A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

terça-feira, junho 22, 2004

Indústria registra vendas de 108 milhões de doses ao término da primeira fase da Campanha Oficial de Vacinação em 2004

A indústria veterinária comercializou cerca de 108 milhões de doses de vacinas contra febre aftosa durante a primeira fase da Campanha Oficial de Vacinação contra a doença, contra 104,5 milhões do mesmo período do ano passado. Os dados são da Central de Selagem de Vacinas (CSV), órgão constituído em parceria entre o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).
O ponto alto da primeira fase da campanha oficial de vacinação contra febre aftosa acontece em maio, quando há imunização no Acre, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Piauí, São Paulo, Sergipe e Tocantins. De acordo com dados da Central de Selagem de Vacinas, as 108 milhões de doses de vacinas contra aftosa foram comercializadas para esses estados nos meses de abril, maio e primeira quinzena de junho (alguns estados prorrogam o prazo para vacinação).
Goiás, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso foram os estados que mais adquiriram vacinas para imunizar seus rebanhos na primeira fase da campanha, com 22,5 milhões, 15 milhões, 12,3 milhões e 12,2 milhões de doses, respectivamente. Vale ressaltar que todos esses volumes são superiores aos adquiridos no mesmo período de 2003, o que sinaliza novo recorde nas vendas de vacinas contra febre aftosa em 2004.
“As vendas de vacinas contra febre aftosa crescem a cada ano indicando a evolução no combate a doença, resultado do trabalho conjunto entre produtores, governo e iniciativa privada. Em 2003, a indústria veterinária comercializou 328 milhões de doses de vacinas contra febre aftosa, com crescimento de 8 milhões de doses em relação a 2002 e de 11 milhões de doses sobre as vendas de 2001. Contamos com novo recorde para esse ano em que o governo intensificou o orçamento para defesa sanitária do País”, afirma Emilio Salani, presidente do Sindan.
De acordo com o dirigente, os dados da Central de Selagem trazem também outras notícias positivas no combate à febre aftosa no País, como a evolução das vendas nas regiões Norte e Nordeste, como destaque para Acre, Amazonas, Sergipe e Maranhão, que registraram avanços significativos no volume de vacinas adquiridas em 2004 em comparação com a primeira fase da campanha de erradicação do ano passado. “Os números comprovam que praticamente todo o ´Brasil Pecuário´ está livre de febre aftosa com vacinação, mas o investimento em sanidade animal precisa ser cada vez mais sólido para intensificar o combate à aftosa também nas regiões fronteiriças e nos países vizinhos”, completa Salani.

Texto Assessoria de Comunicações: telefone (11) 3675-1818
Jornalista Responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291)

Nenhum comentário:

Arquivo do blog