A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

quarta-feira, setembro 15, 2004

FORTE ALTA DOS INSUMOS E OFERTA DE CRÉDITO LIMITADO INIBEM PLANTIO DA SAFRA 2004/2005

O produtor rural está enfrentando dificuldades para planejar o plantio da nova safra de grãos, que precisa ser semeada a partir de setembro nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Os preços dos insumos agrícolas subiram fortemente nos últimos 12 meses. Os inseticidas chegaram a apresentar alta de até 34%. Ao mesmo tempo, não houve recuperação dos preços pagos pela produção agrícola. O algodão em Mato Grosso, por exemplo, está sendo negociado atualmente a valor 1,5% mais baixo que há 12 meses. O produtor, portanto, está recebendo menos e gastando mais para produzir, comprometendo sua capacidade de investir na nova safra, explica o presidente da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que participa amanhã de audiência pública na Câmara dos Deputados. A reunião foi convocada pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara, para tratar dos problemas gerados pela alta dos insumos e falta de reajuste aos preços pagos pela produção agropecuária.
Macel Caixeta concede entrevista coletiva antes do início da audiência pública, às 9h30 desta quarta-feira, 15 de setembro, na sala da presidência da Comissão de Agricultura, localizada na sala T38 do Anexo II da Câmara. Caixeta apresenta também dados sobre as dificuldades de liberação de crédito rural referentes ao financiamento da safra 2004/2005, fator que também pode inibir as iniciativas de plantio.

Departamento de Comunicação da CNA
(61) 424-1419
www.cna.org.br

Nenhum comentário:

Arquivo do blog