A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

terça-feira, abril 01, 2014

MISTÉRIO: Médico cubano é encontrado morto em hotel de alto padrão em Brasília


 
Um médico cubano do programa Mais Médicos foi encontrado morto em um hotel de alto padrão no centro de Brasília na tarde desta segunda-feira, 31.
Como era de se esperar, a Polícia Civil do Distrito Federal trabalha com a hipótese de suicídio.

O médico cubano foi encontrado morto em um quarto do Hotel Nacional, em Brasília, na tarde desta segunda-feira (31). Há a suspeita de que ele tenha cometido suicídio – um lençol estava enrolado no pescoço dele. O corpo foi encontrado por uma camareira, com um lençol enrolado no pescoço, pendurado na janela, para o lado de dentro do quarto e o seu nome não foi divulgado pelo Ministério da Saúde.

A Polícia Civil trata a hipótese de suicídio como a mais provável porque não havia sinais de violência ou arrombamento do quarto, segundo o trabalho da perícia. O lençol preso no pescoço do médico estava amarrado a uma estrutura da janela, e o corpo, pendurado para o lado de dentro do quarto.

PERGUNTA-SE: O que um médico cubano fazia hospedado em um hotel de alto padrão em Brasília?


De acordo com o Ministério da Saúde, o homem tinha 52 anos e estava em Brasília aguardando a designação do município para o qual seria enviado. Não foi informado quando o médico chegou ao País nem se ele já havia concluído o período de treinamento ao qual todos os estrangeiros são submetidos.

O transporte do corpo será realizado pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), entidade internacional que faz a intermediação da contratação entre os governos brasileiros e cubanos. A previsão do translado pela Opas consta do contrato assinado pelo Brasil com a entidade.



VEJA O MAIS SURPREENDENTE

O trabalho da perícia foi acompanhado por cubanos ligados à embaixada do país caribenho em Brasília. A embaixada de Cuba foi acionada para comunicar os parentes do médico sobre a morte dele. O corpo do cubano passa por exame do Instituto de Medicina Legal (IML). A Embaixada de Cuba aguarda a liberação para poder enviá-lo ao seu país. De acordo com o Ministério da Saúde, todo o trâmite será coordenado pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), órgão que faz a intermediação da vinda de cubanos ao Brasil, conforme previsto em contrato firmado entre os países.



Investigação
A Polícia Civil do Distrito Federal informou, por meio de nota, que investiga o caso como suicídio. De acordo com a polícia, outros médicos ligados ao programa federal e funcionários do hotel já foram ouvidos. O caso é investigado pela 5ª delegacia de Brasília. Quando for finalizado, o inquérito será remetido ao Judiciário, informou a delegacia.

O cubano não estava atendendo pelo programa e, segundo o Ministério da Saúde, ele ainda passava pelas etapas preliminares previstas pelo Mais Médicos. A pasta não informou há quanto tempo o médico estava em Brasília.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, informou que está acompanhando as investigações. Ele destacou, no entanto, que a apuração está a cargo da polícia.

À reportagem, o ministro confirmou que a principal hipótese para o fato é a de suicídio e que a apuração está levando em conta a possível existência de problemas familiares no caso.

Chioro afirmou ter ficado muito triste com a notícia, mas disse que, dado o grande número de profissionais contratados pelo programa, problemas desse tipo podem ocorrer.

Fonte: G1/Estada/Veja.co/D24am.com

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog