A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT

A MILÍCIA BOLIVARIANA DO PT
AgroBrasil - @gricultura Brasileira Online
Ofereci meus ombros. Como escada ele subiu. Abri o caminho para ele passar. Na hora da porrada a cara era a minha. Fui seu irmão seu amigo e companheiro... Um dia encontrou comigo. Me deu um beijo. Virou as costas e partiu. Lembrei de Jesus e as 30 moedas"
Poema do mensaleiro João Paulo Cunha que revela a mágoa em relação ao ex-presidente LULArápio.
"Anos atrás recebi do então governador de Brasília Cristovam Buarque o ‘premio manuel bonfim’, atribuído ao meu livro "Chatô, o rei do Brasil". Já pedi à Marília para localizar a placa de prata. Vou devolver. de golpista não quero nada. Nem prêmio".

Escritor Petralha Fernando Morais

“Que pena que nossos gênios estejam tão obtusos. E tão viciados no aparelhamento. O PT corrompeu mais do que a política, corrompeu a inteligência e o caráter. E aos poucos vão mostrando que a volta da Dilma por mais dois anos, com essa gente, vai embrutecer o País e seguir se apropriando do Estado. Pior que não tem juiz Moro para este tipo de roubo: da inteligência e do caráter. Ele não falou em devolver os dez mil que recebeu do prêmio. Na época eram dez mil dólares. Nem o que ele fazia no governo do Quercia".

Senador Cristovam Buarque

+ LIDAS NA SEMANA

sexta-feira, junho 19, 2020

Mantiqueira de Minas é reconhecida como Denominação de Origem

Mantiqueira de Minas é reconhecida como Denominação de Origem

D.O. determina que cafés produzidos na região possuem características específicas vinculadas a fatores naturais e humanos


 
Membros da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) têm motivo para celebrar desde o dia 9 de junho. Mais de 20 associados da Mantiqueira de Minas agora podem se intitular como representantes da Denominação de Origem Mantiqueira de Minas, evolução de status de Indicação Geográfica (IG) concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) para o café verde em grão e ao café industrializado torrado em grão ou moído da região.

As IGs são importantes ferramentas de valorização de produtos tradicionais vinculados a determinadas origens produtoras e, entre suas funções, está a de promover e proteger uma região. Assim, a obtenção de Denominação de Origem pela Mantiqueira de Minas indica que os cafés produzidos na região possuem características específicas vinculadas à geografia local, levando-se em conta fatores naturais, como clima, solo, vegetação e altitude, e humanos, com a tradição e a história dos produtores.

Segundo a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, essa conquista reforça que a Denominação de Origem Mantiqueira de Minas produz cafés excepcionais e que os cafeicultores da região sempre voltaram sua atenção ao cultivo desses grãos diferenciados. "Tudo começou no final do século XX, quando os produtores investiram na produção por via úmida, os cerejas descascados e despolpados, o que, logo nos primeiros anos do século XXI, fez com que conquistassem, pela primeira vez, o título do Cup of Excellence, o principal concurso de qualidade do mundo", recorda.

Ela comenta que a obtenção da Denominação de Origem é fundamental para a cafeicultura da Mantiqueira de Minas em termos de qualidade e no aspecto social. "A D.O. é fantástica para o reconhecimento da qualidade e do diferencial dos cafés produzidos na região e pela geração dos milhares de empregos, pois é uma atividade de montanha, onde o trabalho é 100% manual, com uma responsabilidade social enorme", analisa.

Localizada no lado de Minas Gerais da Serra da Mantiqueira, no sul do Estado, a região possui tradição secular na produção de cafés de qualidade, sendo uma das mais premiadas do Brasil. Seus cafés são raros e surpreendentes, refletindo a combinação de um terroir único e do saber fazer local que busca continuamente a excelência.

A Denominação de Origem Mantiqueira de Minas compreende 25 municípios, dedicando 56 mil hectares ao cultivo de café, divididos entre 8,2 mil produtores, dos quais 82% são da agricultura familiar. A região se destaca por possuir características únicas de topografia e pelo zeloso trabalho realizado pelos cafeicultores, sempre em busca dos frutos mais maduros e uniformes, que correspondem a uma produção de aproximadamente 1,2 milhão de sacas ao ano.

Em tempos em que os consumidores cada vez mais buscam conhecer a procedência e a história dos produtos e produtores, a Denominação de Origem Mantiqueira de Minas vem para promover e disseminar a cultura, o jeito de ser e o entusiasmo dos cafeicultores locais.

"A D.O. é um verdadeiro passaporte para a beleza natural das montanhas e fazendas centenárias da região, apresentando aos consumidores os detalhes dos processos produtivos desses cafés diferenciados, cultivados sob o respeito ambiental e social. É uma ferramenta que permite que o consumidor tenha uma experiência prazerosa de conexão com a origem, estimula a produção regional e fomenta o turismo ao local", conclui Vanusia.

A Denominação de Origem Mantiqueira de Minas é a evolução da IG de Indicação de Procedência que a região detinha até o dia 9 de junho. Os cafés cultivados no local estão acima de 1.040 metros de altitude e possuem características especiais, como acidez cítrica e elevada, corpo denso e sedoso e finalização longa e prazerosa. Dos 25 municípios que compõem a origem, a BSCA possui associados em 10: Baependi, Cambuquira, Campanha, Carmo de Minas, Dom Viçoso, Heliodora, Pedralva, Santa Rita do Sapucaí, São Lourenço e Soledade de Minas.

Mais informações para a imprensa
BSCA - Assessoria de Imprensa
Paulo André C. Kawasaki
(61) 98114-6632 / ascom@bsca.com.br

Nenhum comentário:

+ LIDAS NOS ÚLTIMOS 30 DIAS

Arquivo do blog