A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

sexta-feira, outubro 01, 2004

Alimentação adequada pode evitar a ocorrência da cólica eqüina

Cuidado com a alimentação que você oferece ao seu cavalo. O alerta serve especialmente àqueles que acreditam que, por serem animais fortes, os eqüinos não necessitam de alimentação balanceada e regular. Segundo o médico veterinário Henry Berger, gerente de produtos para Eqüinos da Merial Saúde Animal, oferecer alimentação correta aos cavalos evita o surgimento de desconfortos abdominais – as temíveis cólicas eqüinas. “A Síndrome Cólica nos eqüinos corresponde a uma série de alterações fisiológicas do sistema digestivo, com manifestações de dor abdominal em maior ou menor grau, podendo levar à morte”, explica o veterinário.
Berger ressalta que é relativamente fácil perceber quando o cavalo apresenta quadro de cólica. “O problema pode ser identificado por sinais e sintomas clínicos típicos, evidenciados por alterações de comportamento, como olhar constantemente para o flanco, ‘cavar o chão’ com os membros anteriores, deitar e rolar pelo chão, sudorese (suor intensivo), aumento dos batimentos cardíacos, aumento dos movimentos respiratórios, falta de apetite, abdômen dilatado entre outros.
Para prevenir as cólicas eqüinas, é importante definir uma alimentação balanceada e regular, evitando-se sobrecargas gastrintestinais. “Caso ocorram, as sobrecargas alimentares podem ocasionar o acúmulo de conteúdo no estômago e intestino, que se não forem diagnosticados e tratados em tempo podem evoluir para uma ruptura de estômago e ocasionar a morte do animal”, explica Henry Berger. Deve-se ficar atento também a alterações fisiológicas no estado geral do animal durante o processo: “Se ocorrerem alterações vasculares severas, há risco de hipovolemia, choque endotoxêmico e, conseqüentemente, potencial risco de morte”, completa Berger.
Outro tipo comum de cólica, conhecido como cólica trombo-embólica, pode causar desconforto abdominal agudo, devido à passagem de larvas do verme Strongylus vulgaris pela vasculatura intestinal (mesentério) e sua obstrução, quadro comumente observado em cavalos não vermifugados periodicamente.

KETOFEN 10%, O ALIADO
A partir de exclusiva tecnologia, a Merial Saúde Animal desenvolveu Ketofen® 10%, antiinflamatório não-esteróide, analgésico e antipirético de ação comprovada nas inflamações agudas e crônicas. Eficaz no controle analgésico da Síndrome da Cólica Eqüina, Ketofen® 10% pode ser aplicado via intravenosa ou intramuscular. Os principais beneficios proporcionados por Ketofen® 10% consistem na ausência de efeitos colaterais dos corticosteróides, alta potência anti-inflamatória (até 80 vezes mais potente que a fenilbutazona), baixíssima ocorrência de úlceras gástricas e reduzida toxicidade renal.


Texto Assessoria de Comunicações: Tel. (11) 3675-1818
Jornalista responsável: Altair Albuquerque (MTb 17.291)

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog