A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

sexta-feira, março 20, 2015

JORGE OLIVEIRA: O REINO ENCANTADO DA DILMA E O BRASIL REAL. QUE PAÍS É ESSE, GENTE!





Cascais, Portugal - A Dilma é uma espécie de extraterrestre. Comporta-se como quem vive em outro planeta inabitado por seres vivos. Toda sujeira que chega ao seu reino encantado, ela tenta limpar com a sua varinha mágica. Isolou-se no Planalto e está abandonando os companheiros mais íntimos como Zé Dirceu e Vaccari que lhe ajudaram a chegar ao poder. Não demonstra ter um pingo de solidariedade com os parceiros do PT, partido onde ela desceu de paraquedas, abraçado ao Lula, que precisava eleger um sucessor marionete para continuar mandando no país.



Agora, por exemplo, ela entregou às moscas o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, amigo do peito, que alimentou sua campanha com dinheiro roubado da Petrobrás, indiciado pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Veja que pérola de frase da presidente para tentar descolar o seu nome do de Vaccari: “Todo mundo tem o direito de defesa, o que vale pra todo mundo vale pra todo mundo”. Entendeu? Pois é, com essa frase magistral, própria de uma estadista, que ela vai escapando das garras do Ministério Público, mesmo com todos os indícios de que se beneficiou do dinheiro surrupiado da Petrobrás e de ter as suas digitais na compra superfaturada da refinaria de Pasadena.



Mais tonta do que barata em piso envernizado e mais perdida do que cego em tiroteio, a presidente não tem mais para quem apelar depois que milhões de pessoas foram às ruas pedir a sua cabeça. Agora, procura afagar os líderes políticos no congresso para salvar o mandato à beira do precipício. Eduardo Cunha - que em um país sério jamais chegaria a presidente da Câmara dos Deputados - já se mostra sensível aos açodamentos da presidente ao se manifestar contra o impeachment, arma poderosa para barganha política.



Mas é na cozinha do Palácio do Planalto que a presidente se descabela para conter a briga pelo poder. Lula não quer Aloizio Mercadante ao lado dela. Considera-o arrogante e despreparado para o cargo. Os militares também estão insatisfeitos com o Ministro da Defesa Jaques Wagner, a quem considera um sujeito brincalhão demais, comportamento inadequado para comandar as tropas. Eduardo Cardozo e Miguel Rossetto, depois dos pronunciamentos na TV, já são chamados de aspirantes a ventríloquos. E o articulador do governo Pepe Vargas, coitado!, é ignorado pelos líderes no congresso.



Os outros ministros escondem-se da Dilma com medo de serem descobertos e demitidos. É nesse país de fantasia que o Ministério Público apelidou a operação que algemou Renato Duque, mais um gatuno da Petrobrás, de “Que país é esse”? Nada mais original para denominar uma operação que prendeu o caixa do PT na estatal. Duque vai abrir o bico, não aguenta o tranco. Já se sabe por enquanto que o Zé Dirceu embolsou quase 30 milhões em “consultorias” das empreiteiras envolvidas nos escândalos. Como os intocáveis, seus patrões, estão presos, Zé certamente não terá seus contratos milionários renovados.



Enquanto isso, a presidente corre de um canto a outro tentando salvar o mandato que está por um fio. Agora, com as últimas pesquisas que lhe dão uma rejeição de 62%, seus assessores podem identificar onde estão os golpistas que querem vê-la fora do poder. Eles são, por enquanto, 66% da população do Sudeste; 64% do Sul; 75% do Centro-Oeste; 51% do Norte; e 55% do Nordeste, segundo o Datafolha. Todos, evidentemente, comandados pela CIA do Sibá.



Para quem achava que o Juiz Sergio Moro tinha chegado ao final da sua operação “Caça PT” vai se surpreender com Renato Duque se ele aceitar a delação premiada. Não ficará pedra sobre pedra desse governo. Do jeito que as coisas andam, os brasileiros certamente não vão precisar ir às ruas pedir o impeachment da presidente. Enclausurada, a Dilma não resistirá às pressões e pode evitar um provável confronto entre o exército vermelho de Lula e o povo se entregar o cargo.

Paulo Eneas: O desmonte e o desmanche do PT na figura de Sibá Machado




É difícil imaginar que exista algum petista com mais de dois neurônios conectados por sinapses regulares que realmente leve a sério, reservadamente, as sandices do patético Sibá Machado, o atual líder do PT na Câmara dos Deputados. Dono da habilidade política de um jeca, Sibá conseguiu protagonizar a cena mais risível da semana ao “denunciar” que a CIA, a agência norte-americana de inteligência, estaria por detrás das ações do movimento de oposição na sociedade civil contra o PT e contra o governo Dilma. Sua “denúncia” foi levada tão a sério que milhares de pessoas nas redes sociais trocaram seus avatares por simulações de crachás de agente da CIA, com direito a foto, número de identificação e tudo mais. Ou seja, o grande feito de Sibá Machado essa semana, além de ajudar o PT e o governo perder todas as disputas no Congresso, foi produzir gargalhadas e tiradas de humor entre as pessoas com mais de dois neurônios. 


Sibá Machado seria só mais um personagem caricato e ridículo que costuma aparecer no Congresso Nacional, em vista de nosso sistema eleitoral tacanho que possibilita a qualquer desqualificado e desvalido semianalfabeto funcional e despreparado ocupar uma cadeira no parlamento. Mas ele é muito mais do que isso. Ele é a expressão mais acabada, no duplo sentido da palavra, do que o PT é hoje: uma estrutura gigantesca que se desmonta e se desmancha, em todos os sentidos. 


Há poucos anos atrás, o PT se orgulhava de ser um partido de quadros preparados para o embate político. O partido se via, e em parte era visto mesmo assim, como sendo formado por pessoas preparadas para conquistar amplos segmentos da população com um discurso coerente e convincente, ao mesmo tempo em estava preparado para enfrentar os adversários e políticos tradicionais de igual para igual. Nesse cenário róseo, mas que escondia o verdadeiro tom vermelho, um personagem desqualificado e despreparado como Sibá Machado seria no máximo um assessor de terceiro escalão de algum vereador petista de cidade do interior. 


Hoje, o sapiente Sibá Machado é nada menos que o líder desse partido no Congresso Nacional, e como tal, ele expressa a decadência petista. Ele expressa, pela sua mediocridade como político, o desmonte e desmanche político, moral e ético de um partido cuja sigla já se tornou quase homóloga e homônima do vocábulo “corrupção”. Isso fica claro quando vemos nas manifestações anti-PT cartazes onde se lê que “não se escreve CORRUPTO SEM PT”. Sibá Machado deve achar mesmo que a ideia de tal cartaz foi engendrada nos escritórios de Langley, embora possivelmente não tenha a menor ideia de que diabos é isso de Langley. Uma dica para o companheiro Sibá: é coisa da CIA. :-) 


O desmonte e o desmanche do PT fica evidenciado pelo esvaziamento de seus aparelhos sindicais, associações disso e daquilo que não conseguem mobilizar ninguém. Fica evidenciado pela farsa dos tais movimentos sociais que são, quando muito, uma arregimentação de pobres e miseráveis por algum chefete ou preposto petista, em troca de promessas e de algum dinheiro e lanche para carregar bandeiras do partido em manifestações esvaziadas feitas no horário em que as pessoas comuns estão trabalhando. 


O desmonte e o desmanche do PT fica evidenciado também pela figura da própria presidente da república, que só consegue falar para plateias escolhidas a dedo e pagas, ou constrangidas, a ouvi-la e a aplaudir o discurso que ela lê tropegamente, preparado pelo seu marqueteiro, ou seu dialeto dilmês castiço quando ela resolve improvisar e que, conforme já se verificou empiricamente, é intraduzível para qualquer outro idioma. E por fim, o desmonte e o desmanche do PT fica evidenciado pela escolha de Sibá Machado para a liderança do partido na câmara. E devemos reconhecer que foi uma escolha acertada e honesta, pois nenhum “quadro” do partido expressa hoje tão bem o que o PT é e no que ele se transformou, como o brilhante companheiro Sibá Machado. 


PS: Este autor recebeu uma vultosa quantia em dinheiro da CIA para preparar esse texto.

UCHO HADDAD: MPF recebe representação para investigar ilegalidades no “Mais Médicos” e ressarcir a União





Fim da farra
Nesta sexta-feira (20), o Ministério Público Federal recebeu representação contra o ministro da Saúde, Arthur Chioro, pelas ilegalidades cometidas no programa “Mais Médicos”. Uma das provas citadas no documento apresentado pelo líder do Democratas no Senado Federal, Ronaldo Caiado (GO), refere-se à gravação veiculada no Jornal da Band, na última terça-feira (17), que traz conversa entre integrantes do governo e da OPAS para acertar detalhes do termo de cooperação com o objetivo de mascarar a finalidade central do programa, o financiamento da ditadura cubana.

No documento, o senador democrata solicita investigação da responsabilidade de gestores envolvidos na formatação e execução do programa e ressarcimento aos cofres públicos de recursos utilizados indevidamente.

Caiado inclui na representação os assessores do Ministério da Saúde, a coordenadora do “Mais Médicos” na OPAS, Maria Alice Fortunato, e o assessor internacional da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, como pessoas a serem investigadas. Os membros do governo são citados ou participaram da gravação feita em reunião no ministério para finalizar o contrato. Entre as irregularidades acertadas estão a divisão do salário entre médicos e o governo de Cuba, a inclusão de fiscais cubanos como médicos para tutelar o trabalho dos profissionais de saúde no Brasil e a inclusão dos termos Mercosul e Unasul no contrato para dar a impressão de que outros países também poderiam participar do convênio com a OPAS.

“É estarrecedor como acertam o termo de ajuste para fingir que o contrato não seria apenas para Cuba. Não estou relatando encontro de mafiosos e quadrilheiros. Foi uma reunião com integrantes qualificados e credenciados do governo e OPAS. Com essa gravação exposta pela TV Bandeirantes fica clara a manipulação do programa ‘Mais Médicos’ para transferir dinheiro público a ditadura cubana e usar os médicos daquele país como cabos eleitorais. Médicos que foram tratados como mercadoria e vieram ao Brasil sob condições que desrespeitam as nossas leis e todos os tratados de direitos humanos que o país é signatário”, argumenta Caiado.

“Pedimos que se investigue se parte desses recursos repassados a Cuba, que já somam R$ 1,8 bilhão, retornaram ao país como caixa 2 de campanha”, destacou o senador.

Provas
A representação traz também outras provas de ilegalidades no programa, como o contrato do governo cubano com os médicos da ilha caribenha por meio de uma “sociedade mercantil” em que fica configurada a relação de trabalho no Brasil, contrariando a lei que criou o Mais Médicos, que refere-se apenas à atuação como ensino-pesquisa-extensão.

O documento cita também relatório do TCU que questiona a remuneração dos médicos cubanos bem abaixo da repassada aos demais profissionais do programa. Nesse relatório, a partir de documentos do próprio governo, apenas 22% dos recursos foram destinados aos médicos e o restante enviados ao governo de Cuba. A situação desrespeita a Constituição, as leis trabalhistas e as orientações da Organização Mundial de Saúde e Agência Brasileira de Cooperação (ABC), ligada ao Itamaraty, sobre a cooperação entre países para envio de profissionais.


A opinião do site
Com o Brasil vivendo uma grave crise econômica, que vem corroendo o salário do trabalhador e vilipendiando diuturnamente o contribuinte, exigir que os brasileiros financiem uma ditadura facinorosa, como a dos criminosos irmãos Fidel e Raúl Castro, é no mínimo um atentado à cidadania.

O acordo espúrio feito por representantes da esquerda latino-americana e que grassa na porção sul do continente é um acinte, que deveria acabar nos tribunais internacionais, pois é inadmissível que um país democrático como o Brasil custeie um regime totalitarista que impõe aos seus cidadãos agruras das mais absurdas.

Em qualquer país minimamente sério e com autoridades responsáveis e de pulso, a presidente Dilma Rousseff e todos os envolvidos no escândalo já estariam respondendo a processos judiciais, não sem antes terem os bens bloqueados para garantir o ressarcimento aos cofres da União.

Os brasileiros de bem precisam estar atentos aos movimentos do governo federal, pois o projeto de poder do Partido dos Trabalhadores avança cada vez mais na direção de um regime de exceção, a exemplo do que vem derretendo a vizinha e combalida Venezuela. É importante destacar que a participação de Dilma Rousseff em evento na capital goiana, na quinta-feira (19), foi uma amostra do que pode acontecer se não forem tomadas providências para estancar o projeto de golpe.

Fonte: Ucho.Info

O Jornal da Band ,mostra diálogos de falcatruas!



Dilma não comerá o peru de Natal no Palácio do Planalto





O colunista de VEJA Marco Antonio Villa aposta que Dilma não termina o ano na Presidência da República. E, inspirado pelos ganhos de José Dirceu, lança o programa social "Minha cela, minha consultoria". "Se o doleiro Youssef falar na CPI da Petrobras, Dilma cai", afirma o historiador. Acompanhe a conversa com Joice Hasselmann.


+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog