A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

terça-feira, dezembro 09, 2014

ARNALDO JABOR: A única maneira de se ter esperança no Brasil de hoje é acreditar que os escândalos a que assistimos sejam o indício de uma mutação histórica, para melhor.



vaca foi para o brejo?

Será que os costumeiros ladrões já sacaram que a 'mão grande' é o novo 'hype'?


A única maneira de se ter esperança no Brasil de hoje é acreditar que os escândalos a que assistimos sejam o indício de uma mutação histórica, para melhor.

Nunca vi nada igual. Todas as certezas estão desabando, toda fé, todas as esperanças morrem diante dessa abundância de escrotidões, esse despautério de horrores. A gente liga a TV, lê o jornal e cai em cava depressão. “Tudo o que é sólido desmancha no ar”, como disse Marx, tão mal entendido pela esquerda burra que tomou o poder na base de mentira e fraudes, como vemos com as granas “legais” que a tesouraria do PT recebeu dos restos de propinas. A velha “esquerda” sempre foi um sarapatel de populismo, getulismo tardio, leninismo de galinheiro e desde 2002 inventou a adesão monstruosa aos velhos roubos da velha direita.

A chegada do PT ao governo reuniu em frente única: as oligarquias privadas com o patrimonialismo do Estado petista. Foi o pior cenário para o retrocesso: Sarney, Calheiros, até o Collor, unidos aos idiotas bolivarianos. Essa base de ação foi o adubo para os crimes da Petrobras e outras dezenas de roubalheiras em hidrelétricas, aeroportos, portos, tudo.

O advogado de um dos acusados disse a frase síntese: “No Brasil, se não der uma grana na mão dos governantes, nem um paralelepípedo você coloca no chão”. E é o pais inteiro, não apenas a PTbras.

Mas, de quem é a culpa disso tudo?

Claro que a responsabilidade principal é a aplicação bolchevique do “toma lá, dá cá”, através do presidencialismo de cooptação para obter apoio dos partidos, ou seja, a corrupção permitida e estimulada é o motor petista da governabilidade. Pode uma coisa dessas?

Será que os costumeiros ladrões já sacaram que a “mão grande” é o novo “hype”?

A destruição da Lei de Responsabilidade Fiscal que Dilma iniciou é o exemplo dessa permissividade. Cada prefeitura do país vai partir para gastos corruptos. As instituições democráticas estão sem força, se desmoralizando, já que o próprio governo as desrespeita.

Será que é culpa dos organismos arcaicos do Poder Judiciário?

Ou será o surgimento de novos problemas que não são solucionáveis com os velhos mecanismos de poder?

Mas o que preocupa é que todo esse gigantesco volume de crimes denunciados possa gerar um congestionamento na Justiça, uma turbulência irreversível que transforme tudo numa massa jurídica informe. O exército de advogados já está convocado para novas e caras chicanas. O que estamos vivendo pode virar um apocalipse institucional.

O Brasil está irreconhecível. Nunca pensei que a incompetência casada com o delírio ideológico promoveria este caos. Há uma mutação histórica em andamento, como disse acima, mas que pode ser para pior, para um “quarto mundo”. Esse desastre me lembra a metáfora de Oswald de Andrade, de que “as locomotivas estavam prontas para partir, mas alguém torceu uma alavanca e elas partiram na direção oposta”.

Isso causa não apenas o caos administrativo como também provoca uma mutação na mente e no comportamento das pessoas.

O Brasil está sendo desfigurado dentro de nossas cabeças, o imaginário nacional está se deformando.

Há uma grande neurose no ar. Cria-se uma vontade de fuga. Nunca vi tanta gente falando em deixar o pais e ir morar fora.

As mudanças mentais são visíveis: nos rostos tristes nos ônibus abarrotados, na rápida cachaça às 6 da manhã dos operários antes de enfrentar mais um dia de inferno, nos feios, nos obesos, no desânimo das pessoas nas ruas, no pessimismo como único assunto em mesas de bar.

Estamos experimentando sentimentos inesperados, dores nunca antes sentidas. Quais são os sintomas mais visíveis desse trauma histórico?

Por exemplo, o conceito de solidariedade natural, quase “instintiva”, está acabando. Já há uma grande violência do povo contra si mesmo. Garotos decapitam outros numa prisão, ônibus são queimados por nada, com os passageiros dentro, meninas em fogo, presos massacrados, crianças assassinadas por pais e mães, uma revolta sem rumo, um rancor geral contra tudo. Cria-se um desespero de autodestruição e o país começa a se atacar.

Outro nítido efeito na cabeça das pessoas é o fatalismo: “É assim mesmo, não tem jeito não”. O fatalismo é a aceitação da desgraça.

E crescem a desesperança e a tristeza. O Brasil está triste e envergonhado.

Essa fragilização da democracia traz de volta também um desejo de autoritarismo na base do “tem de botar para quebrar!” Já vi muito chofer de taxi com saudades da ditadura.

A ausência de uma política contra a violência e a ligação de muitos políticos com o tráfico estimula a organização do crime, que comanda as cadeias e já demonstra uma busca explícita do horror. A crueldade é uma nova arte incorporada em nossas cabeças, por tudo que vemos no dia a dia dos jornais e TV. O horror está ficando aceitável, potável.

O desgoverno, os crimes sem solução, a corrupção escancarada deixam de ser desvios da norma e vão criando uma nova cultura: a “normalização” da ignomínia; por trás do crime e da corrupção, consolida-se a cultura da mentira, do bolivarianismo, da preguiça incompetente e da irresponsabilidade pública.

Vivemos um paradoxo, um pleonasmo: aqueles que pensam não sabem o que pensar — como refletir sem uma ponta de esperança? Todos falam: “precisamos fazer isso, fazer aquilo, mas ninguém sabe quem fará”. Temos aí a nova escola crítica: a análise impotente da impotência, a “contemporaneidade” pessimista de intelectuais, a utopia da distopia.

É difícil botar a pasta de dente para dentro do tubo. Há uma retroalimentação da esculhambação generalizada que vai destruindo as formas de combatê-la. Tecnicamente não estamos equipados para resolver as deformações que se acumulam como enchentes, como um rio sem foz.

O Brasil está sofrendo uma mutação gravíssima, e nossas cabeças, também. Sempre ouvimos que o Brasil estaria à beira do abismo; será que já caímos nele? Será que a vaca já foi para o brejo?

Marco Antonio Villa: Lula, Dilma e o petrolão





Todas as evidências vinculam o maior esquema de corrupção da história ao PT, inclusive à campanha de 2010


Não há na história da República brasileira um escândalo da magnitude do petrolão. Mais ainda: não há na história mundial nenhuma empresa pública que tenha sofrido uma sangria de tal ordem. Ficamos cada dia mais estarrecidos com a amplitude do projeto criminoso de poder que controla o país desde 2003. Bilhões de reais foram desviados da Petrobras. Agora as investigações devem também alcançar o setor elétrico, as obras do PAC e aquelas vinculadas à Copa do Mundo. Ou seja, se já estamos enojados — aproveitando a expressão utilizada por Paulo Roberto Costa na acareação na CPMI da Petrobras, na semana passada — com o que foi revelado, o que nos aguarda? E quando soubermos da lista de parlamentares e ministros envolvidos?

O país está como aquele indivíduo em Pompeia, no ano 79 d.C., que caminhava tranquilamente nem imaginando que o Vesúvio entraria em erupção. O Congresso mantém sua rotina trocando votos por dinheiro, o que já não causa nenhuma estranheza. O governo não conseguiu nomear seu Ministério e o país está sem orçamento aprovado para 2015. E o Judiciário mantém o ramerrão de sempre: muito formalismo e pouca justiça.

A boa nova é que sociedade civil está se mobilizando. Diferentemente de 2006 e 2010, desta vez o espírito cívico se manteve. Manifestações nas ruas, reuniões, debates nas redes sociais têm marcado a conjuntura pós-eleitoral. É uma demonstração de interesse pelos destinos do país e que desagrada — e não poderia ser o contrário — aos marginais do poder. Mas o que chama a atenção é o silêncio de entidades que, em certa época, estiveram à frente na defesa do Estado Democrático de Direito. Uma delas é a Ordem dos Advogados do Brasil. Qual a razão da omissão? E os artistas? O silêncio tem alguma relação com os generosos patrocínios da Petrobras?

O petrolão atingiu em cheio o governo Dilma. Pesquisa Datafolha divulgada no último domingo mostra que 68% dos entrevistados consideram que a presidente tem responsabilidade no caso. Todas as evidências apresentadas até agora vinculam o maior esquema de corrupção da história ao PT, inclusive à campanha presidencial de 2010. Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, executivo da empreiteira Toyo Setal, afirmou que pagou propina em dinheiro vivo, em remessas a contas no exterior e em doações oficiais ao PT, tudo, segundo ele, combinado com João Vaccari, tesoureiro do partido. Portanto, foram cometidos vários crimes eleitorais. Por que a Justiça Eleitoral está silenciosa? Mendonça Neto disse também que entregava dinheiro vivo a três emissários do PT que se apresentavam com alcunhas típicas de traficantes do Complexo do Alemão: Tigrão, Melancia e Eucalipto.

Alberto Youssef foi claro quando disse: “Não sou o mentor nem o chefe desse esquema. Sou apenas uma engrenagem desse assunto que ocorria na Petrobras. Tinha gente muito mais elevada acima disso, inclusive acima de Paulo Roberto Costa.” A afirmação permite, no mínimo, três perguntas:

1 - Como é possível um esquema dessas proporções sem que autoridades superiores tenham conhecimento ou até comandem essas operações?;

2 - Por que foi organizado este esquema e com quais objetivos?

3 - Como foi possível movimentar fortunas sem que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) tomasse conhecimento?

Neste processo, duas pessoas têm enorme responsabilidade como representantes do Estado brasileiro. O primeiro é o ministro Teori Zavascki. Caberá a ele a responsabilidade de, inicialmente, ser no STF o responsável pelo processo. Na Ação Penal 470, infelizmente, o ministro acabou acatando a tese de um novo julgamento que levou à derrubada da condenação por formação de quadrilha da liderança petista. E, como ficou patente, o julgamento acabou desmoralizado e objeto de chacota. Já no caso do petrolão, é incompreensível a libertação de Renato Duque. O outro é o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Quando assumiu a PGR — e participou da segunda parte do julgamento do mensalão — deixou nos brasileiros uma enorme saudade do seu antecessor, Roberto Gurgel. Teve uma atuação, no mínimo, pífia. Agora, segundo noticiado, teria se encontrado sigilosamente com representantes das empreiteiras envolvidas no escândalo para, sempre de acordo com a imprensa, evitar que o processo chegue aonde deve chegar, ao Palácio do Planalto.

É impossível acompanhar o escândalo sem questionar o papel de Luiz Inácio Lula da Silva. Afinal, a organização e a prática do esquema de corrupção tiveram inicio durante o seu longo período presidencial. Porém, até hoje, apesar da gravidade dos fatos, Lula se mantém em silêncio. Tudo indica que aguarda a revelação das provas em poder da Justiça para só daí — a contragosto — emitir uma opinião. Lula é um safo, como vimos durante o processo do mensalão. Tinha pleno conhecimento do petrolão — e disso não há qualquer dúvida. Nomeou a diretoria da Petrobras com o intuito inequívoco de organizar o maior caixa 2 da história republicana. Se no mensalão ele se salvou, desta vez vai ser muito difícil. Pela primeira vez neste país poderemos ter um ex-presidente não só indiciado, mas condenado pela Suprema Corte. Resta saber se o STF vai agir dentro da lei ou permanecerá um mero puxadinho do Palácio do Planalto, como em outras oportunidades.

Do outro lado do Atlântico, em Portugal, o ex-premiê José Sócrates continua detido suspeito de fraude fiscal e corrupção. Um dia Chico Buarque cantou — ironicamente — que o Brasil iria virar um imenso Portugal. Espero que ele tenha razão.

Marco Antonio Villa é historiador

Aécio: Se propina na campanha for comprovada, governo Dilma é "ilegítimo"




Executivo da Toyo Setal disse em delação premiada que o caixa da campanha do PT em 2010 foi abastecido com dinheiro desviado do esquema de corrupção da estatal, denúncias estas que o senador considerou "gravíssimas"

Por Lara Rizério no InfoMoney


SÃO PAULO - Durante a tarde de ontem, antes a aprovação do projeto que altera a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) pela base aliada do governo, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG) e candidato derrotado à presidência da República comentou as novas denúncias envolvendo a Petrobras. Ele afirmou que, se comprovada as denúncias de que o caixa da campanha do PT em 2010 foi abastecido com dinheiro desviado do esquema de corrupção da estatal, o governo Dilma Rousseff seria "ilegítimo".

Aécio afirmou que considera gravíssima a denúncia, feita pelo empresário da Toyo Setal Augusto Mendonça no acordo de delação premiada da operação Lava-Jato da Polícia Federal, de que dinheiro da corrupção na Petrobras abasteceu a conta oficial do PT na campanha de 2010. Segundo o executivo Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, da Toyo Setal, em depoimento à Polícia Federal, parte da propina paga ao ex-diretor da Petrobras Renato Duque foi destinada para doações oficiais feitas ao PT. O empresário afirma que doou R$ 4 milhões ao PT entre 2008 e 2011.

“Essa é a denúncia mais grave que surgiu até aqui. O dirigente de uma das empresas que pagou suborno, segundo ele, ao diretor da Petrobras, recém solto pelo ministro Teori, diz que parte dessa propina foi depositada na campanha do PT em 2010”, disse. 

“Se comprovadas essas denúncias, é algo extremamente grave. Estamos frente a um governo ilegítimo. Isso é a demonstração clara de aquilo que disse recentemente e a comprovação da verdade. Essa organização criminosa, que segundo a Polícia Federal se instalou no seio da Petrobras, participou da campanha eleitoral contra nós”. Ele afirmou que as denúncias devem ser apuradas a fundo e reforçam as suspeitas de que o PT foi beneficiado por parte dos recursos desviados na Petrobras, pagos pelas empresas como propina.

LUCIANO AYAN: Estaria o PT querendo dar um golpe após a rejeição das contas de Dilma por técnicos do TSE?




Avaliar o comportamento patológico do PT significa várias coisas, dentre elas estar sempre repetindo a frase: “nada como um dia após o outro”. Vou chegar nesse ponto daqui a pouco. Antes, veja a notícia do início da tarde mostrando que técnicos do TSE já pedem a rejeição das contas da campanha de Dilma, conforme o Globo:
A Procuradoria Geral Eleitoral (PGE) informou nesta segunda-feira (8) que recebeu relatório da Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias, grupo técnico do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que recomenda a rejeição das contas da campanha eleitoral de 2014 da presidente Dilma Rousseff.
O TSE julgará a prestação de contas da campanha presidencial de Dilma depois que a PGE emitir um parecer – o relatório técnico do TSE é um dos elementos nos quais a procuradoria se baseará para emitir o parecer.
No relatório, 16 técnicos do TSE apontam entre os motivos para justiificar a rejeição das contas indícios de descumprimento do limite de doação por parte de algumas empresas. Os técnicos concluíram que há impropriedades em 5,22% do total de receitas, que representam R$ 18,3 milhões. Entre as impropriedades apontadas estão pagamento de despesas a pessoas jurídicas sem emissão de notas e recibos de trabalho, o que é considerado doação estimada em dinheiro sem assinatura do doador.
A coordenação financeira da campanha de Dilma divulgou nota na qual afirma que as razões apontadas pelos técnicos para justificar o relatório são “meramente formais” e que seguiu “rigorosamente a legislação vigente, os princípios éticos e a mais absoluta transparência, seja na arrecadação como na ordenação de despesas” (leia íntegra ao final desta reportagem).
O prazo determinado para a conclusão do julgamento pelo TSE é quarta-feira (10), a fim de que a presidente eleita possa ser diplomada em cerimônia marcada para o próximo dia 18. Os ministros do TSE poderão aprovar integralmente, aprovar com ressalvas ou rejeitar as contas.
A eventual rejeição das contas pelo tribunal não implica suspender a diplomação, mas, posteriormente, pode levar à abertura de procedimento de cassação do diploma.
Entre as possíveis consequências da constatação de irregularidades nas contas da campanha de Dilma, estão a imposição de multa e a suspensão entre um mês e um ano das verbas do fundo partidário recebidas pelo PT.
A campanha eleitoral de Dilma arrecadou R$ 318 milhões e deixou uma sobra de R$ 169 mil, segundo números informados no final de novembro ao TSE.
Omissão de despesas
Segundo o relatório, mesmo após retificações e coleta de material, foram apuradas omissões na prestação de contas no valor de R$ 1.999.403,90. “Se reconhecidas as despesas, tais omissões no registro da prestação de contas irão constituir dívida de campanha, às quais devem submeter-se, dentro outros requisitos, ao rito descrito no artigo 30 da resolução 23.406/2014″, diz o texto do relatório.

O documento aponta ainda que, segundo o PT, algumas despesas não constaram da primeira prestação, embora tenham ocorrido antes, mas foram incluídas na segunda porque só foram efetivamente pagas depois. Para os técnicos, “a ausência de informações que deveriam constar originariamente nas contas parciais é “irregularidade grave”, uma vez que retira a tempestividade da publicidade que a Lei Eleitoral prevê que deva ser dada a tais informações”.
Como eles não dormem mais de noite (pois estão mais sujos que pau de galinheiro), já organizam uma manifestação contra a mera possibilidade da rejeição das contas por Gilmar Mendes. Leia abaixo, conforme matéria de Tereza Cruvinel para o Brasil247:
Está em curso uma escalada política para sangrar  a presidente Dilma, buscando condições para um eventual impeachment, desconstruir a imagem mítica do ex-presidente Lula, para inviabilizar sua eventual candidatura a presidente em 2018, e ferir de morte o PT.  Estão tentando realizar o que Jorge Bornahusen pregou em 2005, quando disse que era preciso “acabar com esta raça”, tem dito o ex-presidente aos mais próximos.
A rejeição das contas de campanha de Dilma é uma peça importante desta escalada, que contou nos últimos dias com o uso da delação premiada de um dos executivos presos, Mendonça Neto,  Ele informou ter feito uma doação legal ao PT por orientação do  diretor Duque mas o noticiário omitiu a parte de sua declaração, segundo a qual não informou ao tesoureiro Vaccari Neto as motivações de sua doação nem relacionou-a com propinas.  No círculo de Lula, a pesquisa Datafolha, segundo a qual 68% dos entrevistados responsabilizam Dilma pelos ilícitos na Petrobras, teve o claro intuito de contribuir para sua deslegitimização mas esbarrou num quesito: para a grande maioria, o governo dela foi o que mais combate a corrupção e os que mais puniu corruptos.  Contra Lula, surgiram  nos ultimos denúncias miúdas – relacionadas com palestras, deslocamentos durante a campanha e coisas afins – claramente destinadas a construir em torno dele uma agenda de desmoralização.
Diante de todos os sinais de que a ofensiva de agora tem elementos mais corrosivos dos que os utilizados em 2005, Lula e o comando petista decidiram fazer em Brasilia, na quarta-feira, um ato político de resposta, de denúncia e mobilização da militância para a conjuntura difícil que está se desenhando.
Tirando o melodrama vergonhoso de sempre (“estão nos perseguindo”, “estão conspirando contra nós”, “todos estão contra nós”, etc.), resta o fato: diante de uma ação ocorrida pelas vias legais (a possibilidade de rejeição das contas de Dilma), eles já pedem uma manifestação de rua.
Aí é que vem à mente a frase: “nada como um dia após o outro”.


Até agora, o PT sempre foi rotulando todas as manifestações de rua contra o partido como “golpe”. Mas agora, pedem manifestação de rua. Não é uma coisa de louco?

No léxico petista, “golpe” é qualquer coisa que esteja contra eles, seja dentro da lei ou não. Já “ação democrática’ é qualquer coisa que esteja a favor deles, seja dentro da lei ou não.
Quando o PT apoiou o impeachment de Collor, era ação democrática. Se alguém pedir o impeachment de Dilma, é golpe. Quando o PT critica Gilmar Mendes, é ação democrática. Se alguém criticar o Teori Zavascki, é golpe. Se fizerem manifestações contra a rejeição das contas de Dilma, é ação democrática. Se fazem manifestações contra Dilma, é golpe. Notou como funciona?
No dia em que criarmos uma cultura de denunciação dessa novilíngua podre do PT, eles sofrerão sérios abalos.

PATRIA GRANDE - O GOLPE BOLIVARIANO NO BRASIL: Unasul cria unidade de cooperação eleitoral e Escola Sul-Americana de Defesa



“Foi uma reunião, fundamentalmente, para definir o plano de ação daqui para frente”, disse Dilma em entrevista após a Reunião de Cúpula. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.

Em conversa com jornalistas após a Reunião de Cúpula da Unasul, a presidenta Dilma elencou as principais propostas em estudo e a aprovação de duas delas: a criação de uma unidade técnica de coordenação eleitoral e a criação da Escola Sul-Americana de Defesa.

A unidade técnica de coordenação eleitoral concentraria as atividades de observação de processos eleitorais na América do Sul. O objetivo é criar uma profissionalização das missões da Unasul, estabelecendo um padrão de observação. A Escola Sul-Americana de Defesa se trata de um centro articulado de altos estudos para formação de civis e militares, com cursos compartilhados e troca de experiências de defesa.

De acordo com a presidenta, na Cúpula foi definido o plano de ação da Unasul daqui para frente. Dilma falou também sobre a expectativa gerada com a nova sede e a atuação do novo secretário-geral, Enesto Samper.


“Eu gostaria de registrar que com o secretário-geral, com essa nova sede, haja, a partir de agora, uma sistemática atuação da Unasul. O ex-presidente Ernesto Samper, ex-presidente da Colômbia, qualifica a Unasul para uma ação muito mais vigorosa. E ele fez uma proposta, apresentada para os chanceleres, mas ainda não aprovada por nós, por uma agenda de vários pontos”, relatou a presidenta.

Dilma listou então os principais projetos que comporão uma agenda de avaliação pelos 12 países da Unasul: a definição de sete projetos multinacionais de infraestrutura; a instauração de um banco de preços de medicamentos, viabilizando a melhor compra possível pelos países do bloco; a criação de um fundo para bolsas de estudo entre os países do bloco, tendo a ciência e tecnologia como questão fundamental; o estabelecimento de cooperação na gestão de riscos de desastres naturais, a exemplo do Cemaden no Brasil; e discussão sobre a possibilidade de abertura do espaço aéreo dentro da Unasul.

Durante seu discurso na Cúpula, mais cedo, Dilma assegurou apoio às propostas de Ernesto Samper, quando defendeu o fortalecimento do protagonismo do continente no cenário internacional a partir da valorização da agenda intrarregional e pela intensificação dos processos de integração.

Fonte: Blog do Planalto

Roberto Medeiros: Nasceu a "grande pátria" e com ela o Brasil desaparece!







Enquanto milhares de brasileiros acreditavam que iriam salvar o Brasil com passeatas e um microfone, a Sra.Dilma Rousseff tratava de acabar com a soberania nacional do nosso país !

O GOLPE FOI DADO ONTEM PELA UNASUL EM UMA REUNIÃO NA NOVA SEDE DO ÓRGÃO BOLIVARIANO EM QUITO, EQUADOR. RESOLUÇÕES JÁ FORAM TOMADAS PELOS COMUNISTAS PARA CONCRETIZAREM O ANTIGO SONHO DAS ESQUERDAS MARXISTAS. TORNAR A AMÉRICA DO SUL EM UMA GRANDE PÁTRIA COMUNISTA.



A Integração da América Latina cria a URSAL, a nova república socialista das Américas. Cria também um novo Estado Comunista, uma Nova Pátria Grande. Enquanto o povo brasileiro está preocupado com Natal e suas tradições cristãs, "que serão abolidas pelo Estado Comunista", os traidores da Pátria tomam as rédeas do poder golpista e decidem a vida e o destino de 400 milhões de Sul Americanos.

Após a Reunião de Cúpula da Unasul, a presidente Dilma elencou as principais propostas em estudo e a aprovação de duas delas:

1) Fim das fronteiras entre os países da América do Sul (criação da cidadania sul americana); inclusive as novas placas para os automóveis dos países que hoje formam a Unasul já foram mostradas para todo o Brasil. Todas as pessoas de qualquer nacionalidade estão livres para entrar e sair do Brasil;

2) Fim dos limites dos espaços aéreos (qualquer avião de guerra estrangeiro poderá sobrevoar nosso País);

3) A criação da Escola Sul-Americana de Defesa ( unindo nossas forças Armadas às Forças dos demais Países que agora fazem parte da Unasul );

4) Criação da unidade técnica de coordenação (legalização das fraudes nas urnas eletrônicas em todos os Países da Unasul);

5) Criação de um Fundo para bolsas de estudo (unindo nossos jovens a todos os demais países, padronização do ensino Leninista Marxista);

A criação da Escola Sul-Americana de Defesa e uma unidade técnica de coordenação eleitoral foram duas das propostas aprovadas pela Cúpula da UNASUL que ocorreu esta sexta (5) no Equador. Ao fim do evento, a presidente Dilma Rousseff elencou os projetos apresentados e que ainda serão avaliados. Entre eles, um banco de medicamentos, um fundo para bolsas de estudos e a abertura do espaço aéreo:

Lembrando que há um decreto aprovado pelo Congresso Comunista que permite o "LIVRE TRÂNSITO" de embarque e desembarque de tropas estrangeiras em solo brasileiro. A medida põe em risco a soberania do país e a vida de milhões de brasileiros. As medidas da UNASUL BOLIVARIANA, também incentivam e legalizam o "entra e sai de estrangeiros" no Brasil. Nosso país certamente será invadido todos os dias por bolivianos, chilenos, colombianos, peruanos e venezuelanos que virão para cá em busca de empregos, bolsas assistenciais, moradia do "minha casa minha vida", drogas, comida e etc...As favelas e comunidades já abarrotadas de gente, serão inchadas ao extremo e a vida nestes lugares se tornará insuportável. Haitianos já recebem o "bolsa família", já terão em breve, título de eleitor e cidadania. A putada latina com certeza, virá toda para cá para arrancarem até a última gota de sangue do trabalhador brasileiro. Quem paga impostos e trabalha, vai ter que suar a camisa para sustentar estrangeiros e vagabundos do Estado Comunista.

Em Fortaleza já há favelas abarrotadas de colombianos, especialmente de milícias e de traficantes que já dominam comunidades e pequenas cidades do interior cearense. Com a medida bolivariana de eliminar as fronteiras, a violência nas grandes cidades do Brasil com certeza aumentarão. Agora seremos assaltados por cubanos, haitianos, venezuelanos, bolivianos e chilenos. A concorrência com os bandidos locais irá inflacionar os índices de criminalidade, drogas e violência e certamente tornará os grandes centros do Brasil em um imenso caldeirão de mortes, crimes, assaltos, estupros, assassinatos e etc.

Estrangeiros poderão votar, morar, estudar e usarem os excelentes serviços prestados pelo nosso sistema de saúde cubano. Terão remédios, bolsas, assistência médica, moradia, ensino, comida e emprego de graça, tudo dado pelo nosso bondoso e prestativo governo socialista, e tudo sustentado pelos otários da ex-nação brasileira. Enquanto o governo investe nos estrangeiros e na 'Torre de Babel comunista', o povo do sertão e grande parte do povo do Norte, irão continuar na grande merda e na grande miséria de suas vidas.

A verdade é que Brasil não é mais um país, se tornou um aglomerado latino americano uma república socialista, uma grande pocilga infestada de "idiotas úteis, corruptos, parasitas, covardes e omissos. Com este perfil de nação e de povo, conclui-se que o Brasil merece o chiqueiro comunista como consolo. Houve tempo para uma reação, houveram milhões de avisos e simplesmente o povo brasileiro preferiu se entreter nas novelas, nos jogos de futebol, nas putarias e nas sacanagens na internet. A omissão e a paralisia terão um preço muito caro e que todos nós, teremos que pagar. O sistema venceu e derrubou a democracia com a conivência daqueles que alimentaram e que ainda alimentam o sistema. A SALVAÇÃO está por trás de um grande muro de concreto e para derruba-lo, só chamando as Forças Armadas.


Ossami Sakamori: Petrobras virou mico!


A Petrobras vive momento difícil com inúmeros fatos que estão sendo denunciados pelo judiciário brasileiro e pelo órgão de regulação dos EUA. Para completar a notícia ruim para a Companhia, o preço internacional de petróleo vem caindo em níveis que inviabilizam a exploração do pré-sal.


A notícia que vem dos EUA diz que o escritório de advocacia americano Wolf Popper entrou com ação coletiva contra a Petrobras em um tribunal de Nova York, em nome de todos que compraram ADR - American Depositary Receipt entre maio de 2010 e 21 de novembro de 2014. Segundo o escritório a ação se baseia na informação falsa sobre "esquema interno multibilionário de corrupção e lavagem de dinheiro" que afeta a Companhia desde 2006.


A ação movido pelos advogados americanos foi protocolado no SEC - Security and Exchange Commission para ressarcimento de prejuízos causados aos investidores minoritários americanos. A ação que corre no SEC é de natureza civil, portanto busca apenas recuperar os prejuízos financeiros amargados com a compra das ações da Petrobras. Se a ação movido pelos investidores americanos prosperar a Petrobras teria que arcar com o prejuízo de cerca de 60% do valor originariamente pagos pelo ADR da Companhia para quem comprou em ADRs em 2010.


O valor da indenização máxima que o SEC poderá vir a arbitrar será maior do que o próprio valor do mercado da Petrobras negociado ontem no BMFBovespa. A cotação das ações da Petrobras correspondia, ontem, cerca de 40% da cotação praticada no mercado em maio de 2010. 


A ação promovido pelos advogados americanos no SEC não vale para os acionistas minoritários brasileiros. A ação só valerá para os portadores do ADRs, não valendo a repercussão para os acionistas minoritários brasileiros que negociaram as ações no mesmo período proposto pelos advogados americanos na BMFBovespa. Azar dos minoritários brasileiros! Quem mandou confiar na nossa CVM.


Para completar as notícias ruins, além do caso de corrupção apontado pela Operação Lava Jato, que já tem conexão com a primeira notícia, a que vem dos EUA, o preço internacional do petróleo vem despencando. Ontem, o tipo WTI, o óleo pesado, igual aquele do pré-sal brasileiro estava sendo cotado próximo de US$ 60. E, a notícia ruim é que a OPEP vai manter a produção em níveis atuais, 30 milhões de barris dia, no intuito de manter o preço nos atuais níveis e tentar quebrar as empresas que exploram o óleo ou equivalente em gás, que estão despontando como concorrentes aos membros da OPEP.


Explico. A Petrobras tem reserva de 5 bilhões de barris de petróleo pré-sal do campo Tupi, recebido da União como integralização do capital social. A Petrobras participa também da exploração do pré-sal do campo de Libra, leiloado no final de 2012 junto com a Shell, Total e CNOOC. Estas reservas, mantido o preço do petróleo no patamar de US$ 60, a exploração do pré-sal vai ser um fiasco para a Petrobras, pois que o custo do pré-sal brasileiro varia entre US$ 45 a US$ 70, segundo Institutos independentes. Na melhor das hipóteses o pré-sal vai empatar. 


A Petrobras encontra-se na situação curiosa, com relação ao pré-sal. Quanto mais ênfase der à exploração do pré-sal o risco de prejuízo será maior para a Companhia. Certamente os parceiros do campo de Libra vão postergar os investimentos até que o preço do petróleo volta aos níveis viáveis, comercialmente. Há ainda muitas alternativas mais baratas e de risco quase nulo, nos campos em terra como do golfo pérsico ou ainda alternativa de gás em terra como na Rússia e países geopoliticamente dependentes dela.


Esqueçam da Petrobras como investimento promissor! Esqueçam a União, estados e municípios que esperam royalties do pré-sal para investimentos em educação e saúde pública. Tão logo, os royalties do pré-sal não pingarão nos cofres da União e nem nos cofres dos entes federados.


Petrobras virou mico!


ALERTA TOTAL: Lava Jato vai investigar se empregados e laranjas de empreiteiras pagaram multas do Mensalão



Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net


Usando recursos obtidos em superfaturamentos e comissões desviadas na contabilidade de obras públicas, empregados e laranjas de empreiteiras foram usados para pagar as multas milionárias no processo da famosa Ação Penal 470. O principal beneficiado foi José Dirceu de Oliveira e Silva. A mesma jogada favoreceu José Genoíno e Delúbio Soares - todos felizes por terem ganho o benefício de passar o natal em "prisão domiciliar" com a família. Eis a suspeita da elite de investigadores da Lava Jato.

Peritos contábeis a serviço da Lava Jato, analisando registros de pagamentos feitos por empreiteiras, apuram, também, como o esquema estaria remunerando, por debaixo dos panos, um ilustre reeducando que até agora amarga cadeia, em silêncio obsequioso: Marcos Valério Fernandes de Souza. A Lava Jato esparge merda no Mensalão - aquele caso que, diante dos novos escândalos, merecia julgamento em tribunais de pequenas causas.

Os indícios aumentaram com a revelação do contrato assinado entre a empreiteira Camargo Corrêa e o reeducando José Dirceu de Oliveira e Silva, assinado em 21 de fevereiro de 2010, para prestação de consultoria na “integração dos países da América do Sul” e análise de aspectos sociológicos e políticos do Brasil. Os comprovantes apreendidos pela Polícia Federal, que devem parar nos autos de processos da Lava Jato, mostram que a JD Assessoria recebeu R$ 886,5 mil. Marcado como sigiloso, o acordo previa o pagamento de R$ 75 mil por mês.

O nome de Dirceu aparece, por enquanto indiretamente, na Lava Jato. Dirceu foi o padrinho de Renato Duque na diretoria de Engenharia e Serviços da Petrobras. Pedro Barusco, gerente da área e braço-direito de Duque, em sua delação premiada, pode ter comprometido Dirceu. Paulo Roberto Costa, em sua "colaboração", revelou que a área de Duque comandava a arrecadação de 2% a 3% de propina na área de Serviços. Na de Abastecimento, comandada por Costa, a comissão era de 2%.

No mesmo endereço em que apreendeu o contrato com Dirceu, a Polícia Federal apreendeu contratos assinados entre a Camargo Corrêa e outras empresas de consultoria. Entre elas, estão a Treviso, de R$ 18 milhões, e a Piemonte, de R$ 6,1 milhões. As duas empresas pertencem a Júlio Gerin Camargo, outro delator premiado que contou ao Ministério Público Federal que vários contratos foram assinados apenas para justificar a saída de dinheiro dos consórcios que prestavam serviços à Petrobras. O dinheiro destinado aos políticos do PP eram depositados em contas controladas pelo doleiro Alberto Youssef, no Brasil, em Hong Kong e na China.

A Lava Jato se aproxima, perigosamente, do núcleo duro do poder petista...

UCHO HADDAD: Petrolão - relação secreta entre José Dirceu e Camargo Corrêa coloca o lobista Lula no olho do furacão




Efeito cascata – Se os executivos de empreiteiras presos na Operação Juízo Final, sétima etapa da Operação Lava-Jato, alimentavam alguma esperança de passar o Natal em casa e com as respectivas famílias, essa possibilidade definhou ainda mais nos últimos dias. Isso porque entre os documentos apreendidos pela Polícia Federal, durante a Operação Juízo Final, estava um contrato assinado entre a Camargo Corrêa e a JD Consultoria, empresa do ex-ministro José Dirceu de Oliveira e Silva, condenado à prisão na Ação Penal 470 (Mensalão do PT).

Entre 2010 e 2011, Dirceu recebeu da Camargo Corrêa a quantia de R$ 886,5 mil para, de acordo com o contrato, fazer análises de “aspectos sociológicos e políticos do Brasil” e prestar “assessoria na Integração dos países da América do Sul”. O chefe dos mensaleiros deveria, também, divulgar o nome da Camargo Corrêa na comunidade nacional e internacional, além de ministrar palestras e seminários em assuntos de interesse da construtora.

No mesmo mês (fevereiro de 2010) em que assinou contrato com a empresa de consultoria de José Dirceu, a empreiteira conseguiu dois contratos com a Petrobras para prestar serviços na refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Ambos os contratos somavam à época R$ 4,7 bilhões. De acordo com os depoimentos de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, e do doleiro Alberto Youssef, os mencionados contratos foram fechados mediante pagamento de propina ao PT e ao Partido Progressista (PP).

Com essa descoberta feita pela PF, Renato Duque, então diretor de Serviços da Petrobras, não tem como continuar negando que chegou ao cargo por indicação de José Dirceu. Responsável pelos contratos da Camargo Corrêa, Duque foi acusado por Costa, Youssef e outro empreiteiro de cobrar propina para o PT.

O mais novo e escandaloso dado da Operação Lava-Jato, trazido pela revista Época em matéria do jornalista Diego Escosteguy, mostra de forma clara a relação criminosa que existia entre o governo do PT, a Petrobras e as maiores empreiteiras do País, que na esteira de um núcleo de corrupção escolhiam as melhores obras da estatal, muitas vezes repassadas a empresas menores e terceirizadas. É importante destacar que quando José Dirceu foi contratado pela Camargo Corrêa, o País estava sob o comando do agora lobista Lula. Esse detalhe confirma matéria do UCHO.INFO, que afirmou que a Operação Lava-Jato haveria de subir, cedo ou tarde, a rampa do Palácio do Planalto.

De igual modo, a relação entre Dirceu e a Camargo Corrêa é prova maior de que foi precipitada a decisão do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, de colocar Renato Duque em liberdade, mesmo que vigiada. Duque teve a prisão temporária transformada em preventiva pelo juiz federal Sérgio Fernando Moro, responsável pelos processos decorrentes da Lava-Jato, e mais alguns dias atrás das grades acabaria aderindo ao acordo de delação premiada. Para mudar o status da prisão de Renato Duque, o juiz alegou que o ex-diretor de Serviços da estatal mantinha enorme e criminosa fortuna no exterior, o que possibilitaria sua fuga.

Fonte: Ucho.info

IMPEACHMENT DE DILMA: Empresa citada no Mensalão recebeu R$ 24 milhões da campanha da Dilma. Um dos sócios é motorista, a sócia majoritária é figurinha carimbada da Vila Madalena.




A sócia da Focal e o seu cigarrinho eletrônico. Bem longe de São Bernardo do Campo. Segundo seu perfil no Linkedin, ela é redatora publicitária da Mutato, uma agência do grupo JWT, especializada em marketing digital. Ou seja: internet...redes sociais. Não há dúvidas que a moça é "laranja" do pai, Carlos Cortegoso, velho conhecido do "mercado" desde os tempos do Mensalão.


A segunda maior fornecedora da campanha de Dilma Rousseff tem como um dos sócios administradores uma pessoa que, até o ano passado, declarava o ofício de motorista como profissão. Localizada em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, a Focal Confecção e Comunicação Visual recebeu R$ 24 milhões da campanha, só ficando atrás da empresa do marqueteiro João Santana, destinatária de R$ 70 milhões. 


A firma, que declarou serviços na área de montagem de eventos, teve notas fiscais apontadas como irregulares por técnicos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que analisam as contas da petista. Segundo a Folha apurou, o salário registrado de Elias Silva de Mattos, um dos sócios administradores da Focal, era de cerca de R$ 2.000 até o ano passado, como motorista. 


Ele foi admitido no quadro societário da empresa em 29 de novembro de 2013, com valor de participação de R$ 3 mil. Carla Regina Cortegoso é a outra sócia, com cota de R$ 27 mil. Ambos são sócios e administradores da Focal, segundo documentos da Junta Comercial de São Paulo. "Eu sabia que ia virar transtorno na minha vida", afirmou Elias de Mattos ao ser abordado pela Folha para falar sobre a firma. 


Sem querer dar detalhes sobre sua atuação, afirmou ser um dos donos da Focal, mas deu a entender não poder falar pela empresa. "Eu não posso dar entrevista, não estou preparado para falar", disse. "Eu não sou nada, vai lá conversar com eles [empresa]", afirmou.


Apesar de não figurar na lista de sócios, Carlos Cortegoso, pai de Carla Regina, falou com a Folha em nome da empresa. "Todo mundo tem o direito de ascender na escala social mediante o trabalho e competência", disse. 


Em 2005, a empresa foi apontada pelo operador do mensalão, Marcos Valério Fernandes de Souza, como uma das destinatárias de recursos do esquema, por indicação do PT. À época, ele disse que a firma recebeu pela venda de camisetas para o partido. Os nomes de Cortegoso e da Focal integravam a lista entregue por Valério à CPI dos Correios, ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal. 


Segundo a lista, Cortegoso e sua empresa receberam R$ 400 mil a partir de indicação de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no julgamento do mensalão, a exemplo de Valério. A coordenação financeira do comitê eleitoral de Dilma informou ser impossível a campanha conhecer a firmação societária dos seus fornecedores.'' A Focal afirmou que está absolutamente dentro da lei e que obedece todos os critérios jurídicos. (Folha Poder)

IMPEACHMENT DE DILMA: Campanha de Dilma pagou R$ 24 mi a empresa que tem motorista como sócio Só João Santana recebeu mais. Citada no mensalão, fornecedora tem como um dos donos motorista que declarava salário de 2.000 reais.



Campanha de Dilma pagou R$ 24 mi a empresa que tem motorista como sócio
Só João Santana recebeu mais. Citada no mensalão, fornecedora tem como um dos donos motorista que declarava salário de 2.000 reais, segundo jornal

Entre as notas fiscais apontadas como irregulares pelos técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que pediram a rejeição das contas da presidente Dilma Rousseff nas prestações da campanha de 2014 estão as emitidas pela Focal Confecção e Comunicação Visual. Segunda maior fornecedora da campanha da presidente – recebeu 24 milhões de reais do PT –, a empresa tem como um dos sócios Elias Silva de Mattos, que até o ano passado declarava ser motorista e recebia salário de cerca de 2.000 reais mensais, informa reportagem publicada nesta terça-feira pelo jornal Folha de S. Paulo.

Somente o marqueteiro João Santana recebeu mais dinheiro da campanha do que a Focal. Dos 350 milhões de reais em gastos declarados pela presidente em 2014, um recorde para qualquer pleito no país, 70 milhões de reais foram diretamente para a conta da empresa do marqueteiro, a Pólis Propaganda. Outros 8 milhões de reais foram repassados à empresa por meio do diretório nacional do partido.

De acordo com a reportagem, a empresa está localizada em São Bernardo do Campo e declarou ter prestado serviços na área de montagem de eventos. O motorista Mattos passou a integrar o quadro societário em 29 de novembro do ano passado, com participação de 3.000 reais. Já a outra sócia, Carla Regina Cortegoso, tem cota de 27.000 reais na empresa. Procurado pelo jornal para tratar do caso, Mattos afirmou: "Eu sabia que ia virar transtorno na minha vida". E prosseguiu: "Eu não posso dar entrevista, não estou preparado para falar". Sugeriu ainda à reportagem que fosse falar "com eles", referindo-se à empresa.

O pai de Carla, Carlos Cortegoso, embora não figure como sócio, falou em nome da Focal. E saiu-se com a seguinte explicação: "Todo mundo tem o direito de ascender na escala social mediante o trabalho e competência".

Este não é o primeiro caso em que a Focal e Cortegoso são citados em circunstâncias suspeitas. Em 2005, o operador do mensalão, Marcos Valério, afirmou que a empresa era uma das destinatárias de recursos do esquema – por ordem do PT. Em documento entregue à CPI dos Correios, Valério cita tanto a empresa quanto Cortegoso. Ouvida pelo jornal, a coordenação financeira do comitê eleitoral de Dilma afirma que é "impossível a campanha conhecer a firmação societária dos seus fornecedores".

O julgamento das contas está agendado para sessão do TSE de terça-feira, mas o tribunal tem até quarta-feira para analisar as contas de campanha. O ministro Gilmar Mendes, relator da prestação de contas, enxerga "fortes indícios" de que o PT se beneficiou de doações acima do teto legal. Mendes pediu à Receita Federal dados complementares sobre cinco companhias que contribuíram com a campanha de Dilma: a Saepar Serviços, a Solar BR, a Gerdau Aços Especiais, a Ponto Veículos e a Minerações Brasileiras Reunidas. O total doado pelas companhias ultrapassa os 10,6 milhões de reais.

Fonte: Veja.com

IMPEACHMENT DE DILMA: Tem um motorista no meio do caminho, PT!




Bem, bem, bem… Então vamos ver. Técnicos do Tribunal Superior Eleitoral que analisaram a prestação de contas da candidata do PT à Presidência em 2014, Dilma Rousseff, recomendaram a sua rejeição. O parecer foi enviado a Gilmar Mendes, ministro do STF que é o relator do caso no TSE. Ele remeteu o parecer ao Ministério Público Eleitoral e estipulou um prazo de 48 horas para que o órgão se manifeste. Nesta quarta, o ministro deve apresentar o relatório. O gabinete de Mendes também andou encontrando coisas estranhas. Já chego lá. Antes, é preciso destacar que tem um motorista no meio do caminho. No meio do caminho tem um motorista.

Segundo informam Andréia Sadi, Ranier Bragon e Gustavo Uribe na Folha, vejam vocês, “a segunda maior fornecedora da campanha de Dilma Rousseff tem como um dos sócios administradores uma pessoa que, até o ano passado, declarava o ofício de motorista como profissão”.

É… Uma empresa chamada Focal Confecção e Comunicação Visual recebeu a bolada de R$ 24 milhões da campanha. Só o marqueteiro João Santana levou mais: R$ 70 milhões. A Focal fica em São Bernardo, e um dos seus donos, no papel ao menos, é Elias Silva de Mattos, um rapaz que é motorista e , até o ano passado, recebia R$ 2 mil por mês. Ele se tornou sócio em novembro do ano passado, com participação de R$ 3 mil na composição da empresa. A outra sócia é Carla Regina Cortegoso, com cota de R$ 27 mil.

A reportagem da Folha falou com Mattos. Sua reação? Esta, prestem atenção:
“Eu sabia que ia virar transtorno na minha vida. Eu não posso dar entrevista, não estou preparado para falar. Eu não sou nada, vai lá conversar com eles”. Mattos se referia à empresa.

Quem falou em nome “deles” foi Carlos Cortegoso, pai de Carla Regina, que nem sócio da empresa é. Ele preferiu emprestar à coisa um sotaque sociológico, de luta de classes talvez: “Todo mundo tem o direito de ascender na escala social mediante o trabalho e competência”. Nisso, claro!, estamos de acordo, né? Em 2005, com outra composição societária, sem o motorista, a Focal foi apontada por Marcos Valério — aquele do mensalão — como uma das destinatárias de recursos do esquema, por indicação do PT.

Voltemos à prestação de contas. As notas fiscais apresentadas pela Focal, que teria atuado na área de montagem de eventos, integram o lote dos problemas apontados pelos 16 técnicos do TSE, que afirmam ter encontrado irregularidades em 4% da arrecadação de campanha (R$ 319 milhões) e em 14% das despesas — ao todo, R$ 350 milhões.

O ministro Gilmar Mendes solicitou ainda à Receita dados complementares sobre cinco empresas que colaboraram com a campanha de Dilma: a Saepar Serviços, a Solar BR, a Gerdau Aços Especiais, a Ponto Veículos e a Minerações Brasileiras Reunidas. O total doado por essas companhias ultrapassa os R$ 10,6 milhões. A lei estabelece que cada empresa pode doar, no máximo, 2% do seu faturamento. Segundo cálculo feito pelo gabinete de Mendes, o limite foi ultrapassado. Em despacho à Receita com data de sexta, o ministro cobra os números com “máxima urgência”, dados os “fortes indícios de descumprimento do limite para doação”.

E agora?
Mendes deve apresentar seu relatório na quarta. Pode acatar o parecer dos especialistas do TSE — e vamos ver o que diz o Ministério Público Eleitoral — ou rejeitá-lo. Em 2010, Lewandowski ignorou a opinião dos técnicos, que recomendavam a rejeição das contas de Dilma, e as aprovou, no que foi seguido por seus pares. Ele chegou, acreditem!, a omitir a avaliação técnica em seu texto final.

Mesmo que as contas sejam rejeitadas pelo TSE, Dilma pode ser diplomada. Mas a oposição terá em mãos um trunfo para pedir uma investigação judicial, que pode resultar até na cassação do diploma da presidente e na consequente perda do mandato. O caso do motorista que ganhava R$ 2 mil e agora é sócio de um empreendimento que está em segundo lugar no item das despesas do PT não ajuda muito, né? Sobretudo porque, tudo indica, o rapaz não está à vontade na pele de um dos donos de uma empresa que fatura R$ 24 milhões com um único cliente.

Para arrematar: pensemos nesse caso. Alguns tontos dizem que os males do Brasil são as doações de empresas a campanhas. É mesmo? Se o financiamento fosse público, será que não existiriam mais assalariados de R$ 2 mil como sócios de empreendimentos de faturamento milionário?

Tem um motorista no meio do caminho, PT!

No meio do caminho, tem um motorista!

IMPEACHMENT DE DILMA: Campanha de Dilma Rousseff pagou R$ 24 milhões à empresa ligada ao Mensalão


Ex-motorista participa do quadro societário da Focal Confecção e Comunicação Visual.


A campanha da presidente Dilma Rousseff pagou R$ 24 milhões a uma empresa ligada ao escândalo do Mensalão.

Em segundo lugar na lista dos maiores fornecedores da coligação petista em 2014, a Focal Confecção e Comunicação Visual consta na investigação do escândalo do Mensalão.

Segundo Marcos Valério, operador do esquema que comprou deputados e senadores para garantir apoio ao ex-presidente Lula, parte do dinheiro desviado era encaminhado à Focal, à época fornecedora de camisetas do PT.

Os técnicos do TSE reprovaram as contas declaradas pela coligação de Dilma Rousseff. Uma investigação mais aprofundada do caso deve ser anunciada ainda nesta semana, caso o ministro Gilmar Mendes aceite os argumentos apresentados no relatório preliminar.

A Focal apresenta como sócio um motorista admitido no quadro societário em setembro de 2013. A participação dele é de R$ 3 mil.

Fonte: Portal Vox

IMPEACHMENT DE DILMA: Campanha de Dilma Rousseff pagou R$ 24 milhões para empresa que tem um ex-motorista como sócio



PT pagou R$ 24 mi a empresa que tem motorista como sócio


POR ANDRÉIA SADI, RANIER BRAGON & GUSTAVO URIBE, 09/12/2014, NA FOLHA


A segunda maior fornecedora da campanha de Dilma Rousseff tem como um dos sócios administradores uma pessoa que, até o ano passado, declarava o ofício de motorista como profissão.

Localizada em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, a Focal Confecção e Comunicação Visual recebeu R$ 24 milhões da campanha, só ficando atrás da empresa do marqueteiro João Santana, destinatária de R$ 70 milhões.



Gustavo Uribe/Folhapress 

Casa de sócio da empresa em São Bernardo do Campo (SP)


A firma, que declarou serviços na área de montagem de eventos, teve notas fiscais apontadas como irregulares por técnicos do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que analisam as contas da petista.



Segundo a Folha apurou, o salário registrado de Elias Silva de Mattos, um dos sócios administradores da Focal, era de cerca de R$ 2.000 até o ano passado, como motorista.

Ele foi admitido no quadro societário da empresa em 29 de novembro de 2013, com valor de participação de R$ 3 mil. Carla Regina Cortegoso é a outra sócia, com cota de R$ 27 mil. Ambos são sócios e administradores da Focal, segundo documentos da Junta Comercial de São Paulo.

"Eu sabia que ia virar transtorno na minha vida", afirmou Elias de Mattos ao ser abordado pela Folha para falar sobre a firma.

Sem querer dar detalhes sobre sua atuação, afirmou ser um dos donos da Focal, mas deu a entender não poder falar pela empresa.

"Eu não posso dar entrevista, não estou preparado para falar", disse. "Eu não sou nada, vai lá conversar com eles [empresa]", afirmou.

Apesar de não figurar na lista de sócios, Carlos Cortegoso, pai de Carla Regina, falou com a Folha em nome da empresa. "Todo mundo tem o direito de ascender na escala social mediante o trabalho e competência", disse.

Em 2005, a empresa foi apontada pelo operador do mensalão, Marcos Valério Fernandes de Souza, como uma das destinatárias de recursos do esquema, por indicação do PT.

À época, ele disse que a firma recebeu pela venda de camisetas para o partido.

Os nomes de Cortegoso e da Focal integravam a lista entregue por Valério à CPI dos Correios, ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal.

Segundo a lista, Cortegoso e sua empresa receberam R$ 400 mil a partir de indicação de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no julgamento do mensalão, a exemplo de Valério.



A coordenação financeira do comitê eleitoral de Dilma informou ser "impossível a campanha conhecer a firmação societária dos seus fornecedores". A Focal afirmou que está absolutamente dentro da lei e que obedece todos os critérios jurídicos.


Do Portal Vox, em 9 de dezembro de 2014:

Gleisi Hoffmann também contratou serviços de empresa ligada ao Mensalão

Senadora é a única cliente localizada fora de São Paulo.





A senadora petista Gleisi Hoffmann também contratou serviços da Focal Confecção e Comunicação Visual, empresa ligada ao escândalo do Mensalão e à reprovação das contas da campanha presidencial de Dilma Rousseff.


A apuração do Portal Vox no sistema de consultas do TSE constatou o pagamento de 15 notas fiscais entre os dias 22 de julho e 9 de agosto. A soma dos débitos totalizou R$ 156.250,00.


Candidatos de PV (José Luiz de França Penna) e PTB (Arnaldo Faria de Sá) também contrataram serviços da Focal, mas, a exemplo de outros nomes do PT inseridos na lista de clientes, ambos concorreram a cargos em São Paulo, estado onde está localizada a sede da empresa. Apenas Gleisi, derrotada na eleição para o governo do Paraná, destoa desse padrão.


Em geral, para poupar custos, quem solicita serviços como “publicidade por materiais impressos” ou “publicidade por faixas, placas e estandartes” evita a contratação de fornecedores externos, para diminuir gastos com logística e realizar adequadamente a “prova” dos materiais – a impressão que serve para teste.


O ministro Gilmar Mendes deve apresentar ainda nesta semana um parecer sobre o relatório do TSE que reprovou as contas da campanha de Dilma Rousseff. Não há, por enquanto, reclamação formal contra Hoffmann.



+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog