A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quarta-feira, abril 15, 2015

POLÍBIO BRAGA ENTREVISTA PEDRO LAGOMARCINO, ADVOGADO DO RS - OS FUNDAMENTOS PARA O IMPEACHMENT SÃO MAIS DO QUE VISÍVEIS





ENTREVISTA
Pedro Lagomarcino, advogado do RS, autor de pedido de impeachment protocolado na Câmara.


As manifestações de domingo ajudam a encorpar seu pedido de impeachmentm ?
Pra o "impeachment" ocorrer, é fundamental que seja assinada, formalmente, uma petição fundamentada e consistente, que obedeça às normas regimentais da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.


No seu caso, como foi ?
Minha petição foi entregue com mais de 16.900 assinaturas no gabinete do Deputado Eduardo Cunha, atual Presidente da Câmara, e que está disponível on-line (pro bono):
http://www.citizengo.org/pt-pt/signit/13481/view


Eduardo Cunha e a enorme maioria dos deputados rejeita o impeachment de Dilma.
Desejar o "impeachment" é o mesmo que lotar um estádio para torcer para um time de futebol, pois torcer pode embalar o time, mas só quem entra em campo pode marcar o gol e fazer a diferença.


Acrescento que a própria OAB é contra o impeachment.
A posição do Presidente da OAB Nacional, manifestada no programa Fantástico, em contrariedade ao "impeachment", foi lamentável, por uma razão muito óbvia: a continuidade do governo de Dilma Rousseff, com as ações de corrupção, de lavagem de dinheiro, de improbidade e de violação a lei de licitações, engorda o receita de muitos escritórios de advocacia com os acusados ou suspeitos de participação nestes crimes.


É uma acusação séria.
Por que o Presidente da OAB e a própria OAB apoiariam o "impeachment"? Seria retirar o mesmo que retirar "o filé" de faturamento de muitos escritórios.


O presidente da OAB acha que não cabe o impeachment.
Uma coisa é a manifestação de um leigo ao dizer que não cabe o "impeachment". Outra, completamente diferente é um jurista dizer que o "impeachment" é incabível. Este tem o dever, ao se manifestar, de dominar tecnicamente o assunto e saber o que enseja o "impeachment".Foi achismo.
Os fatos relatados deste o mensalão e que vieram à tona com o Petrolão, revelam ora a prática de crimes continuados, ora da prática de crimes permanentes.

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog