A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quinta-feira, maio 15, 2008

Comissão de Agricultura aprova revisão de índices de produtividade

Os parlamentares da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados aprovaram, na quarta-feira (14/maio), o Projeto de Lei 78/07 do deputado Leonardo Vilela (PSDB-GO) que altera a Lei 8629/93. O relator do projeto, deputado Duarte Nogueira (PSDB-SP), apresentou parecer favorável, com substitutivo. O PL estabelece alternativas à proposta do Governo Federal que pretende reajustar os índices de produtividade mínima das propriedades rurais.

No projeto são definidos novos parâmetros de produtividade do imóvel rural para fins de reforma agrária. Entre os parâmetros há um sistema que tem por base um laudo de avaliação técnico-agronômico, elaborado por profissional habilitado em ciências agrárias. O laudo deve considerar os níveis de produtividade, mas não de forma exclusiva nem estática.

Para Vilela a proposta de reajuste do governo é inaceitável. "Precisamos encontrar soluções compatíveis para o setor. Por isso trabalhamos exaustivamente", ressalta o deputado. Ele lembra que a proposta de reajuste da tabela dos índices de produtividade mínima, apresentada em audiência pública no Senado Federal, em maio de 2006, sofreu resistência de todo o setor ruralista. "Se a revisão dos índices for aprovada como quer o governo, boa parte das propriedades brasileiras poderão estar na mira do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)", destaca. Já o deputado Duarte Nogueira ressaltou que as medidas de produtividade para efeito de reforma agrária precisam considerar a racionalidade econômica em conjunção com a sustentabilidade. A matéria segue para a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC).



Audiência pública discutirá insumos agropecuários

Na mesma reunião, os parlamentares aprovaram requerimento de autoria de Vilela que solicita a realização de audiência pública para discutir as ações governamentais frente ao alto custo dos insumos agropecuários. De acordo com o deputado, o Governo Federal não tem adotado nenhuma ação no sentido de solucionar ou adotar estratégias que possibilitem o aumento da produção dos insumos e fertilizantes e a conseqüente redução de custo para o produtor e, em última análise, para o consumidor da cadeia produtiva. A reunião ainda não tem data prevista.



Samara Carvalho
Assessoria de Comunicação deputado federal Leonardo Vilela (PSDB-GO)
( (61) 3215-5934/ (61) 8178-9056

segunda-feira, maio 12, 2008

Soluções da Bayer CropScience contribuem para a melhoria da fibra de algodão

O valor comercial do algodão está diretamente relacionado à qualidade de sua fibra, que é avaliada de acordo com a uniformidade, comprimento, resistência, finura e pureza (limpeza). Para os cotonicultores é imprescindível utilizar recursos que propiciem estas características num curto espaço de tempo. Dentro deste cenário, a Bayer CropScience oferece duas soluções para atender às necessidades específicas dos produtores de algodão. Trata-se de Finish e Dropp Ultra SC, produtos que atuam no metabolismo hormonal da planta do algodão, alterando os processos de maturação dos frutos e da queda das folhas.
Existem inúmeras vantagens em promover uma maturação mais rápida no algodoeiro. Além de antecipar e uniformizar o amadurecimento e a abertura das maçãs, o capulho fica menos exposto a fatores ambientais como chuva, poeiras e outras sujeiras. Ao final, o cotonicultor obterá um capulho mais resistente. A experiência de Elias Hill, gerente da fazenda Cachoeirinha em Caiapônia/GO, especialmente com a aplicação do Finish, atesta os bons resultados. “A principal vantagem para o produtor é obter uma boa qualidade de fibra, que é bem valorizada pelo mercado. A aceleração do amadurecimento do capulho possibilita a uniformização do plantio de algodão e conseqüentemente uma colheita única, o que representa benefícios econômicos em produtividade”.
Outro recurso usado na cultura do algodão é acelerar a desfolha para garantir que a planta desvie seus recursos para a parte reprodutiva (formação da fibra) e favorecer o rendimento no processo de colheita mecânica. Quanto mais folhas, mais difícil a colheita do algodão, o que pode prejudicar a qualidade da fibra. Os desfolhantes devem ser utilizados porque o algodoeiro – mesmo depois de produzir – continua emitindo folhas e estruturas frutíferas, o que pode prejudicar o potencial produtivo da lavoura.
Os produtos da Bayer CropScience agem exatamente nestes dois sentidos. O Finish, além de promover o amadurecimento mais rápido do algodão, propicia um pequeno efeito de desfolha. Já o Dropp Ultra SC promove a ruptura no pecíolo (haste que une a folha ao caule) e a folha cai ainda verde, sem atingir a pluma ou sujá-la. A folha seca se despedaça e pára sobre a pluma, acarretando o problema conhecido como pimentinha, o que reduz o valor da fibra.
Segundo o engenheiro agrônomo da Guerra Consultoria, Jonas Guerra, a aplicação do Finish e do Dropp Ultra SC em geral deve ser realizada a partir do momento em que 75 a 80% das maçãs estiverem abertas. “Como o algodão fica por menos tempo exposto às intempéries e pragas, ele pode ser classificado numa tipagem superior, com um valor de comercialização maior. Outro fator é que, ao programar melhor as épocas de colheita, o agricultor otimiza o uso do maquinário e, por conseqüência, obtém uma fibra muito melhor”.
Os benefícios podem ser comprovados por meio de ensaios de qualidade realizados na safra 2006/2007, principalmente nos Estados da Bahia e Mato Grosso do Sul. “Os experimentos apontaram ganhos de até U$85/ha nos tratamentos com os produtos da Bayer CropScience em relação aos da concorrência”, finaliza o consultor.

Algodão com mais vigor
O Finish e Dropp Ultra SC integram o Linha Forte Fibra Forte, programa desenvolvido exclusivamente para atender às necessidades da cultura do algodoeiro. Por meio do programa diferenciado desenvolvido pela Bayer CropScience, os cotonicultores contam com o portfólio de soluções de alta performance que proporcionam maior vigor às plantas de algodão, contribuindo para a produção de uma fibra de melhor qualidade, o que trará mais rentabilidade no final da safra.
O Linha Forte Fibra Forte é estruturado de acordo com as necessidades de cada produtor e conta com uma das linhas mais completas para o manejo da cultura, desde sementes com alta tecnologia até maturadores e desfolhantes. O produtor que adota o programa da Bayer CropScience consegue otimizar a performance das soluções no controle de pragas e doenças, podendo obter lavouras com mais vigor e alto potencial produtivo.
Outro diferencial do Linha Forte Fibra Forte é a assistência técnica especializada, oferecido pela equipe de campo da Bayer CropScience, profissionais altamente preparados para auxiliar o produtor durante toda a safra. A equipe técnica da Bayer CropScience pode fornecer informações diferenciadas para o manejo mais adequado das lavouras.

Sobre a Bayer CropScience
O Grupo Bayer é uma empresa global baseada em pesquisa e voltada ao crescimento. Suas principais competências concentram-se nos campos de cuidados de saúde, nutrição e materiais de alta tecnologia. A Bayer CropScience AG, subsidiária da Bayer AG, com faturamento anual de cerca de EUR 5,8 bilhões (2007), é líder mundial entre as empresas inovadoras no setor de ciências agrícolas nas áreas de proteção de cultivos, controle de pragas não-agrícolas, sementes e biotecnologia das plantas. A empresa oferece uma excelente gama de produtos e extensivos serviços de apoio, tanto para o desenvolvimento de uma agricultura moderna e sustentável quanto para aplicações não-agrícolas. A Bayer CropScience conta com uma força global de trabalho de cerca de 17.800 colaboradores e tem representação em mais de 120 países. No Brasil, conta com mais de 900 colaboradores, uma instalação industrial em Belford Roxo (RJ) e uma Estação Experimental no Estado de São Paulo.
Visite o site da empresa: www.bayercropscience.com.br

Bayer CropScience – Comunicação Corporativa
Fabiana Pinho - tel: (11) 2165-7782 / 8644-8507
Claudia David - tel: (11) 2165-7798

LVBA Comunicação
Daniela Ono - tel: (11) 3039-0668
Mayra Martins - tel: (11) 3039-0664

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog