serão cenário para a exposição de novidades do comércio em geral.
A primeira programação da festa mais campeira do Mercosul é com a escolha das prendas da Semana Crioula, que acontece durante todo dia no salão nobre da Rural. Já, para às 20h, está marcado o julgamento do Concurso Regional de Composições alusivo ao centenário da Rural de Bagé e às 22h, o baile de abertura do evento com o grupo Tchê Barbaridade.
Mais informações sobre o evento podem ser obtidas pelo telefone (53) 242.5262 ou pelo e-mail semanacrioula@ruralbage.com.br.

Márcia Godinho Marinho - Assessora de Imprensa - (53) 9959 9914 -

MAPA TERÁ R$ 4 MILHÕES PARA CONTRATAR AGENTES QUE VÃO ATUAR NAS EXPORTAÇÕES

Outros R$ 3,4 milhões serão empregados na fiscalização de produtos transgênicos

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, anunciou hoje (31/03) a liberação de R$ 4 milhões para a contratação temporária de 450 novos agentes que vão atuar na área de inspeção sanitária. Ele informou também que outros R$ 3,4 milhões serão liberados para que o Mapa possa fiscalizar o cultivo e comercialização de produtos transgênicos, como previsto no Decreto nº 4.680, que define a rotulagem de alimentos que contêm mais de 1% de organismos geneticamente modificados.
“Os agentes de fiscalização sanitária vão atuar principalmente nos frigoríficos que exportam carnes. Afinal, temos que cuidar da qualidade de nossos produtos tanto os destinados às exportações quanto os voltados para o mercado interno”, destacou Roberto Rodrigues. Segundo ele, essas liberações constarão em decreto a ser publicado no Diário Oficial da União de amanhã (1º/04).
Roberto Rodrigues divulgou a liberação desses recursos após participar, em Brasília, da assembléia da Associação Brasileira de Sementes que oficializou a união de quatro outras associações de produtores, pesquisadores, comerciantes e detentores de patentes de sementes. Estes segmentos passam, a partir de agora, a serem representados unicamente pela Abrasem.


ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL – DIVISÃO DE IMPRENSA
FONES (61) 218-2203/2204/2205 - FAX: 322-2880

BRASIL EXPORTOU MAIS DE 1 MILHÃO DE TONELADAS DE TRIGO EM QUATRO MESES

O Brasil ultrapassou as expectativas de exportações de trigo da safra 2003/2004 e atingiu 1,033 milhão de toneladas entre dezembro do ano passado, quando começou a vender o produto pela primeira vez ao mercado externo, e março deste ano. A estimativa inicial do setor era de exportar 1 milhão de toneladas até agosto de 2004. A informação foi dada pelo diretor de Abastecimento do Ministério da Agricultura, José Maria dos Anjos. Os principais destinos do trigo brasileiro são África, norte da Europa e Marrocos.
O Brasil produz atualmente 5,8 milhões de toneladas de trigo (safra 2003/2004), o que representa um recorde histórico desde a privatização da comercialização do produto, na década de 90. O consumo é de 10 milhões de toneladas. Apesar de o Brasil importar 50% do seu consumo de trigo, houve excedente no Rio Grande do Sul e no Paraná, onde está concentrada a produção.
Segundo José Maria, a opção das indústrias em exportar deve-se ao custo mais baixo. “É mais barato uma empresa do Sul exportar trigo para fora do Brasil do que vendê-lo para o Nordeste por causa dos custos da cabotagem, onde é obrigatória a presença da bandeira brasileira. Impostos como PIS/Cofins encarecem a operação”, explica o diretor.

Milho
O Ministério da Agricultura também divulgou dados sobre as vendas externas de milho. No primeiro trimestre de 2004 (até o dia 25 de março), foram exportadas 1,942 milhão de toneladas, contra 374,8 mil toneladas em igual período de 2003. Nos três primeiros meses de 2002, as vendas atingiram 1,1 milhão de toneladas e no primeiro trimestre de 2001, quando o Brasil retomou as exportações do produto, foram vendidas 491,7 mil toneladas.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL – DIVISÃO DE IMPRENSA
FONES (61) 218-2203/2204/2205 - FAX: 322-2880

Técnicos da Bellman recebem treinamento de pesquisador da Texas A&M

A equipe de técnicos da Bellman Nutrição Animal participou, na última semana, de um treinamento realizado em São José do Rio Preto (SP) pelo pesquisador e Ph.D. L. Wayne Greene, da Texas A&M University (EUA). Greene é coordenador do Programa de Nutrição Animal na A&M e um dos principais pesquisadores americanos com especialização em nutrição mineral de ruminantes, utilização e metabolismo dos minerais.
Entre outros assuntos, o treinamento abordou o uso de leveduras vivas para ruminantes, mineralização de animais sob pastejo e manejo de confinamento. Também foi discutido o impacto do mal da vaca louca nos EUA em relação ao mercado mundial de carne.
Além do Dr. Greene, o Ph.D. Antonio Garcia, coordenador de pesquisa na área de leveduras vivas para ruminantes da Lesaffre, no México, proferiu palestra sobre os resultados do desempenho animal com o uso de leveduras vivas em ruminantes.
O treinamento faz parte de um programa implantado e coordenado pelo Departamento Técnico da Bellman, que visa preparar e atualizar seus técnicos para o mercado atual da nutrição de ruminantes. O objetivo final é ter o conhecimento como base para o desenvolvimento de produtos que tragam melhores resultados aos clientes da empresa, além de um acompanhamento de alto nível nas propriedades para a correta adequação destes produtos.
Após o treinamento, Dr. Greene e Dr. Garcia conheceram as instalações da Bellman em Mirassol/SP onde, a partir do segundo semestre, entrará em operação sua mais nova e moderna unidade de produção. Eles visitaram ainda, no dia 22 de março, as Fazendas São Paulo (Grupo Bellman) e São Francisco (Agropecuária CFM).


CONTATOCOM
Jornalista responsável: Miro Negrini (MTb 19890/SP)
Pabx: 55 [15] 224-1000 / www.contatocom.com.br

LEILÃO DE MILHO PARA O NORTE E O NORDESTE

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, leiloa amanhã (1º/04), 55 mil toneladas de milho. A oferta destina-se a suinocultores, avicultores, associações e indústrias de ração das regiões Norte, excluindo o estado do Acre, Nordeste, Espírito Santo e o Norte de Minas Gerais. Durante todo o mês de abril, a Conab segue ofertando seus estoques.
Por este sistema, o governo oferece uma subvenção que varia, juntamente com os preços de abertura, conforme a região de origem e de destino. No entanto, para ter direito ao Valor de Escoamento de Produto (VEP), exige-se que o arrematante comprove o envio do grão em um prazo de 60 a 90 dias, dependendo do meio de transporte utilizado.
No leilão de amanhã, o produto de Goiás, com destino ao Norte e Nordeste, tem preço de abertura de R$ 16 e VEP de R$ 3,55 por saca (60 quilos). O grão vindo de Mato Grosso tem o valor de abertura de R$ 12 a saca. A subvenção varia conforme o destino, sendo R$ 3,04 para o Norte e Nordeste e R$ 1,90 para o Espírito Santo. Já o produto do Paraná tem preço de abertura de R$ 18,50 a saca e VEP de R$ 7,78 para o Norte e Nordeste, e R$ 3,09 para o Espírito Santo. O grão destinado a Minas Gerais não tem subvenção.

CONSELHO DO CAFÉ DEBATE AMANHÃ CENÁRIOS PARA 2004

O Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) se reúne amanhã (01/04), às 14h30, na sala de reuniões do andar térreo do edifício-sede, para discutir as perspectivas e cenários da cultura para este ano. Na pauta, está a apresentação do balancete do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), a instalação de grupos de trabalho para o detalhamento do Plano Nacional de Desenvolvimento do Agronegócio Café (PNDAC), além de um informe sobre o andamento da Proposta de Fiscalização e Controle nº 9/2003, que propõe a realização de uma inspeção sobre o patrimônio do extinto Instituto Brasileiro do Café (IBC) pela Comissão de Agricultura e Política Rural da Câmara dos Deputados.
Os conselheiros também debaterão a liberação de recursos para auxiliar os produtores de café. Na última segunda-feira, o Conselho Monetário Nacional (CMN), autorizou, a pedido do ministro Roberto Rodrigues, a destinação de R$ 400 milhões para financiar a colheita e estocagem de café com recursos Funcafé a juros de 9,5% ao ano. O CMN também acolheu a inclusão do café na Linha Especial de Crédito (LEC), uma espécie de Empréstimo do Governo Federal (EGF) simplificado, como forma de ampliar a oferta de crédito para o setor a juros de 8,75% ao ano.
Leilão – Amanhã, a partir das 10 horas, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento promove o leilão de venda de café dos estoques governamentais pelo sistema eletrônico do Banco do Brasil. Serão ofertadas 80 mil sacas do produto estocadas nas unidades paranaenses de Astorga, Loanda, Jacarezinho, Jandaia do Sul, Paranavaí e Umuarama. Os lotes da espécie arábica foram colhidos entre as safras 1986/87, 1987/88 e 1988/89.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL – DIVISÃO DE IMPRENSA
FONES (61) 218-2203/2204/2205 - FAX: 322-2880

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog