A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quarta-feira, novembro 26, 2014

Roberto Rachewsky: Como criar um sistema corrupto e como eliminá-lo







No mundo inteiro, proliferam empresas estatais criadas através de medidas coercitivas que, não apenas tolhem a liberdade dos que querem empreender ou consumir, como confiscam recursos da população para que tais iniciativas sejam implementadas. Por trás de toda intenção baseada na coerção, há agendas arquitetadas e colocadas em prática, sem racionalidade e moralidade adequadas.


Como criar um sistema corrupto:

1. Crie leis que impeçam a iniciativa privada de empreender livremente.

2. Crie empresas estatais para fazer aquilo que a iniciativa privada foi proibida de fazer.

3. Determine que as empresas estatais contratem os serviços ou produtos na iniciativa privada, pois elas próprias não têm capacidade empresarial nem gerencial para fazê-lo.

4. Crie agências reguladoras para controlar a iniciativa privada, criando dificuldades para a livre iniciativa.

5. Comece a exigir da iniciativa privada, cada vez mais, que atenda normas e procedimentos ainda mais burocráticos e de difícil solução técnica.

6. Ofereça relaxamento de exigências, privilégios e outras facilidades à iniciativa privada em troca de propina para o partido político que está no poder e para ganho pessoal de quem decide.

7. Crie arranjos entre as empresas líderes da iniciativa privada para que não haja denúncias. Assim, todos estarão envolvidos e comprometidos com o sistema.

8. Cobre o máximo de propina que der, pelo maior tempo possível. Não importa o atraso da entrega nem o custo final do negócio.

9. Se a falcatrua vier a público, tenha um laranja para levar a culpa.

Como acabar com ele:

1. Desestatização de toda e qualquer empresa estatal existente.

2. Liberação do mercado a qualquer um que queira ofertar produtos e serviços ao público consumidor, seja de que área for, inclusive arbitragem e segurança preventiva.

3. Cadeia para todo mundo e confisco de todos os bens amealhados a partir do comprovado envolvimento na fraude.

4. Perda de mandato eletivo, ou possibilidade de contratação em qualquer órgão governamental, dos envolvidos. Para sempre.

5. Limitar a atuação do governo à polícia, forças armadas e justiça.

6. Eliminar toda legislação que viola os direitos individuais.

Mãos à obra!

Roberto Rachewsky é empresário da área de comércio exterior. Fundador do Instituto Estudos Empresariais (IEE), do qual foi vice-presidente (1984-85) e presidente (1986-87). Também fundou o Instituto Liberal do Rio Grande do Sul, do qual foi vice-presidente na década de 1980. Atualmente, é conselheiro do IEE

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog