A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

sexta-feira, agosto 18, 2017

Caju: pesquisador discute possibilidade de recuperação de mercado




O chefe-adjunto de P&D da Embrapa Agroindústria Tropical, Gustavo Saavedra apresenta, nesta terça-feira 22/08, às 7h30min, no Agropacto, um panorama sobre os motivos que levaram o Brasil a perder espaço no mercado de amêndoa de castanha de caju, bem como possibilidades para recuperação do setor. A participação brasileira na exportação mundial caiu de 12% em 1993 para 0,17% em 2013.

Conforme Gustavo Saavedra, hoje os países produtores não conseguem atender toda a demanda mundial por amêndoa e a tendência é a situação se agravar com a abertura e desenvolvimento de novos mercados, como o chinês. Ele acredita em expectativas promissoras para o Brasil, desde que sejam adotados novos modelos de produção, que levem à incorporação de tecnologias pelos cajucultores.

No último congresso mundial da cadeia de castanha de caju - o World Cashew Convention 2017, ocorrido em Cingapura - projetou-se a possibilidade de a cadeia dobrar de tamanho nos próximos dez anos. Alternativas para aproveitar essa janela de oportunidades serão apresentadas pelo pesquisador.





Agropacto

Tema: Cajucultura: uma cadeia com problemas, mas com imensos 

desafios e oportunidades

Data – 22/08 – terça-feira

Hora: 7h30min

Local: auditório da FAEC, avenida Eduardo Girão, 317, Jardim América







Verônica Freire (MTB 01225JP)

Embrapa Agroindústria Tropical (Fortaleza,CE)


Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog