A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

terça-feira, outubro 17, 2017

CNC - Balanço Semanal de 09 a 13/10/2017



BALANÇO SEMANAL — 09 a 13/10/2017

Volume de recursos do Funcafé liberado aos agentes chega a R$ 2,458 bilhões
FUNCAFÉ — De acordo com informações atualizadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) até a manhã desta quarta-feira, 12 de outubro, o volume de recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) liberado aos agentes financeiros, com data de referência do dia 6 deste mês, é de R$ 2,458 bilhões (clique na tabela abaixo), respondendo por 53,5% do total de R$ 4,598 bilhões solicitados na temporada cafeeira atual.

Do montante recebido pelas instituições, R$ 1,114 bilhão foi destinado para a linha de Estocagem; R$ 549,1 milhões ao Financiamento para Aquisição de Café (FAC); R$ 435,8 milhões para Custeio; e R$ 359 milhões para as linhas de Capital de Giro, sendo R$ 179,6 milhões para Cooperativas de Produção, R$ 124,8 milhões para Indústrias de Torrefação e R$ 54,6 milhões para o setor de Solúvel.

RECURSOS PARA PESQUISAS — Desde o segundo semestre de 2016, o CNC tem coordenando trabalho junto às entidades nacionais da cadeia café para sensibilizar o Governo Federal da necessidade de excluir a reserva de contingência do Funcafé do Projeto de Lei Orçamentária - PLOA de 2018. A ação é de suma importância para que o setor, representado no Mapa pelo Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), possa implementar projetos e ações de seu interesse, como era feito anteriormente a 2013.

Entretanto, diante da crise fiscal por que passa o Governo Federal, o Ministério do Planejamento, à revelia dos pleitos da cadeia produtiva, optou por expandir o valor da reserva de contingência do Funcafé em 2018, decisão que impactou negativamente o orçamento disponível para o Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café, executar suas atividades no próximo ano.

Ciente da importância da pesquisa cafeeira para o fortalecimento da competitividade da cafeicultura nacional, o CNC já iniciou gestões junto ao relator setorial de Agricultura, Pesca e Desenvolvimento Agrário da proposta de Lei Orçamentária 2018 no Congresso Nacional para que seja revertido o corte dos recursos para o Consórcio Pesquisa Café em 2018.

FLORADA E ESPECULAÇÕES — Em meio ao cenário especulativo normal para essa época do ano em relação à safra futura de café no Brasil, o retorno das chuvas no cinturão produtor do País possibilitou a abertura da primeira florada nos cafezais de arábica, após longo período de estiagem, que gerou perda acentuada de folha.

Como sempre, a abertura da florada marca um grande espetáculo da natureza do café, mas também atrai os especuladores de plantão para tentarem tirar proveito comercial ao iniciarem projeções irreais sobre a produção brasileira, como já temos observado diversos players internacionais falando sobre supersafra nacional.

O CNC, no exercício de seu papel de entidade de classe, volta a público para pontuar que isso é completamente inconcebível no atual momento, haja vista que: (i) é necessário que a chuva permaneça sobre as lavouras para a manutenção das flores e o consequente pegamento; (ii) também precisamos saber qual foi o impacto da seca nas plantas para saber se terão como suportar a florada; e (iii) devido à precocidade, não há a menor possibilidade de especular o tamanho da próxima safra com base nessa florada que não sabemos no que resultará.

A única certeza que podemos ter, nesse momento, é que está completamente descartada a possibilidade de uma supersafra como especuladores vêm divulgando recentemente. Isso porque o impacto do longo período de seca debilitou parte dos pés de café e diminuiu os níveis de armazenamento de água no solo para níveis aquém do necessário em muitas áreas. Garantias sobre o tamanho da produção serão possíveis somente por volta de fevereiro, quando o ciclo botânico dos cafezais já demonstrará o potencial produtivo.

Reiteramos, como sempre feito nessa época do ano, que projetar safras futuras abundantes é precoce e que essa atitude tem o intento único de pressionar as cotações, prejudicando o principal elo da cadeia produtiva, que é o produtor, o qual já possui elevados gastos para exercer sua atividade nas plataformas ambiental e social da sustentabilidade.

Atenciosamente,
Deputado Silas Brasileiro
Presidente Executivo

CNC - Sede Brasília (DF)
SCN Qd. 01, Bloco C, nº 85, Ed. Brasília Trade Center - Sala 1.101 - CEP: 70711-902
Fone / Fax: (61) 3226-2269 / 3342-2610
E-mail: imprensa@cncafe.com.br

Café especial: Cup of Excellence Brazil 2017 tem 73 finalistas


Café especial: Cup of Excellence Brazil 2017 tem 73 finalistas

Produtores classificados para a fase internacional disputarão título de melhores cafés especiais da safra 2017. Vencedores já foram vendidos por mais de R$ 18 mil a saca

A possibilidade de comercializar uma saca de café a valores que já superaram * R$ 18 mil. É essa a oportunidade que terão os 73 produtores que tiveram suas amostras classificadas para a fase internacional, nas categorias "Naturals" e "Pulped Naturals", do Cup of Excellence – Brazil 2017, principal concurso de qualidade para cafés especiais do País, que é realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Alliance for Coffee Excellence (ACE).

NATURALS
Na categoria voltada aos cafés naturais, que são os frutos colhidos e secos com casca, 40 produtores disputarão o título de melhor grão cultivado na safra 2017. A origem produtora que mais classificou amostras foi a Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas Gerais, com 14 (35%). Na sequência, vieram a Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com oito (20%); o Sul de Minas, com seis (15%); as Matas de Minas, com cinco (12,5%); a Indicação de Procedência da Alta Mogiana, com quatro (10%); e a Chapada de Minas, a Média Mogiana de São Paulo e as Montanhas do Espírito Santo, com uma amostra (2,5%) cada. O resultado completo pode ser conferido no site da BSCA (http://bsca.com.br/assets/CoE-2017-Res-Nacional-NAT.pdf).

PULPED NATURALS
A categoria destinada aos cafés produzidos por via úmida (cerejas descascados e/ou despolpados) terá 33 finalistas, que tiveram nota igual ou superior a 86 pontos na avaliação do júri nacional. A região que mais se destacou foi a das Matas de Minas Gerais, com 13 amostras (39,4%), acompanhada pela Chapada Diamantina, com cinco lotes (15,2%); Montanhas do Espírito Santo e Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas Gerais, com três (9,1%) amostras cada; Indicação de Procedência do Norte Pioneiro do Paraná, Sul de Minas, Média Mogiana de São Paulo e Denominação de Origem do Cerrado Mineiro, com dois lotes (6,1%); e Chapada de Minas, com uma amostra (3%). A lista dos produtores classificados também está disponível no site da BSCA (http://bsca.com.br/assets/CoE-2017-Res-Nacional-PN.pdf).

Entre os dias 16 e 22 de outubro, o júri internacional do concurso avaliará os cafés classificados e os que voltarem a obter nota igual ou superior a 86 serão eleitos "Cup of Excellence Winners" das categorias "Pulped Naturals" e "Naturals" do certame, adquirindo o direito de serem comercializados em disputado leilão internacional via internet. Já os que receberem notas entre 84 e 85,9 pontos serão considerados "National Winners" e também irão a leilão via internet, cujo foco principal é voltado aos compradores brasileiros.

BRAZIL. THE COFFEE NATION
O Cup of Excellence – Brazil 2017 é ação integrante do projeto setorial "Brazil. The Coffee Nation", que é desenvolvido em parceria por BSCA e Apex-Brasil, e tem como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no País. O projeto visa, ainda, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.

Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto se dá entre maio de 2016 ao mesmo mês de 2018 e os mercados-alvo são: (i) EUA, Canadá, Japão, Coreia do Sul, China/Taiwan, Reino Unido, Alemanha e Austrália para os cafés crus especiais; e (ii) EUA, China, Alemanha e Emirados Árabes Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.

* No leilão dos vencedores da categoria "Pulped Naturals" do Cup of Excellence 2016, cada saca do lote campeão, do produtor José Joaquim Oliveira, da Fazenda Santa Bárbara, localizada em Piatã (BA), foi vendido por R$ R$ 18.921,67.

Mais informações para a imprensa
BSCA – Assessoria de Comunicação
Paulo André Colucci Kawasaki
(61) 98114-6632 / ascom@bsca.com.br


COMUNICADO: Prêmio Café Brasil tem prazo para inscrições estendido


COMUNICADO: Prêmio Café Brasil tem prazo para inscrições estendido

Jornalistas de todo o Brasil poderão inscrever seus materiais até 27 de outubro

As inscrições no Prêmio Café Brasil de Jornalismo – 2017 foram prorrogadas até o dia 27 de outubro. O prazo anterior se encerraria hoje, mas a organização atendeu a pedidos de alguns veículos da imprensa e optou por ampliar o prazo até a sexta-feira da semana que vem.

Com o tema "A Importância das Cooperativas na Sustentabilidade da Cafeicultura Brasileira no Campo", o Prêmio recebe conteúdos que destaquem a importância de o produtor ser cooperado para obter melhores resultados na atividade cafeeira.

A competição é aberta a todos os profissionais da imprensa brasileira e concederá R$ 90 mil em premiação, que serão distribuídos entre as quatro categorias: TV, Rádio, Impresso e Internet.

Ficou interessado? Então se inscreva e aguarde a avaliação da banca julgadora. São válidos todos os materiais veiculados a partir de janeiro deste ano. Se ainda não elaborou seu conteúdo, fique tranquilo, pois as inscrições vão, agora, até o dia 27 de outubro. Até lá, leia o regulamento e boa pauta pra você!

O Prêmio Café Brasil de Jornalismo – 2017 é realizado pelo Conselho Nacional do Café (CNC), pela Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), pela Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul) e conta com apoio institucional da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT). A cerimônia de premiação ocorrerá na Casa do Cooperativismo Brasileiro, sede da OCB, em Brasília (DF), em data a ser anunciada em breve.

Mais informações e orientações de pauta

- Paulo André Kawasaki (CNC)
(61) 3226-2269 / 3342-2610

- Natália Bezutti (OCB)
(11) 4871-1457


Recife sediará Encontro de Viveiristas

 

Viveiristas de hortaliças da região poderão obter informações atualizadas sobre as exigências e tendências de mercado, bem como trocar experiências sobre o setor
 
No dia 26 de outubro, a Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM) promoverá mais uma edição do Encontro de Viveiristas. Desta vez, o evento será realizado para produtores de mudas da região de Recife, em Pernambuco.

A programação contemplará os principais temas relacionados à produção de mudas com qualidade, dentre os quais: manejo correto da nutrição das plantas; prática de enxertia como forma de ganho de produtividade e obtenção de variedades mais resistentes; medidas de sanidade e cuidados necessários para prevenção e controle de possíveis doenças nos viveiros.

SERVIÇO:
Data: 26 de outubro de 2017
Horário: das 8h às 18h
Local: Hotel Radisson Recife – Recife (PE)
Valores:
Associados ABCSEM: R$ 150,00 | Viveiristas: R$ 170,00 | Outras Categorias: R$ 230,00
Inscrições: As inscrições podem ser feitas online, por meio do link:
http://www.infobibos.com/viveipe/inscricoes.html

Para mais informações entre em contato pelo telefone: (19) 3243-0396.



terça-feira, outubro 10, 2017

EMBRAPA: Produção de mudas, coleta de sementes e legislação ambiental são tema de curso


Evento gratuito será realizado este mês em Aquidauana (MS)

Nicoli Dichoff - Evento gratuito será realizado este mês em Aquidauana (MS)

"Coleta, conservação de sementes, produção de mudas e estratégias de restauração ecológica nos Biomas Pantanal e Cerrado" é o nome do curso gratuito que será realizado entre os dias 18 e 20 de outubro em Aquidauana (MS). Com vagas limitadas, a capacitação tem como público-alvo técnicos da Agraer, Iagro, Ibama, ICMBio, Imasul, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, multiplicadores do Senar-MS, secretarias municipais de meio ambiente do estado de MS, técnicos e produtores rurais. As vagas remanescentes serão abertas para estudantes e demais interessados. 
“Se conhece muito sobre as espécies arbóreas cultivadas, como o eucalipto e o pinus, e pouco sobre as nativas – que são naturalmente adaptadas para as condições extremas climáticas de seca, inundação ou altas temperaturas no caso do Pantanal. Essas plantas têm um material genético valioso que precisa ser valorizado”. A fala é da chefe adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pantanal, Catia Urbanetz – uma das organizadoras do evento.
Durante três dias, o campus da UEMS irá receber discussões sobre assuntos como as características ecológicas dos biomas, suas plantas, frutos e sementes, produção de mudas de espécies nativas, estratégias de recuperação e a Legislação Ambiental Federal que regula essas atividades. O curso também visa capacitar os produtores interessados em passar pelo Programa de Regularização Ambiental - PRA, do Ministério do Meio Ambiente (que permite a regularização daqueles que possuem passivos ambientais). 
Atividades
De acordo com Urbanetz, o curso irá oferecer diversas palestras e aulas demonstrativas. Durante as atividades serão apresentados os resultados do Projeto Biomas no Pantanal e Cerrado no Brasil. O projeto, realizado por meio de uma parceria entre a Confederação Nacional de Agricultura e Embrapa, investiga a inserção da árvore nas propriedades rurais brasileiras. “Os plantios no Pantanal terminaram. Os pesquisadores estão fazendo as medições de crescimento dos indivíduos plantados para publicar resultados e difundir esses conhecimentos”, afirma.

No Pantanal, o projeto Biomas foi implementado em 2013 e será finalizado em 2019. Por meio do Biomas, a equipe da região pantaneira desenvolveu, por exemplo, um método que usa água corrente para acelerar a germinação das sementes de carandá. Com isso, as sementes, que levariam de dois a quatro meses para germinar, levaram cerca de uma semana para passar por esse processo. “Os resultados do projeto também serão apresentados na forma de indicação de espécies aptas para a restauração ambiental, bem como técnicas de produção de mudas e sementes de espécies nativas”, diz Urbanetz.
As indicações de espécies para os biomas Pantanal, Mata Atlântica e Cerrado foram desenvolvidas por meio de uma parceria entre o Projeto Biomas e o projeto especial da Embrapa "Soluções tecnológicas para a adequação da paisagem rural ao Código Florestal Brasileiro". A lista está disponível para consulta na página do projeto em https://www.embrapa.br/codigo-florestal/especies . Durante a capacitação também será inaugurado o viveiro de mudas da UEMS, que irá atender ao curso de engenharia florestal com os materiais do viveiro construído, inicialmente, no campo experimental da Embrapa Pantanal – a fazenda Nhumirim – para atender às demandas do projeto Biomas.
O curso “Coleta, conservação de sementes, produção de mudas e estratégias de restauração ecológica nos Biomas Pantanal e Cerrado” é uma realização da Embrapa Pantanal, Embrapa Cerrados, Confederação Nacional de Agricultura (CNA), Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) e John Deere. O Projeto Biomas é fruto de uma parceria entre a Confederação Nacional de Agricultura e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), SEBRAE, Monsanto, John Deere e BNDES.
Serviço
Curso “Coleta, conservação de sementes, produção de mudas e estratégias de restauração ecológica nos Biomas Pantanal e Cerrado”

Data: de 18 a 20 de outubro
Horário: das 08h às 12h e das 14h às 17h
Local: Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), campus Aquidauana. Saiba como ir de Campo Grande (MS) ao campus por meio do link http://bit.ly/2xTt8C5  
Programação
18 de outubro
Módulo 1: O Componente Florestal no setor Rural, Coleta, Manejo de Sementes e Produção de Mudas de Espécies Nativas
8h-12h | Características ecológicas do bioma, estratégias de reprodução das plantas, impactos antrópicos e suas implicações para a restauração
1. Bioma Cerrado - Dr. José Felipe Ribeiro (Embrapa Cerrados)  
2. Bioma Pantanal - Prof. Dr. Norton Hayd Rego (UEMS)
12h | Intervalo
14h | Dr. José Felipe Ribeiro (Embrapa Cerrados)
Legislação Ambiental Federal: Lei 12.651/2012, CAR, PRA e PRADA:
1. Entenda a Lei de Proteção da Vegetação Nativa (12.651/2012)
2. O que é o CAR e qual é a sua importância?
3. O que é o PRA e qual é a sua importância?
4. O que é o PRADA e qual é a sua importância?
15h-15h20 | Intervalo
15h20-17h | Prof. Dr. Norton Hayd Rego (UEMS)
Planejamento da coleta de frutos em:
- Populações naturais
- Seleção de árvores-matrizes
- Ponto de maturação fisiológica
- Estimativa de produção
Manejo dos frutos entre:
- Coleta e beneficiamento
- Secagem e extração das sementes
- Operações prévias à extração
- Secagem natural e artificial
- Métodos de extração

19 de outubro
Módulo 2: Coleta, Manejo de Sementes e Produção de Mudas de Espécies Nativas
8h-10h | Prof. Dr. Norton Hayd Rego (UEMS)
Beneficiamento de sementes:
- Princípios de separação
- Equipamentos utilizados
Armazenamento de sementes:
- Longevidade das sementes
- Ambientes e embalagens
10h-12h | Prof. Dr. Norton Hayd Rego (UEMS)
Planejamento da coleta de frutos em populações naturais:
- Seleção de árvores-matrizes
- Ponto de maturação fisiológica
- Estimativa de produção
Manejo dos frutos entre coleta e beneficiamento:
- Secagem e extração das sementes
- Operações prévias à extração
- Secagem natural e artificial
- Métodos de extração
12h | Intervalo
14h-15h | Prof. Dr. Norton Hayd Rego (UEMS)
Germinação de sementes de espécies arbóreas - sementes, substratos e viveiros, propagação sexuada
- Viveiros: tipos, planejamento e instalação, estruturas, irrigação, etc
- Recipientes e substratos para produção de mudas
15h-15h20 | Intervalo
15h20-17h | Prof. Dr. Norton Hayd Rego (UEMS)
Adubação na produção de mudas:
- Qualidade de mudas
- Pragas e doenças
- Semeadura em canteiros e direta nos recipientes

20 de outubro
Módulo 3Estratégias de restauração ecológica / Visita no campo
8h-10 | Dr. José Felipe Ribeiro (Embrapa Cerrados)
Estratégias de Restauração ecológica
1. Entenda a Sucessão Ecológica: espécies de Recobrimento e Diversidade
2. Regeneração Natural sem Manejo
3. Regeneração Natural Com Manejo – Controle de competidoras
4. Regeneração Natural Com Manejo – Adensamento
5. Regeneração Natural Com Manejo – Enriquecimento
6. Regeneração Natural Com Manejo – Nucleação
7. Manejo com Semeadura Direta
8. Manejo com Plantio de Mudas
9. Manejo com Sistemas Agroflorestais Biodiversos
Sistema WebAmbiente: apoio ao PRA
1. O que é e para que serve o WebAmbiente
2. Como usar o WebAmbiente.
3. Prática: exercidos com locais virtuais a serem recompostos no bioma do Cerrado.
12h | Intervalo
14h | Dr. José Felipe Ribeiro (Embrapa Cerrados)
Monitoramento de trabalhos de recomposição
1. Por que monitorar?
2. O que monitorar?
3. Como monitorar?
4. Onde e quando monitorar?
15h-15h20 | Intervalo
15h-17h | Dr. Felipe Ribeiro e Prof. Dr. Norton Hayd Rego
Aula demonstrativa sobre restauração e produção de Mudas – área em recuperação e viveiro do Projeto Biomas - UEMS
Nicoli Dichoff (Mtb 3252/SC) 
Embrapa Pantanal 
Telefone: +55 (67) 3234-5879


Núcleo de Comunicação Organizacional (NCO)
Embrapa Pantanal
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)
Corumbá/ MS

segunda-feira, outubro 09, 2017

CNC - Balanço Semanal de 02 a 06/10/2017


BALANÇO SEMANAL — 02 a 06/10/2017

Brasil promove ação comemorativa ao Dia Internacional do Café com embaixadores dos países compradores do produto no Itamaraty


DIA INTERNACIONAL DO CAFÉ — Na quinta-feira, 5 de outubro, o Conselho Nacional do Café participou do evento de celebração ao Dia Internacional do Café, no Itamaraty, em Brasília (DF), realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) – entidade associada ao CNC – e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

A cerimônia contou com a participação do corpo diplomático brasileiro, representantes do Governo Federal, de todas as instituições da cadeia produtiva do café e dezenas de embaixadores dos países compradores do produto.

O Dia Internacional do Café foi instituído pela Organização Internacional do Café (OIC) com o objetivo de fazer com que produtores, consumidores e todos os atores da cadeia produtiva celebrem, à sua maneira e a seu tempo, a bebida em nível mundial.

O CNC, assim como bem apresentado pela associada BSCA, entende que a ação de interação realizada com os embaixadores de dezenas de países que compram o nosso produto é uma das formas de compartilhar a alegria da data com os representantes das nações que nos honram com o seu consumo e para quem empenhamos o melhor dos nossos recursos naturais na produção sustentável do café.

São 290 anos de história, paixão e dedicação à cafeicultura no Brasil, que nos transformaram no maior produtor e exportador, além de segundo maior consumidor, fatos que autorizam o País a ostentar o naming definido pela BSCA: "Brasil. A Nação do Café"!

– Prêmio Café Brasil
Recordamos, ainda, que está ativa a principal ação comemorativa que preparamos para celebrar o Dia Internacional do Café. Trata-se do Prêmio Café Brasil de Jornalismo, realizado pelo CNC em parceria com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e a associada Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul).

Serão distribuídos R$ 90 mil em prêmios para reportagens que abordem a sustentabilidade dos cafeicultores e das cooperativas de produção na atividade cafeeira. As inscrições são gratuitas e os materiais podem ser inscritos até 16 de outubro. Mais informações: www.cncafe.com.br/premio-cafe-brasil.

SEMINÁRIO DO CAFÉ DO CERRADO

Na terça-feira, 3 de outubro, o presidente executivo do Conselho Nacional do Café, deputado Silas Brasileiro, acompanhado do diretor do Departamento de Café, Cana de Açúcar e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Silvio Farnese, prestigiou a abertura do 25º Seminário do Café da Região do Cerrado Mineiro, promovido pela Associação dos Cafeicultores da Região de Patrocínio (Acarpa) e pela Cooperativa dos Cafeicultores do Cerrado (Expocaccer), ambas associadas ao CNC.

Em nossa explanação, destacamos que o Seminário do Café do Cerrado é um dos principais eventos da cafeicultura brasileira, servindo de base para a troca de conhecimento, experiências e atualização profissional dos atores da cadeia produtiva do café, as quais possibilitam uma melhor gestão nas propriedades.

Também enaltecemos a presença do diretor do Mapa e salientamos que, mesmo em meio à turbulência política, Farnese e sua equipe têm realizado um trabalho importante para a cafeicultura brasileira.

O Seminário do Café do Cerrado se consolida, a cada ano, como uma importante plataforma para discussões de assuntos relevantes ao setor, como, nesta edição, os debates relacionados ao cenário econômico do Brasil e seus impactos no agronegócio e, em especial, ao manejo sustentável da broca do café.

Sobre essa praga do cafeeiro, ficou nítido entre os debatedores que é necessário um manejo efetivo para o controle da broca, indo além da aplicação de defensivos agrícolas, conforme o CNC vem orientando desde a percepção inicial de uma maior incidência.

– Vazio Sanitário da Broca do Café

A respeito do manejo por parte dos produtores, é válido parabenizar a iniciativa da nossa associada Federação dos Cafeicultores do Cerrado, que, durante o evento, apresentou o projeto "Vazio Sanitário da Broca", o qual tem por objetivo conscientizar os produtores dos repasses bem feitos e da diminuição do número de focos da praga nas lavouras para as safras seguintes. A entidade também elaborou um vídeo didático sobre esta ação, que pode ser conferido no Youtube (ou clicando na imagem acima): https://www.youtube.com/watch?v=ZkFQLTCWw1s.

MERCADO — O retorno das chuvas às regiões produtoras de café no Brasil, o principal produtor mundial, pressionou os preços internacionais da commodity até a última quarta-feira, gerando um desfecho negativo no acumulado da semana. Ontem, porém, o mercado encerrou uma série de seis quedas consecutivas e mitigou as perdas com atuação dos fundos de investimento.

No fim de semana passado, o clima quente e seco que preocupava os produtores foi revertido, mas o volume de precipitações ainda é considerado fraco e deve fazer os agentes permanecerem atentos às previsões para as próximas semanas, quando devem surgir novas floradas.

De acordo com a Somar Meteorologia, uma frente fria se afasta do Brasil e a chuva diminui no cinturão cafeeiro. Porém, a partir de hoje, uma nova massa de ar frio trará precipitações ao Paraná e ao oeste de São Paulo, podendo avançar até a Baixa Mogiana e o Sul de Minas Gerais.

Na Bolsa de Nova York, o contrato C com vencimento em dezembro acumulou desvalorização de 85 pontos frente à sexta-feira passada e encerrou o pregão de ontem a US$ 1,2720 por libra-peso. O contrato do robusta com vencimento em novembro, na ICE Futures Europe, fechou a US$ 1.967 por tonelada, com depreciação de apenas US$ 1.

O dólar comercial recuou 0,5% na semana, também se recuperando na sessão de ontem, à medida que alguns indicadores positivos da economia dos Estados Unidos puxaram a moeda.

Os novos pedidos norte-americanos de auxílio-desemprego caíram para 260 mil em agosto, ante expectativa de 270 mil, assim como as encomendas ao setor industrial dos EUA subiram 1,2% de julho para o mês seguinte, superando a expectativa de alta de 1% dos analistas.

No Brasil, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) informou que os bons volumes de chuvas observados nos últimos dias auxiliaram as condições dos cafezais de arábica, que haviam sido debilitados pelo clima seco em setembro.

Segundo colaboradores da instituição de pesquisa, os índices pluviométricos também podem ser suficientes para a indução de uma nova florada ao longo dos próximos dias na maior parte do cinturão produtor cafeeiro, cenário que mantém os agentes de mercado afastados.

Os indicadores calculados pelo Cepea para as variedades arábica e conilon acompanharam o mercado internacional e foram cotados, ontem, a R$ 440,47/saca e a R$ 390,70/saca, com variações de -1,8% e -1,4% na comparação com o fechamento da semana antecedente.



Atenciosamente,
Deputado Silas Brasileiro
Presidente Executivo
CNC - Sede Brasília (DF)
SCN Qd. 01, Bloco C, nº 85, Ed. Brasília Trade Center - Sala 1.101 - CEP: 70711-902
Fone / Fax: (61) 3226-2269 / 3342-2610
E-mail: imprensa@cncafe.com.br

quarta-feira, outubro 04, 2017

Café especial: empresas brasileiras ampliam negócios na principal feira do Japão



Café especial: empresas brasileiras ampliam negócios na principal feira do Japão

Através do projeto setorial "Brazil. The Coffee Nation", empresas do País podem concretizar US$ 25 mi na SCAJ World Specialty Coffee Conference and Exhibition 2017


 
A principal feira de cafés especiais da Ásia, a SCAJ World Specialty Coffee Conference and Exhibition 2017, realizada de 20 a 22 de setembro, em Tóquio, no Japão, contou com a participação de 21 empresas brasileiras, que realizaram US$ 4,97 milhões em negócios durante o evento e possuem prognóstico para a concretização de mais US$ 20,06 milhões nos próximos 12 meses (total de US$ 25,03 milhões), registrando alta de 13,6% na comparação com 2016, quando US$ 22,04 milhões foram movimentados por 25 empresas. A ação faz parte do projeto setorial "Brazil. The Coffee Nation", desenvolvido em parceria pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Os trabalhos na feira foram conduzidos pela BSCA em um amplo estande com duas salas, que serviram para a realização de sessões de degustação dos cafés especiais de diversas origens produtoras brasileiras e para reuniões dos associados com clientes e potenciais compradores. No evento, a entidade também realizou degustação permanente dos cafés dos associados, sessões de cupping complementares e a principal ação, a "Taste of the Harvest". Houve, ainda, uma apresentação institucional realizada pelo presidente Adolfo Henrique Vieira Ferreira.

Segundo a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, o país asiático é um mercado estratégico para os cafés especiais nacionais, adquirindo volumes representativos do produto devido à posição de destaque conquistada pelo Brasil com a excelência na produção e os trabalhos de promoção, assim como pelos fortes vínculos construídos com a imigração japonesa.

"Nesse contexto, a SCAJ World Specialty Coffee Conference and Exhibition 2017 se estruturou como uma das principais portas de acesso aos mercados da Ásia, recebendo cerca de 30 mil pessoas ao ano, o que faz com que mantenhamos intensos trabalhos na feira e, também, países como Coreia do Sul, China, Emirados Árabes Unidos, além do Japão, como mercados prioritários no projeto setorial", conclui Vanusia.

SOBRE O PROJETO SETORIAL
O "Brazil. The Coffee Nation", desenvolvido em parceria pela BSCA e pela Apex-Brasil, tem como foco a promoção comercial dos cafés especiais brasileiros no mercado externo. O objetivo é reforçar a imagem dos produtos nacionais em todo o mundo e posicionar o Brasil como fornecedor de alta qualidade, com utilização de tecnologia de ponta decorrente de pesquisas realizadas no País. O projeto visa, ainda, a expor os processos exclusivos de certificação e rastreabilidade adotados na produção nacional de cafés especiais, evidenciando sua responsabilidade socioambiental e incorporando vantagem competitiva aos produtos brasileiros.

Iniciado em 2008, a vigência do atual projeto se dá entre maio de 2016 ao mesmo mês de 2018 e os mercados-alvo são: (i) EUA, Canadá, Japão, Coreia do Sul, China/Taiwan, Reino Unido, Alemanha e Austrália para os cafés crus especiais; e (ii) EUA, China, Alemanha e Emirados Árabes Unidos para os produtos da indústria de torrefação e moagem. As empresas que ainda não fazem parte do projeto podem obter mais informações diretamente com a BSCA, através dos telefones (35) 3212-4705 / (35) 3212-6302 ou do e-mail exec@bsca.com.br.

Mais informações para a imprensa
BSCA – Assessoria de Comunicação
Paulo A. C. Kawasaki
(61) 98114-6632 / ascom@bsca.com.br

BSCA - Brazil Specialty Coffee Association
Telefones: (35) 3212-4705 / 3212-6302
E-mail: ascom@bsca.com.br

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog