A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quarta-feira, dezembro 24, 2014

ORLANDO TAMBOSI: O patético novo ministério de Dilma: Rebelo, aquele do Saci Pererê, na Ciência & Tecnologia; e Jaques Wagner na Defesa: bem que os milicos merecem.



Wagner, o homem que "cuidará" dos milicos, abençoado por Dilma.

Antes de ser ministro dos Esportes no governo Lula, o comunista Aldo Rebelo quis instituir o "Dia do Saci Pererê" para se contrapor ao "imperialista" Halloween, o Dia das Bruxas, nos EUA. Com essa mente científica no comando, certamente as ciências terão logo um brasileiro como Prêmio Nobel. Quanto à Defesa, que vai de mal a pior desde que o megalonanico Amorim por lá esteve, ficará com o governador baiano Jaques Wagner, um velho lulopetista. Bene, a lista tem até uma afilhado do impoluto Renan Calheiros, um tal de Vinicius Laje, que continua no Turismo. Tudo somado, o patrimonialismo sai fortalecido, como em todos os governos do retrógrado Partido Totalitário:




A nove dias da posse, a presidente Dilma Rousseff anunciou nesta terça-feira em e-mail enviado pela Secretaria de Comunicação às 19h55 uma lista dos novos ministros que vão compor o alto escalão do governo em seu segundo mandato. O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), será o novo ministro da Defesa, e o governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), assumirá a Educação. Dado como um nome certo para ganhar um cargo na Esplanada, o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) vai para o disputado Ministério das Cidades. 


Com 13 nomes, a lista divulgada nesta terça-feira contempla a cota do PMDB na Esplanada. Como esperado, a senadora Kátia Abreu (TO) irá para o Ministério da Agricultura. O Ministério de Minas e Energia, no centro da Operação Lava Jato, também sofreu mudanças – mas continuará sob o comando partido. O senador Eduardo Braga, derrotado nestas eleições ao governo do Amazonas, substituirá o ministro Edison Lobão, citado no esquema de corrupção. Horas antes do anúncio da nova equipe, Lobão confirmou que deixaria a pasta, mas ponderou que “não deve nada” e classificou o petrolão como uma "crise circunstancial". 


O deputado federal Eliseu Padilha (PMDB-RS) assumirá a Secretaria de Aviação Civil no lugar de Moreira Franco. Derrotado por Simão Jatene (PSDB) na disputa pelo governo do Pará, Helder Barbalho (PMDB), filho do senador Jader Barbalho ganhará o Ministério da Pesca.


Vinícius Lage, afilhado do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), continua no Turismo, conforme anúncio desta terça-feira. Inicialmente, havia a expectativa de Lage deixar o cargo e ceder espaço ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB-RN), citado no escândalo do petrolão. Alves, no entanto, afirmou na véspera do anúncio que queria aguardar um posicionamento do Ministério Público sobre as denúncias em torno do seu nome.


A acomodação dos aliados peemedebistas se dá um mês após Dilma anunciar a equipe econômica de seu novo governo. Com a demora na definição do loteamento do ministério, deputados e senadores da base chegaram a pressionar o governo e esvaziaram a sessão que votaria a flexibilização do superávit fiscal deste ano. No entanto, após se reunirem com Dilma, o texto foi aprovado. O PMDB, principal aliado do Planalto, porém, aumentou a fatura: pediu seis ministérios, um a mais do que a cota atual.


Dilma também acomodou na Esplanada aliados de outros partidos. Aldo Rebelo (PCdoB), hoje no Esporte, ficará com a pasta de Ciência e Tecnologia. Ele será substituído por George Hilton (PRB). Assim como Cid Gomes, que se aproximou de Dilma ao se posicionar contra o rompimento do PSB com o governo federal, Gilberto Kassab, do PSD, ficará com o Ministério das Cidades. 


Aguardada por petistas, a transferência do atual ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, para o Ministério das Comunicações não foi confirmada no anúncio desta terça-feira. Sua eventual nomeação é um afago à legenda: a pasta passará a ter, no ano que vem, parte da verba de publicidade da Secretaria de Comunicação da Presidência.


O anúncio desta terça-feira também não contempla o PP, outro partido aliado citado no petrolão. A última etapa da reforma ministerial está prevista para a próxima segunda-feira. Em nota, a presidente agradeceu a dedicação dos ministros que deixam o cargo e informou que a posse da nova composição ministerial será em 1º de janeiro.


Confira a lista completa de nomeados:


Aldo Rebelo (Ciência Tecnologia e Inovação)
Cid Gomes (Educação)
Edinho Araújo (Secretaria de Portos)
Eduardo Braga (Minas e Energia)
Eliseu Padilha (Secretaria de Aviação Civil)
George Hilton (Esporte)
Gilberto Kassab (Cidades) 
Helder Barbalho (Secretaria de Aquicultura e Pesca)
Jaques Wagner (Defesa)
Kátia Abreu (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento)
Nilma Lino Gomes (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial)
Valdir Simão (Controladoria Geral da União)
Vinicius Lajes (Turismo)
(Veja.com).

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog