A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

segunda-feira, fevereiro 23, 2015

Convite aos verdadeiros patriotas






...O Congresso é um ajuntamento de corporações- sindicatos, empreiteiras, multinacionais. Ninguém ali fala pelo povo. Se deixar tudo calmo, não fazem nada ou só fazem coisas do interesse de determinados grupos. Por isso, sempre digo: não esperem nada do Congresso. Só tem mudança com o povo da rua. Foi assim nas grandes questões.
Senador Pedro Simon, 30/01/2015


Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por José Gobbo Ferreira


Caríssimos: Tenho a convicção absoluta que estamos no melhor momento dos últimos anos para vencer o bolivarianismo e o gramscismo do Foro de São Paulo, representados pelo PT. Como o então senador Pedro Simon, tenho certeza que só o povo nas ruas pode cauterizar definitivamente essa neoplasia maligna chamada PT que, em um processo metástico avassalador, contaminou todos os setores do governo e da sociedade brasileira.


No Executivo, foram inventados 39 ministérios para alojar mediocridades da chamada “base aliada”. A maioria deles é absolutamente inútil e ocupada por personalidades não só incompetentes como suspeitas de diversos desvios de conduta. Foram criados cerca de 25.000 cargos “de confiança” para abrigar a mais variada fauna de aproveitadores à disposição das manobras do Executivo. O governo aloca recursos para o pagamento deles e eles restituem grande parte ao partido, como ”contribuição voluntária”. Existe forma mais fácil e segura de lavar dinheiro que entra nos cofres do PT?


No Legislativo, campeia a compra ostensiva e indecente de consciências. A mais recente foi a desmoralização da Lei de Responsabilidade Fiscal em troca de verbas parlamentares; antes, o clássico mensalão onde votos foram mercantilizados por dinheiro vivo, e agora o petrolão no qual aquelas práticas foram aperfeiçoadas e elevadas à décima potência. E, daqui para a frente, outros “ãos” ainda aparecerão (Eletrobras, BNDES...), pois a cada dia somos surpreendidos pela descoberta de mais e mais corrupção em tudo aquilo em que o PT se envolve.


No Judiciário, o STF está sob ameaça de bolivarização. Já foi infiltrado até por candidato sem qualquer notório saber, jurídico ou não, inapto mesmo para a magistratura de primeira instância e com a reputação tisnada pela condição de estar sub judice no momento da nomeação. Tinha, porém, um currículo de bons serviços prestados ao partido e a seus líderes. Diga-se de passagem que até hoje tem feito lealmente a lição de casa no STF. Se nada mudar, o partido nomeará mais cinco correligionários para o Supremo nos próximos anos e completará sua venezuelização.


A corrupção é fruto da imperfeição do ser humano. Sempre existiu e só desaparecerá com a evolução espiritual do homem. Até a chegada do PT ao poder, era praticada por bandidos, em seu próprio proveito, por sua própria conta e risco e combatida pelos órgãos competentes do governo, com maior ou menor taxa de êxito.


Hoje, o bandido é o próprio governo, que organiza a corrupção valendo-se de sua posição majoritária nas empresas estatais, nomeando marginais de seus quadros, (matéria prima abundante), para ocupar postos chave nos quais possam conluiar-se com prestadores de serviços e desviar quantias astronômicas para os cofres do partido.


Agora, o ministro da justiça conluia-se com advogados de empreiteiras investigadas, o TCU se vende ao governo e juntos montam um esquema para que elas possam se safar com poucos arranhões da operação Lava Jato e, em troca, se abstenham de delatar o nível de participação do ex e da atual presidente no esquema. A imoralidade está presente em cada pensamento, cada decisão, cada ato desse governo.


A reeleição foi conquistada com o maior estelionato eleitoral de que se tem notícia e, aparentemente, valendo-se de recursos financeiros oriundos da corrupção. A máquina pública se pôs desavergonhadamente a serviço da campanha. A mentira, a fraude, a ameaça, a destruição de reputações e a divisão do país entre “nós e eles” foram (como sempre) as armas do PT.


A situação econômica do País degringola. Durante 2015, a energia elétrica deve aumentar até 70% no Rio e São Paulo (O Globo, 22/02) e nem por isso estamos livres de um apagão. O litro daquilo que o governo chama de gasolina (750 ml de gasolina ordinária + 250 ml de álcool – por enquanto) terá aumentos acima de 10%. As últimas obras de vulto em infraestrutura datam da época do regime militar e esse é o maior componente do Custo Brasil, que contribui para o colapso de nossas transações externas. A taxa SELIC está em 12,25%, a maior taxa real do mundo, o PIB é negativo e a inflação volta a nos aterrorizar. É a obra prima do PT: a estagflação.


A insegurança atinge níveis intoleráveis e tende a piorar, porque a inadimplência dispara e o desemprego aumenta, ainda que disfarçado pelos milhões de beneficiários de bolsas assistencialistas do governo, que não trabalham, mas como nem pensam em procurar trabalho, não são considerados desempregados. 


A farra dos gastos em ano eleitoral para assegurar a reeleição de um poste apagado e para aparelhar todos os escaninhos do poder lançou as contas nacionais em um deficit que agora o governo pretende corrigir extorquindo impostos, cerceando direitos e impondo restrições à vida dos cidadãos.


A falta de seriedade, de responsabilidade, de honestidade e de compromisso com a verdade da figura que ocupa o Planalto pode ser constatada no vídeo anexo.


No dia 15 de março haverá passeatas em inúmeras cidades do País para deixar clara nossa revolta contra esse estado de coisas. A oportunidade é rara. A aprovação popular do governo desaba e a Câmara de Deputados é presidida por um parlamentar que, embora não seja pessoalmente adepto da hipótese de impeachment, com certeza não colocará sua opinião pessoal acima da vontade soberana do povo. Cabe a nós deixar bem clara qual é essa vontade.


Não dependemos de ninguém para mudar nosso Brasil senão de nós mesmos. Ninguém fará por nós aquilo que nos compete fazer.
Nossos vizinhos argentinos deram uma magnífica lição de civismo reunindo centenas de milhares de manifestantes, embaixo de chuva, para protestar contra o assassinato do promotor Nisman, aparentemente com envolvimento do governo bolivariano de lá.


No domingo da virada, 15 de março, vamos seguir esse exemplo e inundar as ruas com nossa fúria sagrada contra o assassinato de nossas esperanças de um Brasil melhor, livre, democrático e republicano.



José Gobbo Ferreira é Coronel reformado do EB.

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog