A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

quarta-feira, março 12, 2014

ALERTA TOTAL: Dilma será responsabilizada judicialmente por má gestão no setor energético que afeta Petrobras e Eletrobras

Do Blog Alerta Total:


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net
Dilma Rousseff será responsabilizada, política e judicialmente, por decisões gerenciais tomadas que causaram prejuízos milionários causados aos investidores das estatais do setor energético. Além de ser questionada pela “oposição” na campanha reeleitoral, a Presidenta e os dirigentes da Petrobras e Eletrobras têm tudo para ser alvo de ações, em tribunais de Nova York, cobrando suas responsabilidades diretas pela perda de valor de mercado das ações das companhias, por atos de incompetência estratégica, má gestão comprovada e até indícios concretos de corrupção.

Ontem, o chamado “Blocão” impôs uma super derrota do governo. Aliados descontentes e a oposição aprovaram a criação de uma CPI para investigar denúncias de corrupção da Petrobras na Holanda. Por 267 voos a favor, 28 contra e 15 abstenções, a Câmara vai verificar se é real a suspeita de que a SBM Offshore, transnacional holandesa, tenha pago propina a dirigentes estatal brasileira, para facilitar o negócio milionário do aluguel de plataformas flutuantes de petróleo. O caso é alvo de ações na Justiça dos EUA, Holanda e Reino Unido – o que pode ser fatal para o PT em plena campanha reeleitoral. O PT espera aparelhar a comissão, para que ela nada investigue...

O elevado custo na utilização de usinas termoelétricas, movidas a combustível fóssil, altamente poluente e caro, sob a desculpa de gerar energia durante a escassez de chuvas nos reservatórios já levanta suspeitas de ser uma ação proposital para beneficiar aliados do governo que controlam as térmicas. Quem garante que o valor a alto pago pelo governo não retorna, politicamente, na forma de “mensalões”? Na pior hipótese, a conta cara da operação errada é paga pela sociedade, via Tesouro Nacional. Mas é o consumidor, que fica com energia mais cara, e com risco de racionamento, quem sofre no final.

A maior burrada de todo o processo é a incompetência como é propositalmente gerenciado o potencial hidroelétrico. O governo permitiu a criminosa construção de 32 usinas pelo esquema de “fio d´água”, entre os anos 2000 e 2012. Apenas 10 foram feitas com reservatórios. O culpado indireto por isso é a enganadora militância ambiental e jurídica – que impedem que se aproveite o potencial hídrico corretamente. O esquema de fio d´água, em vez de reservatórios, impede que se faça uma mais correta gestão da água, em tempos de pouca chuva, como agora.

Embora tenha potencial energético e hídrico, o Brasil fica sem explorar corretamente essas duas qualidades, seja por burrice ou canalhice dos seus dirigentes políticos. No caso do setor energético, Dilma é propagandeada como a “gerentona” (desde a gestão oficial de Lula). Portanto, a Presidenta é a principal culpada por todos os erros. Tomara que, pelo menos, as urnas lhe façam a cobrança do prejuízo. Se não fizerem, a Justiça, certamente fora do Brasil, pode fazer.

Arquivo do blog