A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

sexta-feira, dezembro 08, 2017

CNC - Balanço Semanal de 04 a 08/12/2017


BALANÇO SEMANAL — 04 a 08/12/2017

CNC, OCB e Minasul, com apoio da ABERT, premiam as melhores reportagens sobre a importância do cooperativismo na sustentabilidade da cafeicultura

 
PRÊMIO CAFÉ BRASIL — Sob o tema "A importância das cooperativas na sustentabilidade da cafeicultura brasileira", 57 jornalistas das cinco regiões do País inscreveram suas matérias nas quatro categorias – TV, Impresso, Internet e Rádio – do 1º Prêmio Café Brasil de Jornalismo, realizado pelo Conselho Nacional do Café (CNC), em parceria com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e a Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Varginha (Minasul), com apoio institucional da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT).

Foram eleitos vencedores os três primeiros colocados de cada categoria, que receberam a premiação em cerimônia realizada no dia 5 de dezembro, na Casa do Cooperativismo, sede da OCB, em Brasília (DF). O valor total destinado aos vitoriosos do Prêmio foi de R$ 90 mil, sendo R$ 10 mil aos campeões, R$ 7,5 mil aos segundos colocados e R$ 5 mil aos terceiros lugares. As fotos do evento estão disponíveis na fanpage do CNC (acesse).
Categoria TV
1º lugar: Bruno Faustino
Veículo: TV Educativa ES - Vitória (ES)
Integrantes da Equipe: Antônio Dutra

Título: Os segredos do conilon de qualidade do Espírito Santo (confira)
Resumo: O campeão da categoria TV realizou uma reportagem que apresenta a relevância das cooperativas para os cuidados e segredos presentes no dia a dia das lavouras de café conilon do noroeste do Espírito Santo.

2º lugar: Sander Kelsen (representado por Guilherme Garcia)
Veículo: TV Alterosa Sul de Minas - afiliada SBT - Varginha (MG)
Integrantes da Equipe: Guilherme Garcia, Luisa Nogueira, Claudio Flores, Sarah Muller, Maycon Mazzeu, Gilmar Garcia, Edimilson dos Santos, Carlos Cazelato

Título: Parceria no campo: o papel das cooperativas no desenvolvimento das lavouras (confira)
Resumo: Reportagem especial mostra como as cooperativas ajudam no desenvolvimento das fazendas. Capacitação, informação precisa e suporte aos negócios são alguns itens que estão no vocabulário da parceria entre cooperativas e cooperados.

3º lugar: Gabriela Ribeti
Veículo: TV Gazeta - afiliada Rede Globo - Vitória (ES)
Integrantes da Equipe: Esther Radaelli (produtora), Vinícius Gonçalves (cinegrafista) e Weara Batista (editora de imagem)

Título: Cooperativa premia produtores e incentiva a produção de cafés especiais em Itarana, no ES (confira)
Resumo: Município capixaba se destaca na produção de cafés especiais graças à ajuda técnica das cooperativas Coopeavi e Pronova. Prêmio que realizam incentiva investimento nos grãos especiais, gerando mais sustentabilidade e qualidade de vida às famílias produtoras.
Categoria IMPRESSO
1º lugar: Flávio Bredariol e Marcos Fidêncio
Veículo: Jornal Debate - Garça (SP)
Integrantes da Equipe: não

Título: Cooperativismo fortalece produtores e fomenta a modernização da cafeicultura no século 21 (confira)
Resumo: Matéria aborda a relação do cooperativismo com a cafeicultura, trazendo o exemplo vitorioso do Cerrado Mineiro e a falta de uma cooperativa cafeeira em Garça, na região Centro-Oeste de São Paulo, que foi uma das principais na produção do fruto no passado.

2º lugar: Hulda Rode
Veículo: Revista RDM Rural - Brasília (DF)
Integrantes da Equipe: Isa Ramos (editora), Hulda Rode (reportagem), Cris Nascimento (diagramação) e Ricardo Padue (fotografia)

Título: A semente que apaixonou o mundo (confira)
Resumo: Conteúdo especial aborda aspectos históricos do café e como o apoio de cooperativas permite aumentar a competitividade dos produtores, potencializando compras, vendas e facilitando o acesso a recursos, o que proporciona maior rentabilidade a quem vive da atividade.

3º lugar: Marlene Gomes
Veículo: Correio Braziliense - Brasília (DF)
Integrantes da Equipe: não

Título: Cooperativas são responsáveis por 48% da produção de café do país (confira)
Resumo: A matéria aborda o papel importante desempenhado pelas cooperativas cafeeiras na produção e na comercialização do café brasileiro e destaca que foram responsáveis por 48% da produção cafeeira do Brasil, em 2016, com a geração de trabalho e renda para milhares de trabalhadores.
Categoria INTERNET
1º lugar: Paulo Palma Beraldo e Mariana Amorim Machado
Veículo: De Olho no Campo - São Paulo (SP)
Integrantes da Equipe: não

Título: Aceita um cafezinho? (confira)
Resumo: A matéria demonstra o avanço da produção de cafés especiais no Brasil, trazendo a opinião de diretores de cooperativas, entidades, federações, produtores e baristas, apresentando o caminho percorrido pelo produto do campo à xícara.

2º lugar: Jhonatas Simião
Veículo: Notícias Agrícolas - Campinas (SP)
Integrantes da Equipe: não

Título: Unidas e com apoio de cooperativas, cafeicultoras brasileiras vendem saca de café por mais de R$ 1 mil e começam a exportar (confira)
Resumo: Reportagem demonstra que, após anos de lutas, as mulheres já conquistaram alguns espaços de destaque nas mais diversas esferas da sociedade e que, na cafeicultura, esse cenário também passou a ser realidade recentemente, com grupo mulheres que se uniram e recebem fundamental suporte de cooperativas.

3º lugar: Esther Radaelli
Veículo: G1 ES - Vitória (ES)
Integrantes da Equipe: Viviane Machado (edição) e Vinicius Gonçalves (fotografia)

Título: Famílias mostram que união é fundamental na produção de cafés de qualidade, no ES (confira)
Resumo: Matéria apresenta famílias que investem em cafés especiais no município capixaba de Itarana e conseguem agregar mais valor à produção, relatando que as mulheres são fundamentais nesse processo, conquistando, inclusive, prêmios em concursos de qualidade.
Categoria RÁDIO

1º lugar: Terezinha Jovita
Veículo: Rádio ES - Vitória (ES)
Integrantes da Equipe: não

Título: Como o bom café altera a vida do homem do campo (confira)
Resumo: Matéria mostra como cafeicultores capixabas estão produzindo cafés especiais e conquistando prêmios de melhores do Brasil, bem como o papel das cooperativas na formação técnica, social e na venda desses cafés, com preços cada dia mais elevados.

2º lugar: André Luiz
Veículo: Rádio Rainha da Paz - Patrocínio (MG)
Integrantes da Equipe: Luiz Antônio Costa (repórter) e Luiz Costa Jr (repórter)

Título: História do café em Patrocínio e a importância do cooperativismo na cafeicultura do Cerrado Mineiro (confira)
Resumo: A matéria traz a história do início do plantio do café, na década de 70, em Patrocínio e região, sua evolução e o trabalho das cooperativas para o crescimento da atividade no município e em toda a região do Cerrado Mineiro.

3º lugar: Kelly Stein
Veículo: Coffea - São Paulo (SP)
Integrantes da Equipe: não

Título: Qual o papel das cooperativas na sustentabilidade da cafeicultura? (confira)
Resumo: Reportagem traz respostas para questionamentos como: O que faz uma cooperativa de café? Qual a diferença entre sindicato, associações e cooperativas? E em tempos de mudanças climáticas, qual o papel das cooperativas na produção de um café mais sustentável?

MÉRITO CAFÉ BRASIL

O Prêmio Café Brasil também prestou homenagens a duas instituições que desenvolveram projetos e campanhas que destacaram o agronegócio como um todo, em especial o café, ao longo de 2017.

CANAL RURAL


Nesse sentido, entregamos o "Mérito Café Brasil" à chefe de redação e coordenadora de jornalismo do CANAL RURAL, Letícia Luvison. A honraria foi concedida ao veículo pelo desenvolvimento e pela implantação do projeto "Café Forte", que propõe a disseminação, à cadeia produtiva e à sociedade, da base de conhecimento sobre como é produzido sustentavelmente o café no Brasil, assim como sua responsabilidade social, gerando emprego e renda a milhares de famílias, e ambiental, com a preservação de nosso meio ambiente.

REDE GLOBO


Uma campanha inovadora e que conseguiu transmitir a realidade do campo à população urbana. Pelo êxito nesse princípio, entregamos ao diretor regional da REDE GLOBO, Cláudio Corrêa Melo, o "Mérito Café Brasil" pela realização da Campanha "Agro é Tech, Agro é Pop, Agro é Tudo".

A honraria foi concedida porque a iniciativa dá a devida importância aos produtos agrícolas, entre os quais o café, e às coisas do campo perante a sociedade brasileira, demonstrando sua inserção no cotidiano de toda a população, com especial destaque ao cidadão urbano.

MERCADO — A valorização do dólar e o declínio das cotações do petróleo influenciaram negativamente o mercado das commodities nesta semana, entre elas o café. Os fundos de investimento que operam na Bolsa de Nova York continuam carregando elevado saldo líquido vendido, o que contribuiu para a desvalorização do Contrato C.

No Brasil, o dólar comercial foi cotado ontem a R$ 3,2865, com alta de 0,9% em relação à última sexta-feira. O câmbio seguiu a tendência internacional de valorização da moeda norte-americana – o que tende a depreciar as commodities – e também foi impactado pelas notícias que mostram dificuldades políticas para a votação da reforma da Previdência.

Em Nova York, o vencimento março de 2018 do contrato C encerrou a sessão de quinta-feira a US$ 1,2290, com desvalorização de 665 pontos ante o fechamento da semana anterior. Na ICE Futures Europe, o contrato janeiro/2018 do café robusta caiu US$ 23, e foi cotado a US$ 1.730 por tonelada.

Segundo a Climatempo, o tempo deve permanecer chuvoso na região Sudeste do Brasil. Até o domingo (10), os maiores volumes acumulados, da ordem de 100 milímetros, estão previstos para as metades norte dos estados do Espírito Santo e Minas Gerais, incluindo a região do Cerrado.

O mercado físico nacional manteve-se com baixa liquidez, situação que deve predominar até o final do mês. Ontem, os indicadores calculados pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) para as variedades arábica e conilon foram cotados a R$ 447,65/saca e a R$ 368,79/saca, com desvalorização de, respectivamente, 2,5% e 1,8% na comparação com o fechamento da semana passada.



Atenciosamente,
Deputado Silas Brasileiro
Presidente Executivo
CNC - Sede Brasília (DF)
SCN Qd. 01, Bloco C, nº 85, Ed. Brasília Trade Center - Sala 1.101 - CEP: 70711-902
Fone / Fax: (61) 3226-2269 / 3342-2610
E-mail: imprensa@cncafe.com.br






This email was sent to agrobrasil@gmail.com
why did I get this?    unsubscribe from this list    update subscription preferences
Cncafé · SCN Qd. 01, Bloco C, nº 85 - Sala 1.101 · Ed. Brasília Trade Center · Brasilia, LA 70711-902 · Brazil

Email Marketing Powered by MailChimp

Nenhum comentário:

Arquivo do blog