A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quinta-feira, abril 17, 2014

Qualidade de publicações científicas volta ser questionada


Tema é discutido em reportagem no boletim da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical


Publicações científicas, até mesmo as mais bem conceituadas, não investem em ciência, na avaliação do Nobel Randy Schekman. Segundo ele, as publicações científicas estão ficando medíocres, já que os estudos realizados são apenas aqueles em que os pesquisadores já sabem a resposta e que serão manchete nas revistas, conforme matéria publicada na Forbes.

Para o Dr. Isaac Roitman, doutor em Ciências (Microbiologia), professor emérito da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e da Universidade de Brasília (UnB), não dá para afirmar que as publicações científicas estão ficando medíocres. "Ocorre é que a grande maioria das publicações científicas não traz uma contribuição significativa ao conhecimento, isto é, não provocam saltos no conhecimento em uma determinada área", explica ao atentar que, como o número de publicações tem aumentado muito, nas últimas décadas, consequentemente, aquelas que causam impacto são raras.

Na opinião do Dr. Roitman, membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC), a declaração do nobelista para deixar de publicar nas revistas Science, Nature e Cell, é uma provocação para que a comunidade científica possa refletir sobre a métrica e o real valor da atividade científica. "A publicação de um trabalho em uma revista de prestígio como as citadas, não deve ser um indicador único da avaliação de um cientista. Nem todos os trabalhos publicados nessas revistas de grande prestígio são trabalhos que contribuem para a ampliação do saber", assinala ao salientar que é importante reverter a tendência em transformar revistas científicas em empreendimentos comerciais, como aponta Schekman, em detrimento da verdadeira missão de divulgação do desenvolvimento científico.

Publicações alternativas
Como alternativa, Schekman defende a publicação em revistas de livre acesso na internet, sem fins lucrativos. A sugestão para Dr. Roitman é válida. "Creio que estamos em um momento de transição e que no futuro todos os avanços da ciência serão feitos via meios eletrônicos de livre acesso. É importante também destacar que muitos trabalhos que causam grande impacto em uma determinada área, são publicados em revistas que não são glamorosas como Science, Nature ou Cell", lembra.

Estimulo à reflexão
"O impacto das declarações de Schekman certamente fará com que a comunidade científica nacional e internacional reflita melhor sobre a real missão da ciência, que não deve estar voltada para a obtenção de galardões para os cientistas, mas sim contribuir para o saber e melhorar a qualidade de vida de toda espécie humana, ajudando a construir um clima de verdadeira justiça social entre os homens", aponta Dr. Roitman ao realçar que no Brasil esse tipo de reflexão é oportuno. Para ele, é importante a formação de uma nova geração de cientistas que possa colaborar para que a sociedade possa ser beneficiada pelos avanços científicos e tecnológicos.

Na análise do doutor em Ciências, os debates induzidos pela declaração revisitam os critérios de avaliação das agências de fomento e das instituições acadêmicas brasileiras. "É importante considerar que antes das declarações de Schekman a temática da avaliação da produção científica tem sido questionada no Brasil e no exterior. Um exemplo é a manifestação lançada em dezembro de 2012, pela American Society for Cell Biology (ASCB) intitulada The San Franscisco Declaration on Research Assessment (Dora), que sugere a eliminação do fator de impacto nas revistas científicas e a necessidade de avaliar a pesquisa pelo mérito e não pelo veículo onde os resultados foram divulgados" revela Dr. Roitman ao destacar que o documento também sugere o estímulo à divulgação online onde não haveria necessidade de limitação de palavras, figuras e referências bibliográficas.

Métrica compromete resultados
Uma das consequências da métrica instituída para avaliar da produção científica, isto é, a produção quantitativa de publicações, pressiona o pesquisador a obter respostas de curto prazo, conforme assegura Dr. Isaac Roitman. Ele observa que essa cultura induz ao aumento de plágios e consórcios para o aumento de publicações.

O membro titular da ABC não crê que existam perguntas sem respostas. "O que há são perguntas cujas respostas demandam muito esforço e tempo. O pesquisador realmente criativo deve trabalhar sem a pressão do publish or perich", ressalta ao defender que o tempo é uma dimensão que deve ser livre para o verdadeiro pesquisador criativo como ocorre nas artes.

"O verdadeiro cientista é aquele que formula perguntas pertinentes dentro de sua área de conhecimento e persegue as respostas para essas perguntas", conclui Dr. Roitman.

Fonte:  Ascom SBMT

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog