A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

segunda-feira, março 27, 2006

Sersia Brasil tem novo acionista e metas mais ambiciosas

Resultados positivos da central de genética bovina, em 2005, motivaram a intensificação de ações comerciais e a ampliação do quadro de representantes.

Ganhar espaço no mercado nacional é uma das prioridades
O primeiro trimestre de 2006 sinaliza um ano movimentado para a central de genética bovina Sersia Brasil, unidade da Sersia France, empresa formada por uniões de cooperativas francesas de produtores de genética. A mudança mais significativa é a entrada de um acionista brasileiro: Deniz Ferreira Ribeiro. Junto a três representantes da França, passa a integrar o recém-criado conselho administrativo da Sersia Brasil, e inicia a jornada com metas ambiciosas. "Vamos intensificar as ações para ganhar mercado e estar entre as lideranças do setor. Contamos com uma equipe altamente capacitada e uma bateria de reprodutores selecionados com incomparável rigor", afirma o empresário, que passa a presidir a empresa. O interesse em investir na central vem de longa data, mas começou a ser possível a partir de 2004.
A possibilidade de entrada de Deniz Ribeiro na Sersia Brasil foi vista com bons olhos pelos acionistas franceses, dada a posição estratégica ocupada pelo País no cenário internacional da atividade pecuária. "Para os acionistas franceses, o ingresso de um empresário e pecuarista brasileiro no capital da empresa reforça os objetivos de sua filial no Brasil, que são o trabalho de seleção genética e a utilização exclusiva de touros comprovados pelos testes de desempenho de suas progênies. Graças à inseminação artificial, o mesmo sistema de seleção das raças francesas pode ser aplicado às brasileiras, o que fortalece o País como fornecedor mundial de proteína animal, no futuro", analisa o diretor superintendente da Sersia Brasil, Adriano Rubio.
A principal razão do investimento feito por Deniz Ribeiro na Sersia Brasil é uma combinação de sua aposta no futuro da pecuária brasileira e da expectativa em relação à empresa. "O mundo, cada vez mais demandará nossos produtos, o que assegura ao setor um desenvolvimento firme e sustentado; e a Sersia Brasil reúne tudo o que está no futuro da pecuária brasileira", comenta o novo presidente da empresa.
A Sersia France tem um dos sistemas de seleção de genética bovina mais rigorosos e desenvolvidos da pecuária mundial, e os índices produtivos registrados nas fazendas de seus clientes, tanto em gado de leite como de corte, são a comprovação inequívoca da importância desses sistemas. A Sersia Brasil tem trabalhado com esta mesma filosofia, mantendo igual padrão de qualidade, tanto em produtos como em serviços.
Em pecuária leiteira, o destaque da Sersia Brasil está na bateria de touros da raça Holandesa, e nas opções de produção de leite de qualidade por meio das raças francesas Normanda e Montbeliarde. Os reprodutores são selecionados a partir de um rebanho de dois milhões de vacas controladas. E somente estão aptos à coleta de sêmen para comercialização em um prazo mínimo de seis anos, quando já foi avaliado o desempenho produtivo e reprodutivo de suas filhas.
No segmento de corte, a Sersia Brasil tem dois pontos fortes. Um deles está na qualidade do material genético das principais raças de origem francesa, como Charolês, Limousin e Blonde d’Aquitaine. O outro está no elevado padrão dos touros selecionados pelo Progenel, um programa exclusivo para melhoramento genético da raça Nelore (padrão e mocho) destinados à inseminação artificial. O Progenel está completando dez anos e já conta um número superior a 183.000 animais na matriz de parentesco.

DENIZ FERREIRA RIBEIRO – É titular da Kifil Agropecuária Ltda., empresa rural voltada à produção de gado para abate, em sistema de cruzamento industrial, e à seleção das raças Canchim e Nelore Mocho. A empresa opera no Mato Grosso do Sul, com as fazendas Esmeralda e Braço Quebrado, no município de Ribas do Rio Pardo, e Vitória do Cervo, em Bandeirantes. Atuando há mais de duas décadas neste segmento, Deniz Ribeiro também é proprietário da Fazenda Água Marinha, em Águas de Santa Bárbara, no interior de São Paulo, onde faz seleção genética da raça Canchim, há diversos anos. Resultado deste trabalho, o pecuarista conquistou os títulos de melhor criador da raça, em 2002 e 2005, e de melhor expositor, nos últimos cinco anos. No mesmo município, em outra propriedade sua – o Rancho Topázio, implantou e conduziu Provas de Ganho de Peso de tourinhos Canchim (2003 a 2005), Blonde d’Aquitaine (2003 e 2004), Charolês (2004) e da nova raça Blonel (2004).
Foi eleito presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Canchim em 2001 e reeleito em 2004, para mais um período de três anos.
Economista de formação, Deniz Ribeiro desempenhou também algumas funções no setor público: integrou a Assessoria Econômica do Ministério da Fazenda no início da década de 70 (nos anos do chamado "milagre econômico"); atuou no Ministério da Agricultura, como Coordenador de Assuntos Econômicos (na nomenclatura atual – Secretário de Política Agrícola), atendendo a três diferentes Ministros no período de 1979 a 1985; foi Assessor Econômico e Diretor da Bolsa de Mercadorias de São Paulo, antes de sua fusão com a BM&F.
Nos últimos dois anos, visitou a França algumas vezes com o propósito de conhecer mais de perto o sistema de seleção genética conduzido pelas Uniões de Cooperativas controladoras da Sersia France, assim como as inter-relações entre os elos mais importantes das cadeias produtivas de carne e leite. O conhecimento adquirido e o estreitamento de relações pessoais com personalidades ligadas à atividade foram de grande importância para que tomasse a decisão de se associar aos franceses.


Divulgação: Romualdo Venâncio
(11) 3672-7177 / 9261-2334

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog