A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quinta-feira, setembro 28, 2017

Feapan 2017: uma feira de oportunidades para a região Pantaneira

Foto: Raquel Brunelli d´Avila


Embrapa disponibilizou 9 Touros em Leilão

A Feira Agropecuária do Pantanal “Feapan 2017” já na abertura mostrou a força do setor produtivo rural da região Corumbaense, contando com a presença de produtores e diversas autoridades políticas do Mato Grosso do Sul (MS). A equipe da Embrapa Pantanal prestigiou os eventos de abertura, leilões e provas de laço, ocorridos entre os dias 20 e 24 de setembro em Corumbá/MS, momentos de aproximação com o produtor rural e representantes de instituições parceiras.

O Chefe Geral da Embrapa Pantanal, Jorge Ferreira de Lara, acredita que o evento é um momento de agregar, de tomadas de decisão, reforçando a importância do produtor pantaneiro e divulgando a pecuária da região para o mundo. “A participação da Embrapa na feira tem entre os objetivos transferir tecnologias que já estão prontas, validadas e ao mesmo tempo levantar as demandas futuras. Nestes dias de feira, durante conversas com os produtores e representantes das instituições parceiras, buscamos identificar as demandas atuais e futuras, afim de adequar nossa programação de pesquisas aos anseios reais da sociedade”, explicou o Chefe Geral.

A Embrapa contou com animais durante o Leilão de Touros, ocorrido na noite do dia 22, onde um estande da instituição foi montado para atendimento ao público. Ao longo da feira também foram realizadas atividades relacionadas ao cavalo pantaneiro, mais especificamente uma campanha de prevenção da Anemia Infecciosa Equina (AIE). “Aproveitamos esta que é a principal feira da região para trabalhar o fortalecimento das ações junto ao Governo do Estado, a Prefeitura do Município, a Famasul, entre outros parceiros”, concluiu Jorge.

Cerimônia de abertura prestigiada

Presente durante a abertura da Feapan, o Governador do Estado, Reinaldo Azambuja, em seu discurso, frisou a importância dos produtores rurais para o desenvolvimento econômico do estado e do país, destacando o diferencial da região pantaneira: “parabenizo o homem pantaneiro, que ao longo dos anos aliou esta produção à preservação. Precisamos trabalhar buscando o equilíbrio, melhorando o desenvolvimento, afim de agregar renda para o homem pantaneiro (....). A Embrapa tem um papel enorme nisso trabalhando com o governo políticas públicas e fontes de novas alternativas tecnológicas “, declarou Azambuja.

Segundo ele o Governo e a ciência têm que caminhar juntos: “Se hoje o Brasil está batendo recordes sucessivos em ganhos de produtividade, tanto no setor da agricultura como na pecuária, devemos muito disso a Embrapa, que contribui a cada ano com a pesquisa para o aumento da produção. Para continuar com este ganho devemos manter essa chama, que é a pesquisa, sempre acesa”. E concluiu: “principalmente aqui no Pantanal a Embrapa tem um papel fundamental mostrando que é possível ter sustentabilidade e desenvolvimento atrelados, criando alternativas para o homem pantaneiro crescer economicamente sem agredir o meio ambiente”.

Parcerias presentes e futuras

Um dos anfitriões da Feira, Ruiter Cunha de Oliveira, Prefeito de Corumbá, declarou que um evento que visa fomentar o setor produtivo do agronegócio deve ser sempre apoiado pelo poder público. “Queremos estar juntos para cada vez mais incentivar estes tipos de empreendimentos. Ter uma instituição como a Embrapa como parceira é importante para a qualificação técnica, um estimulo a mais ainda para investimentos como a Feapan”, declarou o Prefeito.

O presidente do Sindicato Rural, Luciano Leite, também destacou a participação da instituição de pesquisa na Feira, principalmente durante o leilão de Touros, onde, segundo ele, foram disponibilizados animais de altíssima qualidade, engrandecendo ainda mais o evento. “A parceria do Sindicato Rural com a Embrapa Pantanal já vem, ao longo dos anos, promovendo a realização de diversos eventos voltados para a área da produção rural. Esperamos para edição de 2018 uma participação ainda maior da Unidade dentro da Feira”, concluiu Luciano.

Presente também durante a abertura da Feira, o Secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Elias Verruck, explicou que o Pantanal vem se tornando cada vez mais uma área múltiplos interesses: o desenvolvimento da pecuária, da agricultura com sustentabilidade e preservação; a utilização para agroecologia e negócios, etc.

“A Embrapa, pelo seu conhecimento cientifico talvez seja o grande potencial em equilibrar essas oportunidades pois é a instituição que tem condições de mostrar a todos nós como é uma produção sustentável, o que se pode produzir nesta região, de que forma deve ser produzido e também como se pode preservar com produção”. Segundo Verruk, ela é o instituto de pesquisa que pode mostrar como efetivamente o Pantanal pode ser tratado. É um órgão que possui credibilidade e o Governo do Estado e que os produtores confiam.

“Nós do Governo do Estado temos um trabalho grande com a Embrapa e estamos fortemente discutindo a questão da pecuária sustentável no Estado, a Pecuária orgânica do Pantanal. Acreditamos que tem um nicho de mercado nacional e internacional significativo para se fazer uma certificação e novamente a Embrapa entra com os modelos de certificação. Uma grande parceira tanto na pesquisa como na questão ambiental do Estado”, concluiu.

Mauricio Saito, presidente do Sistema Famasul, em entrevista durante a abertura da Feapan 2017, fez questão de enaltecer o trabalho realizado pela Embrapa no Estado: “temos no MS uma grande felicidade que é a presença de uma Unidade da instituição em cada um dos nossos biomas: no cerrado, na mata atlântica e no pantanal. Isso permite que possamos disponibilizar aos produtores tecnologias baseadas em ciência”.

“Sem a pesquisa não há como se desenvolver novas tecnologias para que os produtores possam adota-las e fazer com que haja uma produção baseada em sustentabilidade, por isso o nosso empenho, institucionalmente falando dessa grande parceria que existe da iniciativa privada e a comunidade cientifica”. Ao fim, citou especificamente a Embrapa Pantanal: “ressalto a grande aproximação que buscamos junto a instituição e o atual Chefe Geral, Jorge Lara, sempre tem nos buscado para que possamos estabelecer e fortalecer ainda mais as parcerias existentes” concluiu Mauricio.

Touros no Leilão

Replicando as palavras do gerente administrativo Leiloboi MS/escritório Corumbá, André Nantes, responsável pela realização do evento, o leilão ocorrido na Feapan foi de magnitude muito expressiva para a região pantaneira de Corumbá: em novo formato, nova edição. “O leilão contou com transmissão via satélite, atingindo níveis maiores de público, na TV a cabo e internet, além dos 300 convidados que compareceram na estrutura do parque de exposições”, explicou André. Os lotes foram compostos por animais de criadores altamente seletivos do MS, juntamente com a Embrapa Pantanal, que veio levou 9 animais de muita qualidade, já adaptados a região.

Segundo Urbano Abreu, pesquisador Embrapa Pantanal, o grande diferencial dos animais da Embrapa é que eles nasceram, recriaram e estão prontos para reproduzir dentro do sistema pantaneiro de criação, ou seja, em cima de pastagem nativa, aguentando as secas e enchentes e podendo ser utilizados em monta ainda este ano, sem a necessidade de processos de adaptação.

“Esses animais são resultado de uma parceria da Embrapa Pantanal, responsável pelas práticas zootécnicas e produção dos animais, com o Geneplus Embrapa - programa de melhoramento genético sediado na Embrapa Gado de Corte responsável pela avaliação genética, e com a ABCZ: que avalia, dá o suporte e legitima todo este processo com o registro junto a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu”, explicou o pesquisador.





Raquel Brunelli d´Avila (MTB/MS 113) 
Embrapa Pantanal 
Telefone: +55 67 3234-5955


Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog