A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

quinta-feira, agosto 21, 2014

EDUARDO CAMPOS: Programa eleitoral iria ao ar com uma mensagem totalmente de Oposição ao fisiologismo do governo Dilma Rousseff




POR ALEX RIBEIRO, EM 15.08.2014

Nos últimos dias, antes da sua morte em um acidente de avião, o então candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, estava dividindo seu tempo entre as viagens de campanha pelo País e as gravações para a propaganda eleitoral gratuita de rádio e TV, que terá início no próximo dia 19.

Muito se falou do formato que seria utilizado pelo presidenciável para passar a sua mensagem. Ficou definido que uma conversa com convidados em um espaço tipo arena seria o ideal para passar o que a coligação tinha a dizer.

Num dos vídeos, Eduardo fala sobre os representantes da “velha política”, e cita os senadores José Sarney (PMDB), Renan Calheiros (PMDB) e Fernando Collor (PTB). Enquanto o presidenciável falava, a ex-senadora Marina Silva (PSB) assistia o pronunciamento do companheiro de chapa. O ex-governador lembrou das manifestações de junho de 2013 e disse que era preciso “colocar a sociedade para cumprir o seu papel”.

“Encheram aquela esplanada de estudante, desceu gente desempregada daquela periferia de Brasília, funcionário público, encheram aquela rampa. Em 15 dias, sem que o povo tivesse nenhum ministério, nenhum cargo, só dando pressão, aquele calor, em 15 dias eles votaram mais do que um ano em que Dilma (Rousseff-PT) dando tudo que eles queria”, relatou Campos, num dos trechos do vídeo.

Agora, com a morte de Eduardo, o PSB aguarda a identificação e sepultamento dos corpos dos ocupantes do avião para, só então, discutir quem substituirá o socialista na cabeça de chapa, bem como o nome do vice.

Pela legislação eleitoral, a coligação ainda tem oito dias para tomar essa decisão. No entanto, como o guia eleitoral terá início na próxima terça-feira (19), a decisão deve ser acelerada e anunciada após os funerais. Até para ter tempo de ajustar os programas que irão ao ar já na terça-feira. O PSB vai correr contra o tempo.




Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog