A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quarta-feira, fevereiro 04, 2015

UCHO HADDAD: Petrobras - após desmentidos do governo, demissão de Graça Foster é antecipada e confirmada




Marcha à ré – Definitivamente o governo de Dilma Rousseff está perdido. Aliás, perdida está a presidente da República, cujos discursos têm prazo de validade curto, além de baixo grau de confiabilidade. Na terça-feira (3), Dilma abriu espaço na agenda oficial para receber Maria das Graças Foster, agora presidente demissionária da Petrobras. O Palácio do Planalto negou a informação sobre a demissão de Foster, situação que perdurou até o final do dia, mas a notícia publicada peloUCHO.INFO, ainda no período da manhã de terça-feira, era procedente e tinha como base relatos de servidores da própria Petrobras.

Com a reação positiva do mercado acionário diante da notícia da saída de Graça Foster, a demissão tornou-se inevitável e foi informalmente confirmada, depois que a petroleira recuperou R$ 1bilhões em valor de mercado apenas na terça-feira. O tempo passou e o Palácio do Planalto, que havia negado que a demissão da diretoria da estatal havia recheado a pauta do encontro entre Dilma e Foster, acabou confirmando a substituição de todo corpo diretivo da companhia. O que deveria ocorrer até o final deste mês, uma vez que o governo precisava de tempo para escolher os substitutos.

“Em resposta a esta solicitação, a Petrobras informa que seu Conselho de Administração se reunirá na próxima sexta-feira, dia 06.02.2015, para eleger nova diretoria face à renúncia da presidente e de cinco diretores”, diz o texto. Além de Graça, outros seis diretores respondem pelo comando da estatal. São eles: Almir Guilherme Barbassa (área Financeira), José Alcides Santoro Martins (Gás e Energia), José Miranda Formigli Filho (Exploração e Produção), José Carlos Cosenza (Abastecimento), José Antônio de Figueiredo (Engenharia) e José Eduardo de Barros Dutra (Serviços)”, informa a nota enviada pela estatal à BM&FBovespa.

Entre os nomes sondados para assumir a presidência da estatal brasileira, um dos mais cotados é o de Henrique de Campos Meirelles, ex-presidente do Banco Central e que conta com o apoio escancarado de Luiz Inácio da Silva, o lobista Lula.

Há na escolha desesperada do governo pelo menos dois problemas que podem fazer Meirelles recusar o convite. O primeiro deles é que Dilma Rousseff não mantém boas e cordiais relações com o ex-presidente do BC, que está acostumado a agir com independência, algo difícil na seara da mandatária brasileira. O segundo, mais complexo, é que dificilmente assumirá o comando da Petrobras sem que o balanço da empresa referente ao terceiro trimestre de 2014 esteja auditado. A companhia divulgou o documento sem o referendo da consultoria PWC, o que trouxe consequências indigestas.

Emoldurando esse cenário há a razão derradeira para a fritura da presidente da empresa. Maria das Graças Foster afirmou recentemente que o prejuízo da Petrobras com escândalos de corrupção é de aproximadamente R$ 88 bilhões, com a ressalva de que o valor pode ser maior. Depois de pressionada pelo Planalto, a Petrobras refez as contas na madrugada subsequente e anunciou que o prejuízo é de R$ 3 bilhões.

Quem aceitar presidir a Petrobras precisa saber que o fardo imundo que surgiu no rastro do Petrolão, o maior escândalo de corrupção da história da humanidade, pode cair no colo a qualquer momento. E ninguém embarcará em uma operação de risco, sabendo que os partidos da oposição e a opinião pública fazem marcação cerrada quando o assunto é a roubalheira ocorrida na estatal.

Na manhã desta quarta-feira (4), em comunicado enviado à BM&FBovespa, a Petrobras informou que Maria das Graças Foster e outros cinco diretores renunciaram aos cargos. O comunicado foi elaborado em resposta aos pedidos esclarecimentos da entidade sobre as notícias em relação à substituição da presidente da estatal, que provocaram valorização das ações no pregão do dia anterior. De acordo com o informativo, a nova diretoria da Petrobras será eleita em reunião do Conselho de Administração, marcada para sexta-feira (6).

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog